26.5 C
Brasília
quarta-feira, 24 abril, 2024

Retroativo da terceira parcela; Servidores da saúde têm direito sagrado! SindSaúde se mantém firme nesse propósito

Mais de 30 mil servidores da saúde trabalharam mais de 1000 horas sem receber, afirma presidente do SindSaúde, Marli Rodrigues

Saiba Mais

SindSaúde DF
SindSaúde DF
Sindicato dos Empregados em Estabelecimentos de Serviços de Saúde do Distrito Federal

O clamor por justiça ecoa nos corredores da saúde pública do Distrito Federal. Os servidores da saúde, incansáveis que lutam diariamente, têm um direito que é mais do que sagrado: o retroativo da terceira parcela do reajuste. Sob a liderança firme da presidente do SindSaúde, Marli Rodrigues, a categoria se mantém inabalável nesse propósito.

Marli Rodrigues afirma categoricamente que o direito ao retroativo é inegociável. “Mais de 30 mil servidores dedicaram milhares de horas de trabalho em prol do bem-estar da população, muitas vezes sem o devido reconhecimento ou compensação, que é seu por direito. É chegada a hora de reverter esse cenário. A justiça será feita temos a convicção que os servidores serão ressarcidos”, afirma

A batalha pela justiça de carga horária, conquistada pelo SindSaúde e pela categoria após intensas mobilizações, remonta ao histórico movimento grevista de 2013. Na época, o Governo Agnelo reconheceu, com muita resistência, o direito dos servidores da saúde a uma carga horária equivalente de 20 horas semanais, independentemente do cargo ou especialidade.

No entanto, ao assumir o mandato em 2015, o Governo Rollemberg recusou-se a cumprir a terceira e última parcela do reajuste, dando o calote e deixando mais de 30 mil servidores desapontados e desiludidos.

Diante da intransigência do governo, o SindSaúde não se acovardou. Greves foram realizadas, propostas foram apresentadas, mas o compromisso não foi honrado. Foi então que centenas de ações judiciais foram iniciadas, algumas com vitórias parciais, outras infelizmente rejeitadas pelo Tribunal de Justiça do Distrito Federal e Territórios (TJDF).

Com a derrota do governo Rollemberg nas urnas, o SindSaúde renovou suas demandas ao Governo Ibaneis. Após incansáveis negociações, finalmente, em abril de 2022, o pagamento da diferença salarial correspondente à terceira parcela foi iniciado. No entanto, o valor retroativo ainda permanece pendente.

Esse pagamento representa o reconhecimento da legalidade da Lei nº 5.174/2013 pelo Governo do Distrito Federal, mas não encerra a luta. A questão da proporcionalidade remuneratória continua em pauta, especialmente para os servidores que sofreram prejuízos financeiros durante o período de transição de jornadas de trabalho.

Diante desses desafios, o SindSaúde-DF não recua. Ações coletivas estão em curso no Tribunal de Justiça do Distrito Federal e Territórios (TJDFT), buscando garantir que os servidores prejudicados recebam o retroativo que lhes é devido.

À medida que a batalha legal avança, o SindSaúde-DF promete continuar lutando pelos direitos legítimos dos servidores. Após o julgamento dos recursos em curso, a luta seguirá até o Superior Tribunal de Justiça (STJ), se necessário, em busca de justiça e equidade.

Se você deseja mais informações sobre essa importante matéria, agende uma consulta jurídica especializada na sede do SindSaúde-DF. Estamos aqui para receber você com a atenção e o apoio que merece!

Junte-se à nossa luta! Este sindicato é seu, e a vitória será de todos nós!

- Advertisement -spot_img

Últimas Notícias

Estudo do SindSaúde revela perda salarial de 37,8% para os servidores da saúde, gerando revolta e mobilização

Ser aprovado em um rigoroso concurso público, atravessando diversas etapas em busca da tão almejada estabilidade e segurança na...

Mais servidores recebem pagamentos por direitos garantidos, quase 15 mil reais pagos

O departamento jurídico do SindSaúde continua a lutar incansavelmente pelos direitos dos servidores, resultando em pagamentos semanais para dezenas...

A ponta do Iceberg da triste realidade da saúde pública do Distrito Federal

A face visível do problema da saúde pública no Distrito Federal revela-se através de um cenário alarmante: metade das...
- Advertisement -spot_img
- Publicidade -spot_img