Determinação do tribunal complica funcionamento do HRSAM

Qui, 13 Fev 2014

Por determinação do Tribunal de Contas, a Secretaria de Saúde do Distrito Federal (SES/DF) implantou o ponto digital em toda a rede, mas o sistema não tem funcionado. Sem trazer benefício algum, a medida gera reclamações em todas as regionais.

No Hospital de Samambaia (HRSAM), foram instalados dois equipamentos para o registro do ponto, mas, atualmente, apenas um está em funcionamento. Dezenas de servidores se aglomeram, tanto na entrada, quanto na saída dos plantões, e chegam a perder até 40 minutos na fila, isso quando o sistema não dá problema e agrava ainda mais a situação.

Para Marques, motorista do HRSAM e diretor do SindSaúde, a cena mais parece uma feira. “É sempre uma grande confusão e o constrangimento é geral”. Segundo ele, “nem a administração, nem a diretoria, estão tomando providências, pois o transtorno vem se arrastando há dias”.

A direção do SindSaúde já enviou ofício à Secretaria de Saúde e os servidores esperam um posicionamento do secretário da pasta, Dr.

Menos pressão do Entorno

Qua, 12 Fev 2014

O Hospital Regional de Samambaia (HRSM) nada na direção contrária de muitas regionais de Saúde que sofrem com a pressão do Entorno. A média de atendimentos a pacientes do Entorno e outros estados é menor do que a apresentada em todo o Distrito Federal. 23% dos internados no DF entre janeiro e outubro de 2013 são de fora, enquanto no HRSM esse número ficou um pouco acima dos 9%. Nas emergências esse valor chega a 5,34%, contra os 16,31% apresentados pela soma de todos os hospitais

Ampliações e reformas

Qua, 12 Fev 2014

Após reivindicar por muito tempo melhorias para o Hospital Regional de Samambaia (HRSAM), o SindSaúde começa a enxergar alguns resultados dessas lutas. Setores como pronto socorro, clínica médica, lavanderia e radiologia foram reformados nos últimos anos. A Unidade de Terapia Intensiva (UTI) teve o número de leitos dobrados, contando hoje com 20. No ambulatório esse número saltou de três para seis e o centro cirúrgico também foi ampliado.

40 horas para servidores do arquivo

Qua, 12 Fev 2014

Para melhorar o serviço no setor de arquivo do Hospital Regional de Samambaia (HRSAM), os trabalhadores acreditam que é necessária a concessão de ampliação de carga horária para todos. Dos cinco trabalhadores do setor, dois cumprem jornada de 30 horas semanais e aguardam junto à Secretaria de Saúde (SES-DF) uma resposta sobre o pedido de 40 horas.

Equipamentos novos chegam a Sobradinho

Qua, 12 Fev 2014

Sucatas de um passado de descasoPilhas de móveis e utensílios velhos ilustram muito bem o sucateamento sofrido pelo SUS no Distrito Federal dos últimos 30 anos.

Recordamos que, num passado não muito remoto, por inúmeras vezes os servidores eram obrigados a fazer pequenos reparos para que as coisas continuassem funcionando. Amarravam aqui, desentortavam ali, e assim iam “remendando” a Saúde no DF.

Essa realidade ficou um pouco diferente. Ao visitarmos as regionais, podemos observar com muita coisa foi trocada.

Em Sobradinho, macas velhas deram lugar às novas, além da unidade ter ganhado um aparelho de tomografia e focos cirúrgicos novos.

Novos equipamentos facilitam o serviço do profissional de Saúde e garantem uma melhor assistência ao paciente. Mas, só isso não basta, faz-se necessário investir no servidor, modernização das estruturas e valorização profissional, receita do SindSaúde para termos o SUS que queremos.

Obra da Clínica Médica espera licitação para ser concluída

Qua, 12 Fev 2014

Mesmo sendo divulgada como obra concluída, a reforma da Clínica Médica do Hospital Regional de Sobradinho ficou parada no meio do caminho.

Segundo informações da própria coordenação da regional, apenas 70% do projeto foi executado e o restante aguarda licitação para ter continuidade. Até agora, ninguém soube informar quando se dará a retomada dos trabalhos e nem os benefícios que trarão ao setor.

O SindSaúde, em suas três décadas de fundação, sempre defendeu a modernização dos espaços de trabalho para oferecer melhores condições de trabalho para o servidor.

Frota renovada

Qua, 12 Fev 2014

Para agilizar e implementar os serviços, o HRS usufrui de uma frota de veículos novos e sempre a postos.

Transportando pacientes, documentos ou insumos, os automóveis encurtam as distâncias entre as várias unidades da regional de saúde de Sobradinho que, durante muitos anos, sofreu com o sucateamento do setor.

Reivindicação antiga do SindSaúde, a renovação da frota garante mais segurança e conforto ao servidor. Os motoristas gostaram da mudança, mas não perderam a oportunidade de reforçar o pedido por ampliação da jornada de trabalho para alguns profissionais que ainda não receberam o benefício. “O GDF já investiu no setor com a compra de carros novos. Agora é hora de investir no trabalhador concedendo a jornada ampliada de 40 horas que muitos solicitaram, mas ainda não conseguiram”, defendeu um dos motoristas de plantão.

Perder peso para ganhar saúde

Qua, 12 Fev 2014

O setor de Endocrinologia do Hospital Regional de Sobradinho criou, há um ano e meio, o grupo Peso Consciente que trata dos distúrbios emocionais que desencadeiam a obesidade.
Muito mais que ensinar a comer corretamente, a equipe composta por psicólogos, endocrinologistas, clínicos, enfermeiros e técnicos, tratou dos 135 pacientes participantes do programa e os resultados foram os mais satisfatórios. Muitos dos que chegaram ao grupo fazendo uso de medicamentos como insulina, por exemplo, hoje não precisam mais tomar a medicação. Alguns pacientes chegaram a perder até 30% do peso corporal, o que é um grande avanço.
Seguindo sua própria linha de pesquisa, a endocrinologista Françoise Cancio, coordenadora do Peso Consciente, defende que não adianta combater a obesidade sem diagnosticar e tratar sua causa que, na maioria dos casos, está ligada a dependência alimentar, ao transtorno de ansiedade, a depressão ou a compulsão alimentar.

Sobradinho prioriza novas vidas

Qua, 12 Fev 2014

O reforço garantido pela construção do Bloco Materno-Infantil do Hospital Regional de Sobradinho (HRS) ganhou ainda mais expressão com a Unidade de Terapia Intensiva (UTI) neonatal que oferece dez leitos para os recém-nascidos de Sobradinho e também Planaltina.

Com essa UTI neonatal, o Distrito Federal passa a contar com 57 leitos na especialidade, sendo 15 no Hospital Materno Infantil de Brasília (HMIB), 18 no Hospital Regional de Santa Maria (HRSM), oito em Ceilândia e seis em Taguatinga.

Antes da implantação da unidade, o HRS só possuía o centro de terapia intermediária, voltado para tratamentos menos graves aos recém nascidos. Casos mais complicados eram encaminhados aos demais hospitais da rede.

O sentimento dos servidores da Saúde em Sobradinho é de que novas estruturas e equipamentos contribuem e facilitam na prestação dos serviços, mas, de forma contundente, ainda existe uma lacuna no investimento ao servidor.

Dando à luz

Qua, 12 Fev 2014

Um dos diferenciais do Hospital Regional de Sobradinho é o Bloco Materno-Infantil construído há pouco mais de um ano. O prédio novo e moderno de 3.600 m² garantiu à unidade um reforço de mais 24 leitos obstétricos. Os partos que eram em número de 180 triplicaram para uma média de 450 ao mês e, só em 2013, nasceram 2015 crianças.

Dividido em dois pavimentos, o Materno-Infantil de Sobradinho está instalado próximo ao serviço de pediatria do hospital e possui consultórios ginecológicos, sala para ecografias e cardiografias, leitos para gestantes hipertensas e leitos para observação, além de oferecer um atendimento de 24 horas.

Muito mais segurança e conforto para as mamães da cidade satélite de Sobradinho e boas-vindas especiais para os novos bebês do DF.

HRS na web

Qua, 12 Fev 2014

Dando continuidade ao projeto de divulgar as regionais de saúde na web, o SindSaúde esteve no HRS. Além de acompanhar de perto o dia a dia da unidade, nosso sindicato foi ouvir os servidores e conferir se, o GDF tem realizado ações que facilitem o trabalho e melhorem o atendimento.

Todos que acessarem essa página terão a oportunidade de conhecer quem constrói o SUS de verdade, e terão acesso as informações que não estampam as manchetes dos jornais. Conhecerão de perto os profissionais que improvisam o dia a dia da Saúde e dão conta do recado para que ninguém fique sem atendimento. Pessoas que amam o que fazem e sempre doam parte de si para que tudo saia o melhor possível.

É uma bela e árdua história que está apenas começando e precisamos de todos para que continue sendo escrita. Seja um agente nessa construção, e principalmente, em sua divulgação.

Fertilização assistida do HMIB é referência em todo o país

Qua, 12 Fev 2014

Afim de valorizar os nossos trabalhadores, o SindSaúde busca sempre divulgar atuações que se destaquem na categoria. Exemplo de trabalho profissional e visionário, o Centro de Ensino e Pesquisa em Reprodução Assistida do Hospital Materno Infantil de Brasília (CEPRA – HMIB) é referência em todo o país por fornecer de forma totalmente gratuita tratamentos de inseminação e fertilização.

O programa, que neste ano completa 16 anos de existência, conta com uma equipe multiprofissional, formada por médicos, biólogos, auxiliares de enfermagem, geneticista, andrologista, enfermeiro e psicólogo. “É uma equipe da melhor qualidade”, avalia a diretora do CEPRA e coordenadora do Núcleo de Reprodução Humana, drª Rosally Rulli Costa. Segundo ela, só em 2013, cerca de 8 mil casais foram atendidos, desse total, cerca de 300 casais por ano passam pela triagem de reprodução assistida. Até hoje, mais de trezentos tratamentos obtiveram sucesso.

Nefrologia do HBDF, referência no Brasil

Ter, 11 Fev 2014

Centro de Nefrologia do HBDFReferencia no Brasil, o centro de nefrologia do Hospital de Base do Distrito Federal foi parte integrante da história de Brasília, quando realizou seu primeiro transplante de rins, no ano de 1982. Desde então atuando com afinco para benefício da população, transplantando mais de 1.120 pacientes.

Aparelhos de boa tecnologia, técnicos treinados e enfermeiros especializados compõem a saudosa equipe do centro de nefrologia do HBDF na realização de transplante renal, hemodiálise e diálise peritoneal, entre outros procedimentos inerentes a saúde dos pacientes da nefrologia.

UTI do HBDF: equipamentos novos

Ter, 11 Fev 2014

Novos equipamentos na UTI do HBDFA unidade de tratamento intensivo do Hospital de Base do Distrito Federal, referência no Brasil, é dividida em: UTI pediátrica e UTI adulto, ambas com equipamentos novos, substituídos recentemente. Com uma infra-estrutura considerável, o HBDF recebe pacientes do entorno e de todos os locais do Brasil, mas com a crescente demanda dos pacientes, ficou pequeno para tanto atendimento, internações e intervenções efetuadas pelo hospital.

Ao contrário do que acontecia num passado bem recente – quando UTIs eram locadas com dinheiro público para enriquecer empresários e outros interessados – a unidade de tratamento intensivo do hospital de base Distrito Federal vem crescendo numa escala extraordinária em renovo de material e tecnologia, na exaustiva tentativa de suprir toda a demanda que lhe é ofertada.

Atualmente, o quantitativo de técnicos de enfermagem e enfermeiros , apesar das inúmeras contratações feitas pelo GDF, é insuficiente para a demanda de internações nas UTIs.

Centro de emergência é referência para outras regionais

Ter, 11 Fev 2014

Criado em 2012, o centro de emergência do Hospital Regional do Guará (HRGU) possui duas salas, uma para pacientes que devem ser atendidos imediatamente (vermelha) e outra para os que correm menos risco (amarela). O setor é fruto de uma parceria com o Serviço Médico de Urgência (SAMU) “Esse tipo de cuidado rende resultados positivos, pois a população é atendida rapidamente e isso não depende de chegar aqui de ambulância ou por conta própria”, conta uma servidora.

O setor é referência para outras unidades no DF já que, além do HRGU, somente os hospitais de Ceilândia (HRC) e de Base (HBDF) possuem um centro de emergência.

Falta de pessoal exige esforço dobrado dos servidores

Ter, 11 Fev 2014

O setor de Emergência Pediátrica do Hospital Materno Infantil de Brasília (HMIB),referência em atendimentos e intervenções pediátricas, passam por algumas problemáticas devido a enorme demanda de pacientes vindo de todo o Brasil, com destaque para os pacientes regionais e do entorno. O déficit de pessoal é tão grande que todos os servidores do setor trabalham mais do que a escala normal ( horas extras), a defasagem de material também é grande, existem 30 leitos na emergência, quantitativo não suficiente para atender as necessidades do hospital. “São 30 leitos, fora os que ficam no corredor”, disse a servidora.

UTI materna: pacientes demais, médicos de menos

Ter, 11 Fev 2014

Apesar de ter sido alvo de melhorias como a compra de novos equipamentos, a Unidade de Terapia Intensiva (UTI) Materna do Hospital Materno Infantil de Brasília (HMIB) tem sofrido com a falta de médicos. O setor conta com sete médicos, um deles temporário que foi contratado justamente para tentar desafogar a demanda. Outros sete enfermeiros trabalham no local.
Dos dez leitos da UTI Materna, dois estão parados por falta de mão de obra.

Arquivo: altura do balcão incomoda

Ter, 11 Fev 2014

No Arquivo do Hospital Materno Infantil de Brasília (HMIB) a reclamação é a altura do balcão de atendimento. Segundo servidores, ele parece ter sido mal projetado, pois é muito alto, o que causa aos servidores incômodos e até dor nas costas. Outro ponto citado pelos trabalhadores é a falta de planejamento quando algum profissional se afasta. “Às vezes alguém entra de abono ou férias e isso sobrecarrega o trabalho”, conta uma servidora. Sete trabalhadores atuam no setor, mas um deles está de licença.

Transporte do HMIB com poucos motoristas

Ter, 11 Fev 2014

No Arquivo do Hospital Materno Infantil de Brasília (HMIB) a reclamação é a altura do balcão de atendimento. Segundo servidores, ele parece ter sido mal projetado, pois é muito alto, o que causa aos servidores incômodos e até dor nas costas. Outro ponto citado pelos trabalhadores é a falta de planejamento quando algum profissional se afasta. “Às vezes alguém entra de abono ou férias e isso sobrecarrega o trabalho”, conta uma servidora. Sete trabalhadores atuam no setor, mas um deles está de licença.

Arquivo informatizado no HRGU

Ter, 11 Fev 2014

Com um arquivo informatizado, as necessidades desse setor são, na atualidade, novos servidores e a capacitação dos antigos.