Seminário do SindSaúde vai definir apoio nas Eleições 2018

Ter, 16 Jan 2018

Durante reunião da direção do SindSaúde-DF, nesta terça-feira (16), no Hotel Nacional, os sindicalistas decidiram pela realização de um seminário, no próximo dia 17 de fevereiro, para definir o apoio nas Eleições 2018.

“Vamos nesse encontro tirar uma posição política para caminhar até outubro, nas eleições”, afirmou Marli Rodrigues, ao propor o encontro.

Para os sindicalistas, a opção inaceitável hoje é a reeleição de Rollemberg.

“Vamos emplacar a campanha ‘Rollemberg não!’. Não podemos aceitar mais quatro anos de atraso para a população do DF e para os servidores”, finaliza Marli.

O SindSaúde apoiará o candidato que tiver a melhor proposta para a Saúde do DF. Para os diretores, o que o governo fez com o Iprev, ao aplicar um golpe nos servidores, é um absurdo. Ele pretende usar o dinheiro do próprio servidor para encher seus cofres e usar na campanha de reeleição.

Nova portaria: onde falta competência, sobra covardia

Ter, 16 Jan 2018

Pasta diminuiu em três meses a data limite para que trabalhadores com horas positivas retirem folgas; SindSaúde vê medida como uma forma de calote ao direito da categoria.

O Diário Oficial (DODF) desta terça-feira (16) traz uma nova regra para a fruição de horas remanescentes, alterando o prazo, que antes era de quatro meses, para apenas trinta dias. A Portaria n °885 limita ainda mais o tempo dos servidores que trabalharam a mais possam ter essas horas recompensadas. Após um mês, as perdem.

O SindSaúde não vê com bons olhos essa mudança e afirma que será um fator a mais para dificultar que os servidores gozem seus direitos.

“Caso os servidores pudessem compensar essas horas em trinta dias, como manda o governo, haveria o caos nos plantões que ficariam desabastecidos. Porém, na prática, sabemos que esta é mais uma estratégia ardilosa do governo para impedir que a categoria usufrua das horas que têm direito”, pondera a presidente do SindSaúde, Marli Rodrigues.

Dinheiro suado do servidor é usado para manter Rollemberg no poder e a máquina pública em funcionamento

Seg, 15 Jan 2018

Em pleno ano eleitoral, orçamento ganhou incremento de R$ 1,3 bilhão do Iprev após acordo costurado com deputados DF

O governador do DF, Rodrigo Rollemberg, depois de uma amigável reunião com 12 deputados distritais no Palácio do Buriti, recebeu o sinal positivo dos parlamentares com a aprovação da proposta que destina R$ 1,3 bilhão do Iprev e recursos dos precatórios para incrementar o orçamento de 2018 do DF com um total de R$ 1,5 bilhão.

Votado em caráter e urgência, o projeto destina R$ 407,8 milhões para execuções na área da Saúde e mais R$ 123,5 milhões para contratação de novos servidores.

Deputados da oposição, mesmo os que votaram a favor da proposta, alegaram que só votaram em defesa da população e dos servidores.

Para o SindSaúde-DF, o pacote de bondades deve ser visto com suspeitas. A presidente da entidade, Marli Rodrigues, alerta que é o suor do servidor público do DF que está sendo usado para manter o governo de Rollemberg no poder e também o funcionamento da máquina pública.

“O

Com vigilantes em greve, hospitais amanhecem sem nenhuma segurança para pacientes e servidores

Seg, 15 Jan 2018

Categoria deflagrou greve nesta segunda-feira (15) por atraso no pagamento dos salários; governo diz que só pagará na semana que vem.

Boa parte dos hospitais e Unidades de Pronto Atendimento (UPAs) do Distrito Federal amanheceu sem vigilantes nesta segunda-feira (15). Os profissionais iniciaram hoje o movimento paredista devido ao atraso no pagamento dos salários que deveriam ter sido pagos há uma semana.

Inicialmente, governo havia informado que tanto as empresas que prestam serviço de vigilância quanto as de limpeza receberiam somente a partir do começo da próxima semana. No início da tarde, entretanto, a Secretaria de Saúde (SES) mudou a versão e assegurou o pagamento para ainda hoje, até às 18h.

Os hospitais afetados são: Materno Infantil de Brasília (HMIB), de Brazlândia (HRBz), Ceilândia (HRC), Taguatinga (HRT), Samambaia (HRSam), Guará (HRGu), Sobradinho (HRS) e Planaltina (HRP); além das UPAs de Recanto das Emas, Ceilândia, Núcleo Bandeirante, Samambaia e Sobradinho.

Exoneração em massa da chefia do Base dá pontapé ao Instituto

Sex, 12 Jan 2018

Diário Oficial do DF desta sexta-feira (12) traz dispensa de mais de cem exonerações do Hospital de Base; IHDBF começa a funcionar, oficialmente, na segunda-feira (15).

O governo deu passo definitivo rumo à concretização do Instituto Hospital de Base (IHBDF), previsto para sair do papel já na próxima segunda-feira (15). A implantação deste modelo beneficiará os apadrinhados de Rollemberg com contratos e compras sem licitação. Para começar a dar vida ao projeto, o Executivo exonerou hoje (12) 111 servidores comissionados que compunham a base da gestão do hospital, entre eles Ismael Alexandrino, que ocupava o cargo de Secretário Adjunto de Gestão em Saúde. Ele é diretor-presidente do IHBDF.

“Querem transformar uma máquina de ciência em um balcão de negócio, apenas para garantir a compra sem licitação e contratar sem concurso, e abençoados pela toga. Essa mudança não vai ajudar em absolutamente nada a população e ainda vai deixar um buraco enorme e um caminho para a corrupção muito grande”, lamenta a presidente do SindSaúde, Marli Rodrigues.

Justiça determina atendimento que GDF não proporciona aos pacientes

Qui, 11 Jan 2018

TJDFT deu prazo de cinco dias para que governo providencie atendimento à paciente com câncer; é comum pacientes precisarem recorrer a outras instâncias.

Uma paciente do Hospital Universitário de Brasília que precisa de quimio e radioterapia procurou a Justiça para garantir a continuidade de seu tratamento. O 1º Juizado Especial da Fazenda Pública do DF deu o prazo de cinco dias para que o GDF a garanta acesso à consulta em oncologia clínica na rede pública ou arque com os custos da rede privada, se necessário.

A mulher, que sofre de câncer de colo de útero, demonstrou incapacidade de arcar com os custos do tratamento.“É dever garantir o atendimento na rede pública de saúde a todos que dela necessitar, independentemente do tipo de moléstia diagnosticada e, caso não haja possibilidade de realizar-se o tratamento solicitado no âmbito do SUS, deverá o Estado arcar com os custos na rede particular”, cita a decisão.

GDF detalha “golpe” no nosso IPREV, mas não fala em pagar servidor

Qui, 11 Jan 2018

O desgoverno de Rodrigo Rollemberg detalhou nesta quinta-feira (11/01) como vai fatiar o dinheiro do IPREV, aproximadamente R$1,2 bilhão. Ficou mais uma vez provado que ele quer tentar se reeleger à custa do servidor público do Distrito Federal.

Esse valor, no entanto, só será liberado por aprovação da Câmara Legislativa, com sessão marcada para o próximo dia 15. Os dois poderes têm protagonizado conflitos. Rollemberg quer atropelar o rito da CLDF mandando a proposta da emenda que libera o valor do IPREV sem um tempo hábil de discussão, medida esta que tem incomodado os deputados distritais.

Calote

"Mesmo metendo a mão no nosso IPREV, em nenhum momento, esse desgoverno fala em pagar o que deve ao servidor da saúde, que não teve a implementação da terceira parcela da GATA, interrompida por Rollemberg, confrontando com a própria lei que nos garantia esse direito, um calote, além do não pagamento das horas extras e das pecúnias no tempo acordado com os servidores.

MPF apura uso irregular de verba do SUS no DF

Qua, 10 Jan 2018

Enquanto milhares de pessoas morrem nas filas de hospitais por falta de estrutura, a Secretaria de Saúde do Distrito Federal usou verba do SUS para pagar publicidade. O entendimento é do Ministério Público Federal em Brasília (MPF/DF), que está apurando o caso.

Por meio de uma medida cautelar, apresentada no mês passado à 2ª Vara Federal, o órgão pediu a indisponibilidade dos bens de três envolvidos – sendo dois servidores – e da empresa prestadora de serviços de publicidade.

O MPF requereu liminar para impedir a realização de qualquer pagamento da Secretaria de Saúde referente ao Contrato nº 236/2013, de prestação de serviços de publicidades. O valor total a ser bloqueado é de R$ 5.297.414,96.

De acordo com as investigações, são alvos o ex-secretário adjunto de Saúde, Elias Fernando Miziara, Rodrigo de Almeida Martins (representante da empresa Look Indoor Placas de Sinalização S/A), Marcelo Nóbrega de Miranda Lopes (atual subsecretário de Logística e Infraestrutura da Saúde) e a empresa Look Indoor.

GDF alega não ter sido notificado para oferecer tratamento contra câncer em 60 dias

Ter, 09 Jan 2018

Enquanto isso, 299 pacientes aguardam na fila por radioterapia na rede pública de Saúde

Uma liminar da 21ª Vara de Saúde, expedida na segunda-feira (8) determinou que o Executivo local e Federal providenciem tratamento aos pacientes de câncer em no máximo 60 dias, sob condição de pagamento de indenização aos pacientes no valor de R$ 200 mil para cada, em caso de descumprimento. O governo precisa ainda apresentar em até 15 dias um plano de ação para atender a demanda suprimida — no DF, 290 pessoas aguardam na fila de radioterapia.

O juiz federal substituto da 21ª Vara de Saúde Rolando Valcir Spanholo acata ação civil proposta pelas Defensorias Públicas da União e do Distrito Federal, afim de que pacientes não precisem recorrer à Justiça para conseguir cuidados médicos.

“A medida da Justiça é muito importante e dá força ao nosso movimento de pressão por maior celeridade nos tratamentos de câncer e em tantos outros que são procrastinados pelo governo, mas infelizmente esta gestão apresenta inúmeros casos de desrespeito à determinações e a tendência é que esta não fuja da regra.

Governo oficializa caos em nova etapa de programa

Ter, 09 Jan 2018

Diário Oficial publicado nesta terça (9) institui prazo para que médicos tenham suas especificidades alteradas para a Saúde da família, desabastecendo a rede de pediatras, ginecologistas e clínicos gerais.

O projeto de conversão da Atenção Primária em Estratégia da Saúde da Família (ESF) teve mais uma etapa nesta terça-feira (9) com a instituição do prazo de trinta dias para que os médicos que passaram pelo Converte — capacitação implementada pelo GDF para que os profissionais tenham suas especialidades adaptadas para o programa —, em novembro do ano passado, passem a atuar com as novas demandas do ESF.

imagem1.PNG


Na prática, em um mês, a rede pública de Saúde do Distrito Federal, já tão defasada, perderá profissionais da pediatria, ginecologia e clínica geral. “Servidores capacitados serão desviados de função para atender a esse programa que está sendo implementado sem qualquer responsabilidade, por puro capricho de Rollemberg.

De onde está brotando dinheiro, Rollemberg?

Seg, 08 Jan 2018

Começa um novo ano e, de repente, o GDF tem dinheiro em caixa?? Como assim? Qual a receita para virar um ano e ter dinheiro para pagar dívidas e para cumprir obrigações que antes eram esquecidas? Gostaríamos de saber... O GDF estava escondendo dinheiro?

Além de ter retirar os R$ 5 bilhões do Iprev, ele segurou em caixa os recursos de direito do servidor. Com isso, evitou que a economia do DF crescesse. Usou a desculpa da falta de recursos durante todos os três anos de governo e agora, a dez meses da eleição, tudo mudou.

Está claro que o Governo de Rodrigo Rollemberg escondeu dinheiro nos cofres para usar em ano eleitoral. Agora o GDF anuncia concursos, quitação de dívidas e pecúnias e nomeação de servidores. Todas essas novas promessas estão em matéria divulgada no domingo (7), no Correio Braziliense.

Rollemberg anuncia pagamento das horas-extras e dá outro calote em muitos servidores

Sex, 29 Dez 2017

Servidores denunciam CALOTE nas horas extras de SETEMBRO

Rollemberg não cansa de se reinventar! O modus operandi para humilhar os servidores da Saúde é sempre renovado!
Ele e seu feitor, o secretário de Saúde, Humberto Fonseca, se valeram da Portaria 340/2017, de 26/06/2017 para dar um verdadeiro GOLPE nos servidores que fizeram as horas extras.

A relação de trabalho deve ser norteada pela confiança entre as partes. Mesmo com o advento dessa portaria, os servidores não foram alertados por suas chefias de que, na verdade, o serviço extraordinário prestado seria utilizado para abater horas negativas no banco de horas.

Resumindo: foi uma cobrança compulsória! O servidor fez as horas extras para ajudar o setor deficitário, acreditando poder contar com o pagamento do serviço e se deparou com o abatimento de horas devidas, sem a sua ciência ou concordância!

GOLPE rasteiro e covarde nos servidores que colaboraram para o serviço não parar!

O

Créditos a receber na SES! Verdade ou boato?

Qua, 27 Dez 2017

Desde ontem (26), as redes sociais pipocam com uma informação bombástica: a de que existem CRÉDITOS que caíram em exercicio findo e que podem ser pagos pelo GDF de janeiro a março, do próximo ano.

Uma notícia alvissareira, replicada em áudio de uma "suposta" servidora, dando as orientações para requerer esse pagamento extemporâneo.

Centenas de servidores procuraram o Sindsaude para saber sobre a veracidade do áudio. A priori, desconfiamos do "tamanho da esmola" (segundo o áudio "dá uma quantia boa"), considerando que nem as sentenças judiciais e decisões acerca dos direitos dos servidores estão sendo pagos. Quem dirá, algo que já caiu em exercicio findo e, por isso, depende de reconhecimento da dívida, de orçamento e outros trâmites legais para serem executados?

Mas, para dar uma informação líquida e certa, procuramos o setor responsável na SES que negou a veracidade das informações passadas nesse áudio.

Ficar ou não no HBDF: uma pesquisa para lá de suspeita

Qua, 27 Dez 2017

Depois de questionamentos feito pela reportagem do SindSaúde sobre a votação para o servidor optar por ficar ou não no HOSPITAL DE BASE, a Secretaria de Saúde decidiu esticar o prazo de escolha.

A reportagem perguntou se, com tantos problemas que ocorreram durante essa “manifestação” dos servidores, a SES não pensava em dilatar o prazo. A data final era até a última segunda-feira (25/12), feriado de natal.

Embora não tenha respondido os e-mails da reportagem, momentos depois, a SES emitiu nota à imprensa em seu site, prolongando o prazo de manifestação.

Agora, a Subsecretaria de Gestão de Pessoas estendeu o prazo para até quinta-feira (28), para que servidores do HBDF preencham o formulário e manifestem o desejo de permanecer ou não na unidade após a transição do modelo de gestão.

“É muito estranho que essa votação aconteça em momento de feriado. Além disso, recebemos inúmeras reclamações de servidores que tentaram votar, mas o sistema dava fora do ar.

Mesmo com R$ 5 bilhões em caixa, Rollemberg NÃO QUITA todas as horas extras da Saúde

Qua, 27 Dez 2017

Direito do servidor que trabalha para isso, como horas extras de alguns meses, enfim, são fornecidos pagas na quarta-feira. Serão depositados nesta quarta-feir, os valores referentes aos meses de julho, agosto. Já estão de série devem ser depositados na próxima sexta-feira.

"Muitas vezes os servidores fazem horas-extras, não por um simples desejo, mesmo por falta de uma rede, por causa da falta de servidores. Como ações ou até mesmo a falta de ações da administração, com os vários postos e hospitais servidores, sobrecarregando outros. O pior disso tudo, é que são servidores que são horários extras e enfrentam uma verdadeira via-crucis para receber. Ficam com o pires na mão ", critica a presidente do SindSaúde, Marli Rodrigues.

O SindSaúde tem cobrado constantemente o governo para aquilo que é o direito do servidor é quitado pontualmente. É assim como horas-extras, pecúnias e diversos outros direitos da categoria.