22.5 C
Brasília
sexta-feira, 28 janeiro, 2022

Dezembro Vermelho: 12 mil pessoas têm HIV/Aids no DF

A maioria das pessoas vivendo com o vírus tem entre 20 e 29 anos – são 1.535 casos, ou seja, 50% do total

Saiba Mais

SindSaúde DF
Sindicato dos Empregados em Estabelecimentos de Serviços de Saúde do Distrito Federal

Dezembro é o mês de Luta contra Aids, epidemia que completa 40 anos em 2021. No Distrito Federal, 12 mil pessoas vivem com HIV (sigla em inglês do vírus da imunodeficiência humana) ou Aids em tratamento, segundo a Secretaria de Saúde do DF.

Entre 2016 e 2020, a capital federal teve 526 mortes e 3.536 novos casos. Segundo o Sistema de Informação de Agravos e Notificação (Sinan) do Ministério da Saúde, 85% dos infectados no DF são homens e a maioria das pessoas que vivem com o vírus são jovens entre 20 e 29 anos. 

“Chegamos a 40 anos de luta contra a Aids, mas essa pandemia não foi vencida. Conforme as desigualdades se aprofundam e o preconceito continua, o Estado empurra mais pessoas às margens da sociedade, afastamos elas de serviços de saúde e medicamentos que salvam vidas”, afirma a presidente do SindSaúde-DF, Marli Rodrigues. 

HIV no Brasil

Com jovens entre os principais infectados pelo vírus HIV, o desafio tem sido, cada vez mais, fazer com que a população invista em prevenção e procure tratamento de forma precoce para não contrair o vírus ou conviver com ele sem desenvolver a Aids. 

A estimativa dos órgãos de saúde é que cerca de 11% da população brasileira esteja contaminada com o vírus HIV e não sabe. Foram 41.909 novas infecções confirmadas e 10,5 mil mortos em 2019 em decorrência da doença.

No DF, foram 690 contaminações e 96 mortes em 2020. Em 2021, foram 581 contaminações confirmadas e 76 óbitos.

Locais para tratamento no DF

O DF oferece, na rede pública de Saúde, testes para diagnóstico e tratamento de HIV/Aids. 

São 11 locais de referência:

Centro Especializado em Doenças Infecciosas (Cedin), antigo Hospital Dia da 508 Sul;

Policlínicas do Lago Sul, de Ceilândia, de Taguatinga, de Planaltina, do Paranoá, de Sobradinho e do Gama;

Ambulatórios de infectologia do Hospital de Base, do Hospital Regional de Santa Maria e de Sobradinho e do Hospital Universitário de Brasília (HUB);

Unidades Básicas de Saúde (UBS) oferecem testes rápidos e fornecem insumos de prevenção, como preservativos e gel lubrificante;

A rede de urgência e emergência atua no atendimento aos usuários que necessitam de Profilaxia Pós-Exposição (PEP) ao HIV e outras infecções sexualmente transmissíveis após exposição sexual consentida, violência sexual e acidentes com materiais biológicos;

No mezanino da Rodoviária do Plano Piloto, o Núcleo de Testagem e Aconselhamento faz testagem rápida para HIV, sífilis e hepatites virais.

Durante todo o mês de dezembro, a SES terá campanha para conscientização sobre a prevenção e combate ao vírus HIV.

- Advertisement -spot_img

Últimas Notícias

2.712 servidores recebem mais de R$ 9,8 milhões em pecúnias nesta sexta (28/1)

A Secretaria de Saúde do DF divulgou o pagamento de R$ 9.817.703,40 (nove milhões, oitocentos e dezessete mil, setecentos...

SES paga TPD de novembro nesta sexta-feira (28)

Secretaria de Saúde paga na noite desta sexta-feira (28), os valores referentes ao Trabalho por Período Determinado (TPD) realizado...

Anvisa aprova uso de autotestes de Covid no Brasil

A Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) aprovou, nesta sexta-feira (28), durante sua 3ª Reunião Extraordinária Pública do ano,...
- Advertisement -spot_img
- Publicidade -spot_img