No DF, vacina da gripe chegou a apenas 22,3% do público alvo até esta segunda

No DF, vacina da gripe chegou a apenas 22,3% do público alvo até esta segunda

09/05/2017 - 10:19 // Por SindSaúde DF // Na Mídia

Campanha de vacinação começou no dia 17 de abril, e vai até 26 de maio. Crianças menores de 5 anos tiveram menor cobertura vacinal, diz secretaria.

Até esta segunda-feira (8), apenas 22,3% das 687,1 mil pessoas que compõem os "grupos de prioridade" da vacinação contra a gripe no DF tinham recebido a imunização, apontam dados da Secretaria de Saúde.

A campanha nacional se iniciou no dia 17 de abril e vai até o dia 26 de maio.

Crianças com idade entre 6 meses e 5 anos, grávidas, mães que tiveram bebê há menos de 45 dias, profissionais de saúde e pessoas com 60 anos ou mais estão entre os que já podem se vacinar.

Também estão no grupo prioritário presos, funcionários do sistema prisional, pessoas portadoras de doenças crônicas não transmissíveis e professores, que foram incluídos no grupo de risco este ano.

Entre o público-alvo, o grupo que apresenta menor cobertura vacinal até o momento é o de crianças de 6 meses a menores de 5 anos. Desse grupo, apenas 11,5% foram vacinadas. Já o que teve maior cobertura vacinal foram os trabalhadores de saúde, com 38,8% de cobertura.

Ao todo, 116,9 mil doses da vacina foram aplicadas. A Secretaria de Saúde diz esperar um aumento significativo no número no Dia D, previsto para 13 de maio, das 8h às 17h. Na ocasião, pessoas dos grupos de risco poderão contar com mais 20 unidades móveis para se vacinar.

Segundo a pasta, este dia concentra a maior parte da população que procura as Salas de Vacina. No ano passado, 30% do total das doses consumidas pelos grupos de risco foram aplicadas no Dia D.
As vacinas estão disponíveis em 130 dos 180 postos de saúde de Brasília, de segunda a sexta, das 8 às 17 horas.

Mortes por gripe no DF

De acordo com a Secretaria de Saúde, em 2017 não houve registro de morte por influenza A H1N1, porém foram registradas duas mortes por influenza A H3, conhecido popularmente como o da gripe.

De acordo com a pasta, a segunda morte foi no último dia 4 de maio. A vítima é uma mulher de 52 anos, que já tinha doenças crônicas. Ela sofria de pneumopatia, de doença cardiovascular crônica e de obesidade.

O outro caso foi divulgado no dia 27 de maio. A vítima foi uma mulher de 43 anos que, de acordo com o governo, também era portadora de uma doença crônica (diabetes).

Segundo o boletim da secretaria, as mortes ocorreram no Riacho Fundo I e no Itapoã.

Em 2016, no mesmo período, foram registrados 12 mortes, sendo 10 relacionadas ao Influenza A H1N1, um por Adenovírus e o outro por Metapneumovírus.

Como evitar a transmissão:

Frequente lavagem e higienização das mãos, principalmente antes de consumir algum alimento;

Utilizar lenço descartável para higiene nasal;

Cobrir nariz e boca quando espirrar ou tossir e higienizar as mãos em seguida;

Evitar tocar mucosas de olhos, nariz e boca;

Não compartilhar objetos de uso pessoal, como talheres, pratos, copos e garrafas;

Manter os ambientes bem ventilados;

Evitar contato próximo a pessoas que apresentem sinais ou sintomas de gripe;

Evitar aglomerações e ambientes fechados;

Adotar hábitos saudáveis, como alimentação balanceada e ingestão de líquidos.

Fonte: G1

Veja também:

Na Mídia Nem crianças escapam ao ódio de Rollemberg, amante da terceirização O caos que a saúde pública vive hoje no Distrito Federal não é apenas em...
Na Mídia Paciente oncológico é liberado no IHBDF por falta de aparelho para cirurgia Cinthia Gomes foi internada, mas equipamento do Instituto Hospital de Base está quebrado e ela...
Na Mídia Investimentos na saúde têm queda acentuada na gestão Rollemberg Nos três primeiros anos de governo, aplicações em obras, reformas e equipamentos caíram 51,36% em...
Na Mídia A Via-crúcis dos pacientes do DF que têm câncer *Coluna veiculada no site Metrópoles.A rede pública de saúde do Distrito Federal já foi referência...