21.5 C
Brasília
quinta-feira, 25 abril, 2024

Setembro Amarelo – Estudo aponta aspectos comportamentais de crianças e adolescentes que possuem tendências suicidas

Pesquisa da Fiocruz tem como objetivo investigar e entender o tema neste grupo etário no Brasil

Saiba Mais

SindSaúde DF
SindSaúde DF
Sindicato dos Empregados em Estabelecimentos de Serviços de Saúde do Distrito Federal

Pesquisa da Fiocruz publicada na última sexta-feira (10), tenta investigar os comportamentos, causas, locais e tendências suicidas entre crianças e adolescentes no Brasil. A pesquisa intitulada Violência autoprovocada na infância e na adolescência mostra que já aconteceram 15.702 ocorrências de suicídio, no período de 2011 a 2014.

Os números apontam que o suicídio predomina entre as idades de 15-19 anos (76,4%), do sexo feminino (71,6%), e raça/cor da pele branca (58,3%). O estudo revela ainda que a residência foi o local mais frequente dessas ocorrências (88,5% de 10-14 anos; 89,9% de 15-19 anos), e o meio mais utilizado foi envenenamento/intoxicação (76,6% e 78%, respectivamente nas idades de 10-14 e 15-19).

Quanto às internações decorrentes das tentativas em adolescentes, houve 12.060 registros entre 2007-2016, com predominância do sexo feminino (58,1%) e maior ocorrência na Região Sudeste (2,7 e 7,0 notificações/100 mil habitantes, nos grupos de 10-14 e 15-19 anos, respectivamente). A Organização Mundial da Saúde (OMS) afirma que suicídio se tornou a segunda principal morte entre jovens com idade entre 15 e 29 anos.

A coordenadora de pesquisa, Joviana Avanci, do Departamento de Estudos sobre Violência e Saúde Jorge Careli da Escola Nacional de Saúde Pública (Ensp/Fiocruz), esclarece que, “é relativamente comum que na adolescência surjam ideias suicidas, pois fazem parte do desenvolvimento de estratégias para lidar com problemas, como o sentido da vida e da morte. Vem a ser um problema quando essas ideias se tornam a única ou a mais importante alternativa. A intensidade desses pensamentos, sua profundidade, duração, o contexto em que surgem e a impossibilidade de desligar-se deles são fatores que determinam a crise suicida. Um suicídio costuma ser pensado, planejado e antecedido por tentativas. Existem suicídios por impulso, mas são raros”, explica.

O estudo que contou com a participação do CNPq, tem o objetivo de apurar as causas de suicídio e de tentativa entre as crianças e adolescentes do país. As crianças possuem poucos dados que comprovem esse comportamento, no entanto, entre 2006 e 2017, foram identificados 58 óbitos de crianças brasileiras decorrentes desta causa, com a maioria sendo do sexo masculino, de cor da pele branca e com 9 anos de idade.

Clique aqui para saber mais sobre a pesquisa.

Umas das causas mais encontradas pelo estudo é a presença de vulnerabilidade no lar, como violências, falta de cuidado e apoio inter-relacional, que continua através das gerações. Muitas famílias mostram histórias familiares de rejeições, maus-tratos físicos, agressões verbais, violência sexual, uso de álcool e drogas.

Setembro amarelo

Durante o mês inteiro de setembro é celebrada a luta contra o suicídio que foi intitulado no dia 10 de setembro, pela organizado pela Associação Internacional para a Prevenção do Suicídio (IASP) e endossado pela Organização Mundial da Saúde (OMS). O evento tem a missão de chamar a atenção para prevenção do suicídio. Essa iniciativa é do Centro de Valorização da Vida (CVV), da Associação Brasileira de Psiquiatria e do Conselho Federal de Medicina, que disponibiliza centrais de atendimento para auxiliar a prevenção. 

Canais para ajuda:

Caso queira conversar com alguém e obter suporte emocional, entre em contato com a Centro de Valorização da Vida (CVV).

Mapa da Saúde Mental fornece uma lista de locais para atendimento voluntario online e presencial em todo país.

Pode Falar é especialmente para jovens e adolescentes, um canal que funciona de forma anônima e gratuita, fornecendo matérias de apoio e serviço.

  • Com informações do Portal Fiocruz
- Advertisement -spot_img

Últimas Notícias

Estudo do SindSaúde revela perda salarial de 37,8% para os servidores da saúde, gerando revolta e mobilização

Ser aprovado em um rigoroso concurso público, atravessando diversas etapas em busca da tão almejada estabilidade e segurança na...

Mais servidores recebem pagamentos por direitos garantidos, quase 15 mil reais pagos

O departamento jurídico do SindSaúde continua a lutar incansavelmente pelos direitos dos servidores, resultando em pagamentos semanais para dezenas...

A ponta do Iceberg da triste realidade da saúde pública do Distrito Federal

A face visível do problema da saúde pública no Distrito Federal revela-se através de um cenário alarmante: metade das...
- Advertisement -spot_img
- Publicidade -spot_img