25.5 C
Brasília
quinta-feira, 23 maio, 2024

Brasil e Turquia elogiados pela OMS por liderarem medidas contra tabaco

Recomendações da Organização Mundial de Saúde evitaram 300 milhões de novos fumantes no mundo; relatório revela que uso do tabaco caiu nos últimos 15 anos; 40% dos países têm locais públicos fechados totalmente sem cigarro; fumo mata 8.7 milhões por ano.

Saiba Mais

Um relatório da Organização Mundial da Saúde, OMS, publicado nesta segunda-feira destaca que o número de fumantes caiu nos últimos 15 anos. E graças a uma série de diretrizes implementadas, o mundo tem menos pessoas que usando tabaco.

No topo da lista de nações que implementaram as medidas da OMS estão Brasil e Turquia, que foram elogiados pela agência da ONU.

Apenas alguns cigarros por dia são suficientes para aumentar os riscos
Unsplash/Fotografierende – Apenas alguns cigarros por dia são suficientes para aumentar os riscos

Menos fumantes no mundo

Com cerca de 71% da população mundial protegida com pelo menos uma recomendação para restringir o acesso ao tabaco, a OMS estima que as medidas evitaram 300 milhões de novos fumantes.

Segundo a OMS, o número de pessoas protegidas com iniciativas de prevenção aumentou cinco vezes. O levantamento aponta que 40% dos países têm locais públicos internos totalmente sem cigarro, evitando o fumo passivo. 

O relatório avalia ainda o progresso no controle do tabagismo e mostra que mais duas nações, Ilhas Maurício e Países Baixos, também implementaram as recomendações.

O estudo aponta que oito países estão a apenas uma política de se juntar aos líderes no controle do tabaco: Etiópia, Irã, Irlanda, Jordânia, Madagascar, México, Nova Zelândia e Espanha.

Segundo o diretor-geral da OMS, Tedros Ghebreyesus, os dados mostram que, lentamente, mais pessoas estão sendo protegidas contra os dados do tabaco e afirmou que a agência está pronta para apoiar mais países a implementar as recomendações.

Ex-presidente uruguaio enfrentou a indústria de tabaco transformando o seu país na primeira nação das Américas a proibir o fumo dentro de ambientes fechados em áreas públicas e em locais de trabalho, em 2006.
OMS | Ex-presidente uruguaio enfrentou a indústria de tabaco transformando o seu país na primeira nação das Américas a proibir o fumo dentro de ambientes fechados em áreas públicas e em locais de trabalho, em 2006.

Fumo passivo

Cerca de 1,3 milhão de pessoas morrem anualmente devido ao fumo passivo. No relatório, a agência destaca que todas essas mortes são totalmente evitáveis. 

As pessoas expostas ao tabaco correm o risco de perder a vida para doenças cardíacas, respiratórias derrames, diabetes tipo 2 e câncer. 

A OMS defende que os espaços públicos livres de cigarro são apenas uma política no conjunto de medidas de controle para ajudar os países a implementar as recomendações e conter a epidemia do tabagismo.

Para a agência, ambientes livres de fumaça ajudam as pessoas a respirar ar puro, protegem do fumo passivo, motivam os fumantes a parar, combatem o hábito e ajudam a impedir que jovens comecem a fumar ou usar cigarros eletrônicos.

Fonte: OMS | Fotos: Unsplash/Possessed Photograph

- Advertisement -spot_img

Últimas Notícias

Jurídico do Sindsaúde ganha quase 10 mil reais em causas para filiados

O departamento jurídico do SindSaúde obteve sucesso na Justiça em quatro ações de filiados na última semana, totalizando quase...

Departamento jurídico do Sindsaúde tem conquistado vitória em processos de pagamento dos precatórios para servidores com mais de 60 anos

Os advogados do Sindsaúde têm obtido sucesso consistente em processos de pagamento de precatórios para servidores da saúde com...

Servidores da saúde empenham-se na luta por recomposição salarial

No Clube da Saúde, nessa terça-feira, uma assembleia geral convocada pelo SindSaúde reuniu uma força-tarefa determinada pelos servidores da...
- Advertisement -spot_img
- Publicidade -spot_img