19.5 C
Brasília
sábado, 12 junho, 2021

Câmara aprova MP que viabiliza a desestatização da Eletrobras

Esse tipo de Medida Provisória possibilita que outras estatais sejam desestatizadas futuramente

Saiba Mais

SindSaúde DF
SindSaúde DF
Sindicato dos Empregados em Estabelecimentos de Serviços de Saúde do Distrito Federal

A Medida Provisória 1031/21 que prevê a desestatização da Eletrobras, estatal vinculada ao Ministério de Minas e Energia foi aprovada nesta quinta-feira (20), na Câmara dos Deputados. A Eletrobras corresponde a 30% da energia gerada do país. Agora a proposta do deputado Elmar Nascimento (DEM-BA) é enviada ao Senado.

A MP disponibiliza a emissão de novas ações da Eletrobras, que podem ser vendidas no mercado sem a participação da empresa, com isso a União perde parte do controle acionário de voto. Essa proposta é a mesma da PL 5877/19 que foi enviada, mas não chegou a ser aprovada.

Contudo, apesar de perder uma parte do poder, a União terá uma espécie de “ação de classe” (golden share), que proporciona poder de veto em possíveis decisões em assembleias de acionistas.

O deputado Elmar Nascimento (DEM-BA), relator da MP afirma que, “buscamos redirecionar para os pequenos e médios consumidores, e não para os grandes, os principais benefícios dessa importante mudança no marco do setor elétrico”.

Capitalização da Eletrobras

O deputado Elmar reestruturou o parecer e retirou a contratação de energia reservada de termelétricas movidas a gás natural em montante equivalente a 1.000 MW em estado do Nordeste que ainda não tenha gasoduto e outros 5 mil MW nas regiões Norte e Centro-Oeste.

No entanto, essas térmicas terão que ser contratas por 15 anos consecutivos, com entrega de 1.000 MW em 2026, 2 mil MW em 2027 e 3 mil MW em 2028. O preço será de acordo com o teto do leilão de energia da Agência Nacional de Energia Elétrica (Aneel) de 2019 para térmicas a gás natural (leilão A-6).

A operação acionária da Eletrobras só será possível depois da transformação da MP em lei. O Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES) terá a disponibilidade de iniciar estudos para a emissão de novas ações.

Para saber mais sobre a proposta clique aqui.

Trabalhadores

Aos empregados demitidos na reestruturação da empresa poderá ser feito, em até 6 meses, através da compra de ações, fornecer o dinheiro da rescisão trabalhista. A União terá também a condição de remanejar os empregados para outras empresas do mesmo setor. Entretanto, o líder do governo, deputado Ricardo Barros (PP-PR), argumenta que o governo não terá essa obrigação.

- Advertisement -spot_img

Últimas Notícias

Servir Brasil integra comissão especial para discutir a Reforma Administrativa

Foi instalada nesta quarta-feira (9) a Comissão Especial da Reforma Administrativa - PEC 32/20 que contará com a participação...

Pessoas com 53 a 59 anos ou mais sem comorbidades podem agendar vacinação contra a Covid-19

O Distrito Federal ampliou a faixa etária de vacinação contra a Covid-19. Pessoas a partir de 53 anos sem...

Plantão Covid 19 – acompanhe as principais notícias do Brasil e do mundo sobre o coronavírus [JUNHO]

O SindSaúde-DF reúne abaixo as principais notícias sobre Coronavírus no Brasil e no mundo. Tudo que está sendo dito...
- Advertisement -spot_img
- Publicidade -spot_img