26.3 C
Brasília
quarta-feira, 12 agosto, 2020

Mais um calote do GDF

Saiba Mais

SindSaúde DF
SindSaúde DF
Sindicato dos Empregados em Estabelecimentos de Serviços de Saúde do Distrito Federal

Governo Rollemberg anuncia que não irá pagar os reajustes salariais e incorporações devidas a 33 categorias. Além disso, questiona a validade das leis, que já foram julgadas constitucionais pelo Tribunal de Justiça do DF

Não bastasse anunciar o  parcelamento de salários dos servidores do DF, o GDF comunicou com orgulho o aperto no caixa, declarando que não deverá pagar, em sua gestão, os reajustes e as incorporações, devidas aos servidores, conforme determinam várias leis. 

“Somos o único governo que não criou despesa de caráter continuado”, escarneceu o secretário da Casa Civil, Sergio Sampaio. 

A presidente do SindSaúde, Marli Rodrigues, afirma que essa confirmação é a cristalização do calote consumado. 

“Como sempre, o governo Rollemberg não cumpre nada. Usam esse discurso de que os gastos excessivos com pessoal impedem o GDF de investir em outras áreas, apostanto que, ao lançar mão desse ardil, terá a  opinião pública ao seu lado. Essa é mais uma prova de que eles não entendem nada de gestão, e usam o servidor como escudo para blindar  sua péssima administração”, destacou. 

Marli lembra que os embates entre o governo Rollemberg e os servidores públicos vêm desde o início da gestão. 

“A postura dele mudou após assumir o governo. Quando senador, foi um defensor entusiasta da isonomia de 20h para todos. Na campanha,  prometeu valorizar e cumprir os acordos feitos com os sindicatos e a gestão passada. Ao assumir, adotou postura ditatorial, se negou às negociações e foi questionar a legalidade das leis que amparam os servidores. Perdeu por unanimidade. O plenário do TJDF declarou a constitucionalidade de todas as normas jurídicas ajuizadas”. 

É importante destacar que, em  decisão recente do Supremo Tribunal Federal, os magistrados pacificaram o entendimento de os reajustes de salários podem ser adiados por estados falidos, mas não cancelados. E pelo que sabemos, o DF não está falido. Aliás, esse é outro grande mistério desse governo: a verdade sobre o caixa do tesouro…

Sindicatos buscam união para o embate

O SindSaúde faz coro às reclamações de outras entidades e, acredita que esse é um momento de dificuldade para todos os servidores, independente da categoria.  Será preciso a coesão nas ações, respeitando a autonomia de cada entidade, para resitir e enfrentar esse ato de tirania anunciado.

A falta de diálogo com os servidores é a marca dessa geração que prometia “atitude para mudar”! O SindSaúde lembra que, os acordos para incorporação da GATA, do pagamento da diferença da isonomia e da última parcela do reajuste dos especialistas, concedidos por Agnelo Queiroz, foram negociados desde 2011, e tinham previsão orçamentária.

“É uma péssima notícia para as categorias que estão desde 2013 sem reajuste. Já são quatro anos sem recomposição salarial”, lembrou Marli. Os sindicatos ainda estudam quais medidas tomar diante do que pretende o Palácio do Buriti. “Estamos nos mobilizando, afinal, temos de lutar, reagir, resistir”, disse a sindicalista.

- Advertisement -

Últimas Notícias

Plantão Covid 19 – acompanhe as principais notícias do Brasil e do mundo sobre o coronavírus

O SindSaúde-DF reúne abaixo as principais notícias sobre Coronavírus no Brasil e no mundo. Tudo que está...

Câmara Legislativa aprova suspensão dos prazos de concursos públicos

Proposta do GDF tem o objetivo de interromper o tempo de contagem dos certames durante a pandemia do coronavírus

Agosto Lilás: Prevenção e enfrentamento à violência contra a mulher

No mês que a Lei Maria da Penha (Lei nº 11.340), que estipula punição adequada e coibi...
- Advertisement -
- Publicidade -
Precisa de ajuda??