26.6 C
Brasília
sexta-feira, 10 julho, 2020

Governo se compromete a dar fim no TPD e pagar passivos

Saiba Mais

SindSaúde DF
SindSaúde DF
Sindicato dos Empregados em Estabelecimentos de Serviços de Saúde do Distrito Federal

Em reunião com a presidente do SindSaúde, o governador diz que SES retomará com as horas extras

O governador Ibaneis Rocha (MDB) se comprometeu a extinguir o Trabalho Por Período Definido (TPD) e voltar a pagar as horas extras aos servidores da Saúde. O chefe do Executivo, no entanto, pretende concedê-las dentro do limite orçamentário, a partir de reais necessidades da população e sem antecipações de pagamentos.

“O TPD está sendo questionada na Justiça e nossa ideia é revogar e voltar com as horas extras dentro do limite necessário”, disse o governador. A afirmação foi dada ontem, em reunião no Palácio do Buriti, junto com a presidente do SindSaúde, Marli Rodrigues, e o secretário de Saúde, Osnei Okumoto.

Segundo ele, o governo anterior, em dezembro do ano passado, exagerou na concessão do TPD a funcionários públicos e, por conta disso, deixou débitos R$ 30 milhões. Apesar do passivo, o emebebista se comprometeu a pagar o que deve, a partir de um cronograma ainda a ser elaborado por sua equipe.

O SindSaúde sempre questionou o TPD, desde a sua criação em 2018, após aprovação na Câmara Legislativa. Na prática, esse tipo de regime de trabalho substituiu as horas extras, mas pagando menos do que era concedido anteriormente. Uma matéria publicada pelo SindSaúde, em outubro do ano passado, mostra que a defasagem depois da sua instituição pode chegar a 70%. 

De acordo com a presidente do SindSaúde, Marli Rodrigues, “o TPD causou muitas perdas salariais aos servidores da SES. Por conta disso,, muitos servidores desistiram de trabalhar além da sua jornada de trabalho, o que prejudica também a população”.  

Clique aqui para acessar o documento das pautas de reivindicações do SindSaúde acatadas pelo GDF 

- Advertisement -

Últimas Notícias

MP abre crédito extraordinário de R$ 348 milhões para Saúde, Educação e Cidadania

Principal destino do dinheiro é o Ministério da Saúde, R$ 332 milhões

Nova lei prioriza profissionais essenciais na realização de testes para Covid

Dezenas de categorias são consideradas essenciais pela lei, entre elas, médicos, policiais, assistentes sociais e dentistas

SindSaúde mantém atendimento online aos sindicalizados

A diretoria do SindSaúde em reunião nesta terça-feira (8), entendeu que ainda não é o momento adequado...
- Advertisement -
- Publicidade -
Precisa de ajuda??