Notícias SindSaúde DF -
Campanha de vacinação contra vírus H1N1 é prorrogada até 9 de junho no DF

Campanha de vacinação contra vírus H1N1 é prorrogada até 9 de junho no DF

29/05/2017 - 09:38 // Por SindSaúde DF // Na Mídia

Medida foi tomada em razão do baixo número de pessoas vacinadas durante campanha. Entre grupos prioritários, crianças tiveram menor índice de imunização, de 46%.

A Secretaria de Saúde do Distrito Federal anunciou na manhã desta sexta-feira (26) que vai prorrogar a campanha de vacinação contra a gripe H1N1até o dia 9 de junho a pedido do Ministério da Saúde. A decisão foi tomada devido ao baixo índice de pessoas que se imunizaram.

Segundo o último balanço da pasta, 67,9% do público-alvo havia sido vacinado, o que corresponde 466.500 pessoas em todo o DF. A meta era atingir, ao menos, 90% dos grupos de riscos – o equivalente a 687.155 pessoas.

A crianças foram as que menos tomaram a vacina até hoje, apenas 46% foram imunizadas. A fim de ampliar os índices do público infantil, a pasta firmou parceria com Secretaria de Educação para fazer mutirões de vacinação em creches. A possibilidade de parceria com hospitais privados também foram divulgadas.

“Pretendemos que, por meio de parcerias, as vacinas cheguem a mais pessoas dos grupos de risco. Além disso, vamos oferecer vacinas às gestantes nas consultas de pré-natal e em ambulatórios. A intenção é que puérperas saiam dos hospitais já vacinadas”, disse o Secretario-ajunto de Assistência à Saúde, Daniel Seabra.

Até esta quinta-feira (25), 49,5% das gestantes tinham sido vacinadas. A cobertura é maior entre os idosos (82,3%) e professores (81,1%). “Idoso, crianças de 2 a 4 anos e os portadores de doenças crônicas são os três maiores e mais preocupantes grupos. Os idosos tendem a procurar mais, até por questão cultual”, disse Seabra.

O baixo índice de mortes e contaminação pelo vírus é um fator que contribuiu para a baixa demanda pela vacina, segundo o secretário-adjunto. Dados da secretaria mostram que, no ano passado, o vírus H1N1 causou 17 mortes no DF. Em 2017, foram registrados dois óbitos por contaminação pelo vírus H1N3.

Sobre a disponibilidade de vacinas, Seabra afirmou que há doses suficientes para todas as pessoas, porque a Secretaria de Saúde havia recebido do governo federal 755.900 doses, quantidade superior a 100% do público-alvo. De acordo com o secretário-adjunto, se 90% dos grupos prioritários forem imunizados, a vacina poderá ser disponibilizada ao público geral.

Grupos de risco
A campanha começou no dia 17 de abril e estava programada para terminar nesta sexta. Os grupos de risco classificados pelo governo incluem crianças entre 6 meses e 5 anos, grávidas, mães que tiverem bebê há menos de 45 dias, profissionais de saúde, pessoas com 60 anos ou mais, presos, funcionários do sistema prisional, pessoas portadoras de doenças crônicas não transmissíveis e professores, que foram incluídos entre os prioritários neste ano.

Fonte: G1 DF

Veja também:

Na Mídia Nem crianças escapam ao ódio de Rollemberg, amante da terceirização O caos que a saúde pública vive hoje no Distrito Federal não é apenas em...
Na Mídia Paciente oncológico é liberado no IHBDF por falta de aparelho para cirurgia Cinthia Gomes foi internada, mas equipamento do Instituto Hospital de Base está quebrado e ela...
Na Mídia Investimentos na saúde têm queda acentuada na gestão Rollemberg Nos três primeiros anos de governo, aplicações em obras, reformas e equipamentos caíram 51,36% em...
Na Mídia A Via-crúcis dos pacientes do DF que têm câncer *Coluna veiculada no site Metrópoles.A rede pública de saúde do Distrito Federal já foi referência...
© Blank Plazart - Free Joomla! 3.0 Template 2020