25.5 C
Brasília
sábado, 23 outubro, 2021

Saúde renova contrato com empresa investigada pelo MP

Saiba Mais

SindSaúde DF
Sindicato dos Empregados em Estabelecimentos de Serviços de Saúde do Distrito Federal

Procuradores afirmam que a manutenção prestada pela companhia põe em risco a vida e integridade física de pacientes

Mesmo após denúncia do Ministério Público do Distrito Federal (MPDFT), a Secretaria de Saúde decidiu prorrogar por 12 meses um contrato com uma empresa de reparos de equipamentos hospitalares que, segundo o órgão de fiscalização, “colocam em risco a vida e a integridade física de dezenas de pacientes”. De acordo com o MP, a empresa sequer possui certidão de funcionamento junto ao governo local e órgãos de Vigilância Sanitária.

A única mudança ocorrida foi a modificação da razão social da empresa CONSTRUTORA CONCRETO – EIRELI para BUCAR ENGENHARIA E METROLOGIA – EIRELI. O novo contrato está vigente desde 7 de julho deste ano, mas a informação foi publicada no Diário Oficial do DF em 8 agosto. A prorrogação custará cerca de R$ 147 mil aos cofres públicos.

A constatação foi feita pela Associação das Empresas do Segmento Médicos Hospitalar e Laboratorial (ASSEMEDH – DF) – entidade que encaminhou a denúncia de irregularidades ao MP em novembro de 2017. O SindSaúde noticiou em 20 de julho.

Os promotores do Ministério Público afirmam que a empresa faz reparos e usa peças não originais nos equipamentos para baixar custos, além de não ter profissionais capacitados para prestar o serviço para que foi contratada. Ao visitar o endereço da Construtora Concreto, foram encontradas peças essenciais faltando em aparelhos, equipamentos amontoados e um ambiente sem estrutura.

Multa

Em outubro do ano passado, a própria Secretaria de Saúde já havia multado a companhia em R$ 160 mil por descumprimento contratual. A construtora não conseguiu cumprir com a responsabilidade de manutenção de aceleradores lineares do Hospital de Base. Por conta do imbróglio, pacientes com câncer ficaram 5 meses sem tratamento.

A presidente do SindSaúde, Marli Rodrigues, espera celeridade da Justiça diante da gravíssima denúncia. “O que está em jogo é um contrato de um serviço que não é prestado corretamente. A população do DF não pode ficar à mercê de uma empresa com tantas denúncias”.

Procurada, a Secretária de Saúde não comentou o assunto.

- Advertisement -spot_img

Últimas Notícias

ESSA É A NOSSA 3ª PARCELA – SindSaúde disponibiliza tabela do pagamento da diferença das 4 horas

A área técnica do SindSaúde elaborou a tabela com os ganhos salariais do pagamento da diferença das 4 horas...

Prêmio Congresso em Foco ocorreu nesta quinta-feira (21)

A 14ª edição do Prêmio Congresso em Foco aconteceu nesta quinta-feira (21), de forma híbrida, e premiou deputados e...

Antecipada a segunda dose das vacinas AstraZeneca e Pfizer no DF

A Secretária de Saúde anunciou na quinta-feira (21), que será antecipada a partir desta sexta-feira (22), a vacinação contra...
- Advertisement -spot_img
- Publicidade -spot_img