CALOTE DO GDF pode parar atendimento do Samu e colocar vidas em risco

Qui, 20 Set 2018

Empresa que atende o 192 deixará postos e técnicos são tirados da viatura para atender telefone

Mais um calote do governo de Rodrigo Rollemberg pode parar o atendimento do Samu no Distrito Federal. A empresa contratada, de forma terceirizada, para o atendimento do telefone 192 anunciou que vai parar o atendimento à meia-noite desta quinta-feira (20).

Para substituir os profissionais da central de telefones, os chefes das equipes do Samu convocaram técnicos de enfermagem para abandonar seus postos nas viaturas e auxiliarem no atendimento do 192.

Os chamados foram feitos em grupos de WhatsApp e os servidores foram apontados pela chefia para deixarem a viatura.

WhatsApp Image 2018-09-20 at 21.29.01.jpeg

outro print.jpeg

Na unidade do Samu em Santa Maria, um técnico de enfermagem de cada viatura foi convocado para a central telefônica.

“Um absurdo essa situação em um atendimento de extrema importância como é o Samu. Esse governador não cansa de tomar decições que causam a morte da população.

MPDF investiga irregularidades em contrato da Saúde do DF

Qui, 20 Set 2018

SES terá 15 dias para esclarecer a contratação de empresa incapacitada para tratamento de resíduos sólidos

O Ministério Público do Distrito Federal e Territórios (MPDFT) pediu esclarecimentos à Secretaria de Saúde do DF sobre possíveis irregularidades envolvendo a contratação emergencial de empresa para o tratamento de resíduos dos serviços de saúde potencialmente infectantes e químicos pelo Serviço de Limpeza Urbana do DF. A contratação foi em junho de 2018.

A Stericycle, empresa do ramo que tinha interesse em participar do processo, se sentiu prejudicada pela licitação que foi suspensa pelo SLU e tão logo foi proclamado o resultado com falta de transparência. Segundo a empresa, a contratada possui inúmeras irregularidades, trazendo riscos para o órgão público e para a população, tendo em vista a má prestação de serviços, inclusive com suposta ausência de licença ambiental.

Na execução de uma licitação é indispensável a apresentação da composição de preços dos concorrentes, para que o órgão público possa ter segurança nos valores oferecidos.

Instituto Hospital de Base faz compra de medicamentos que estão sobrando na SES e com risco de vencer

Qui, 20 Set 2018

Novos medicamentos foram adquiridos por valor superior ao comprado pela SES-DF

O dinheiro público parece estar sobrando no Instituto Hospital de Base e na Secretaria de Saúde do DF. Mesmo com um medicamento em excesso e com risco de vencer no estoque da rede pública de saúde do DF, o instituto aderiu a ata de preços e comprou 12,9 mil unidades do mesmo remédio, em maio deste ano.

A Secretaria também fez o mesmo. Adquiriu, em agosto, mais do medicamento e, poucos dias depois, enviou memorando ao IHB alertando sobre o risco de “vencimento do produto e prejuízo ao erário” por sobra no estoque.

O medicamento em questão é um anticoagulante, a heparina sódica solução injetável 5000 UI/0,25 ml. Em setembro do ano passado, em contrato emergencial e sem licitação, a SES-DF comprou o remédio da empresa Cristalina Produtos Químicos Farmacêuticos. Pagou R$ 2,4 milhões no total (R$ 3,97 a unidade).

Governo voador: Rollemberg e sua gestão com a cabeça nas nuvens

Qui, 20 Set 2018

Governador manda desativar unidade avançada do Samu no Plano Piloto e atendimento será somente aéreo

O Governo de Rodrigo Rollemberg não se cansa de fazer trapalhadas na saúde pública. A mais recente barbeiragem foi assinada na terça-feira (18). Um despacho da Gerência de Atendimento Pré-Hospitalar Móvel para a Diretoria do Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (Samu) determina que, a partir do próximo dia 24, a Unidade de Suporte Avançado do Plano Piloto seja desativada.

Na decisão do governo, a equipe de servidores, enfermeiros e condutores, será destinada para uma segunda unidade de saúde básica no Plano Piloto. Com essa mudança, o atendimento da população que sofre algum trauma ou emergência de suporte avançado só poderá ser feito por meio do serviço aeromédico, que funciona em parceria entre Samu e Corpo de Bombeiros do DF.

Para todo tipo de suporte avançado no Plano Piloto, agora o GDF deixa apenas uma aeronave e uma UR (para casos onde não há locais de pouso da aeronave).

Segundo

Relatório comprova diversas falhas no tratamento de câncer oferecido pelo IHBDF

Qui, 20 Set 2018

Fiscalização foi feita antes e depois da criação do Instituto e comprova que pouco mudou com a mudança de gestão

Enquanto o governador do Distrito Federal mente sobre a saúde em sua propaganda eleitoral, um relatório de fiscalização da Secretaria Federal de Controle Interno (SFG), órgão ligado à Controladoria Geral da União (CGU), expõe diversas falhas na oferta do tratamento de câncer a pacientes do Instituto Hospital de Base (IHBDF).

O órgão fez inspeções no local no final de 2017 (antes da criação do Instituto) e em agosto deste ano, quando a unidade completou 8 meses sob administração de um Serviço Social Autônomo. O resultado não é surpresa para servidores e população e mostra que o paraíso apresentado por Rollemberg não existe.

De acordo com o relatório, o Instituto é habilitado pelo Ministério da Saúde como Centro de Alta Complexidade em Oncologia (CACON) desde agosto de 1999 e deve seguir diretrizes da Portaria nº 140/2014 do órgão.

Entretanto,

Deputados derrubam veto do governador e garantem previsão de R$ 100 milhões para GATA e Isonomia

Qua, 19 Set 2018

Emenda à LDO assegura recurso para 2019 por articulação do SindSaúde-DF com os parlamentares.

A Câmara Legislativa derrubou o veto do governador Rollemberg (PSB) que prejudicava os servidores e garantiu na Lei de Diretrizes Orçamentárias (LDO) recursos de R$ 80 milhões para execução da Gratificação de Atividade Técnico-Administrativa (GATA) e R$ 20 milhões para a Isonomia no orçamento de 2019 do DF.

A derrubada do veto foi uma grande vitória para os servidores da saúde, através do SindSaúde-DF, já que acaba com a desculpa dos governantes e do próprio STF, de não pagar por falta de previsão orçamentária.

A garantia foi feita a partir de um esforço coletivo do Legislativo e a partir de uma emenda de vários parlamentares - Júlio Cesar (PSB), Wellington Luis (MDB), Raimundo Ribeiro (MDB), Celina Leão (PP), Bispo Renato (PR) e Joe Valle (PDT), aprovada em junho (foto).

“Os deputados demonstraram espírito público e compromisso com a legalidade ao garantir o cumprimento das leis da Gata e da Isonomia, que vem sendo alvo do calote nesse governo”, comemorou a presidente do SindSaúde-DF, Marli Rodrigues.

Para a sindicalista, os servidores esperam há muito tempo a GATA nos contracheques e não aguentam mais esperar.

PECÚNIAS: Aposentados com doenças graves e maiores de 80 anos terão prioridade para receber

Qua, 19 Set 2018

Projeto aprovado na Câmara Legislativa beneficiará servidores da Saúde

Servidores aposentados com doenças graves, deficiência incapacitante física ou mental e maiores de 80 anos terão prioridade legal para receber as licenças-prêmio convertidas em pecúnia. A medida está prevista no Projeto de Lei Complementar (PLC) 142/2018, proposto pelo Executivo e aprovado pela Câmara Legislativa na última terça-feira (18).

O pagamento de licenças-prêmio convertidas em pecúnia aos servidores aposentados que não gozaram do benefício ao longo da carreira é um direito previsto no artigo 142 da Lei Complementar nº 840/11, que dispõe sobre o regime jurídico dos servidores públicos civis do DF.

Essa licença tem caráter indenizatório e é concedida ao servidor efetivo para três meses de descanso remunerado a cada cinco anos de trabalho. Quem não goza do direito, recebe o valor quando se aposenta.

Atraso

Mas a lei não tem sido cumprida pelo Governo do Distrito Federal.

Três pacientes morrem à espera de exames e fila para endoscopia chega a duas mil pessoas

Qua, 19 Set 2018
Números são de agosto e setembro e se referem a Região Sul, que compreende Santa Maria e Gama
Três pacientes que estavam internados na rede pública morreram nos meses de agosto e setembro à espera de exames. Dois deles aguardavam uma Colonoscopia na Região Sul, que compreende Santa Maria e Gama. A informação consta em memorando da Gerência de Assistência Clínica (Unidade de Pediatria) enviado à Gerência da Regional Sul, no último dia 11 de setembro.
“Comunicamos a ocorrência de 2 óbitos durante o mês de setembro, dentre os pacientes internados que aguardavam exames por motivos não avaliados. Observamos a partir desses dados que a oferta está muito aquém da necessidade da regional”, diz o documento que, apesar de ter sido assinado por três médicos pediatras e um ortopedista, não deixa claro se as mortes foram de crianças ou adultos.


documento1
Uma tabela inserida no memorando apresenta uma fila de espera com 915 pacientes para fazer uma colonoscopia na Região Sul.

Situação de caos no HRAN afeta pacientes e servidores e espera por exame pode durar um ano

Qua, 19 Set 2018

Sala de exame sem sistema de ar prejudica realização de polissonografia, banheiros não têm manutenção e servidores ficam sem lanche

Servidores e pacientes do Hospital Regional da Asa Norte (HRAN) têm enfrentado uma situação de caos na unidade de saúde. De acordo com um memorando da Unidade de Pneumologia, o ar condicionado da sala onde é feito o exame de polissonografia (procedimento que mede a atividade respiratória, muscular e cerebral durante o sono) está quebrado. Para que o exame seja feito, o paciente deve dormir no hospital e ser monitorado durante toda a noite.

“Em função disso alguns pacientes têm desistido de realizar o exame devido ao calor intenso da sala. Em outros casos, encontramos dificuldades de realização e captação dos dados, devido a sudorese profusa e dificuldade de dormir enfrentadas pelos pacientes”, afirma o servidor no documento.

O profissional ressalta que o HRAN é a única unidade de Saúde pública do DF que realiza o exame e que a fila de espera para realizá-lo pode chegar a mais de um ano.

TCDF quer esclarecimento da SES sobre gastos com pessoal no IHBDF

Qua, 19 Set 2018

Corte também quer respostas da Secretaria de Fazenda sobre divergências de valores repassado pela União ao DF

O Tribunal de Contas do Distrito Federal (TCDF) pediu que a Secretaria de Saúde dê esclarecimentos sobre os gastos com os salários, nos quatro primeiros meses deste ano, dos funcionários que substituíram os servidores públicos a partir da criação do Instituto Hospital de Base (IHBDF). Apesar de o Instituto ser gerenciado por um Serviço Social Autônomo, a Corte quer que o custeio das folhas de pagamento obedeça a Lei de Responsabilidade Fiscal (LRF).

A LRF prevê que o Poder Executivo dos Estados e do Distrito Federal utilize, no máximo, 49% de sua receita corrente líquida com salários de servidores. O documento do TCDF também alerta que, no primeiro quadrimestre deste, o DF já usou 90% do limite máximo estabelecido para esse tipo de despesa. Vale lembrar que o governo de Rodrigo Rollemberg (PSB) não seguiu as regras da LRF por três ano e, durante esse período, ficou impossibilidade de fazer novas contratações e conceder reajustes salariais.

Além

Tá sobrando dinheiro? GDF abre licitação para contratar plano de saúde para servidores da Codeplan

Ter, 18 Set 2018

SindSaúde entende que servidores têm o direito de benefícios, mas observa que tratamento é diferenciado para as categorias

O governo do Distrito Federal abriu um edital para contratar uma empresa de plano de saúde para atender os servidores da Companhia de Planejamento do Distrito Federal (Codeplan). Os profissionais do órgão já possuem plano e atual certame se refere a uma renovação do benefício. A licitação será aberta em 10 de outubro e tem previsão de custo em cerca de R$ 14,9 milhões, conforme publicação do Diário Oficial do DF desta terça-feira (18). A contratação terá vigência de 12 meses.

Em período eleitoral, e enquanto dá calote em parte os servidores, o GDF usa recursos da fonte 100, dinheiro destinado para o pagamento de despesas diversas, para privilegiar uma parcela dos servidores públicos em detrimento das demais.

O SindSaúde defende o bem estar de todas as categorias do funcionalismo público e considera que todos têm o direito aos benefícios do seu trabalho.

DESCASO DO GOVERNO: Teto de UTI do HRC desaba após chuva no Distrito Federal

Seg, 17 Set 2018

Situação mostra novamente o abandono e falta de manutenção nos prédios públicos

O período chuvoso começou no Distrito Federal e a falta de manutenção nos prédios públicos fica ainda mais evidente. O descaso do Governo do Distrito Federal traz risco de morte para pacientes e servidores.

Na tarde desta segunda-feira (17), uma forte chuva atingiu o DF e a água invadiu a Unidade de Terapia Intensiva (UTI) do Hospital Regional de Ceilândia (HRC). Segundo reportagem do Portal G1DF, o forro do teto desabou próximo a um dos leitos.

Segundo informações, quatro leitos foram bloqueados, e os pacientes que estavam internados na UTI tiveram que ser transferidos para outras unidades, como o Hospital Regional de Santa Maria e de Samambaia.

Ao portal, a Secretaria de Saúde afirmou que uma equipe de engenharia foi acionada para avaliar os danos causados. A pasta disse ainda que não houve registro de feridos.

Governo do DF tenta, sem sucesso, esconder problemas do IHBDF

Seg, 17 Set 2018

Pacientes enfrentam odisseia para marcar consultas de retornos e outros procedimentos

Está cada vez mais difícil para o governador Rodrigo Rollemberg (PSB) esconder os problemas do Instituto Hospital de Base (IHBDF), sua principal bandeira para angariar o sonho da reeleição.

A reportagem do SindSaúde esteve na manhã desta segunda-feira (17) no local e ouviu inúmeras queixas de pacientes que não conseguem marcar consultas de retorno ou cirurgias. Todas as pessoas ouvidas reclamam da mudança no sistema de marcação de consultas, que antes era feita diretamente nas especialidades médicas.

Atualmente, os servidores e funcionários do IHBDF usam o sistema DDI (Divisão de Documentação e Informação). Segundo um servidor ouvido pela reportagem, o sistema não atende bem as necessidades e não está funcionando bem.

Agendamento

José Félix da Cunha, de 71 anos, diz que desde maio está sem atendimento na cardiologia por conta de uma licença médica da profissional que sempre o atendia.

E se fosse a sua mãe, governador?

Seg, 17 Set 2018

Acompanho com angústia o lamento de tantas famílias que precisam da saúde pública do DF. Não sei se por esquecimento ou por falta de empatia mesmo, o atual governo tenta minimizar a dor dos usuários das unidades de saúde. E se fossem parentes dele? Se fosse a mãe dele na fila de espera por horas? Se fosse o filho sem UTI nos hospitais?

Quanto vale uma vida, senhor governador? Se não souber responder, pergunte ao seu secretário de Saúde, Humberto Fonseca. Dona Marcia Aparecida, de 74 anos, não está mais aqui para pedir um atendimento digno, mas a voz dessa mulher, abandonada pela gestão da Saúde do DF, continuará viva com o relato de seus filhos e na boca de todos que lutam por um sistema de saúde público de qualidade.

O “seu” Instituto Hospital de Base é uma maravilha na propaganda eleitoral.

Filho de mulher que morreu no IHBDF diz que a mãe tinha medo de voltar ao hospital

Seg, 17 Set 2018

Maria Aparecida morreu na unidade, segundo relatório médico, após inúmeras falhas de equipamentos

O filho de Maria Aparecida, 74 anos, que morreu no Instituto Hospital de Base (IHBDF) no último dia 2 de setembro, afirmou que a mãe tinha muito medo de voltar à unidade para ser atendida. Segundo relatório médico, a morte ocorreu após a falta de equipamentos e por conta da negligência do governo local.

Ilvan Martins Silva afirmou à equipe de comunicação do deputado distrital Wellington Luiz (MDB) que Maria Aparecida já havia feito um transplante de olhos na unidade de saúde e ficou horrorizada com a situação do local.

“Ela tinha um verdadeiro pavor dali, porque ela via cada situação ali, que causou um medo nela. Ela morria de medo de estar ali e, por ironia do destino, ela foi acabar de morrer lá”, disse Silva.

A morte de Maria Aparecida ganhou muita repercussão na última semana.