22.1 C
Brasília
quarta-feira, 12 agosto, 2020

SEQUELAS: Mais de 10% dos leitos de UTI estão bloqueados

Saiba Mais

SindSaúde DF
SindSaúde DF
Sindicato dos Empregados em Estabelecimentos de Serviços de Saúde do Distrito Federal

Nos últimos anos mais de 1,2 mil pessoas morreram aguardando uma vaga

Selo sequelasA conta que o governo Rollemberg deixou para a saúde pública ainda assusta e preocupa os moradores do Distrito Federal. Dos 392 leitos de UTI disponíveis na rede, 10,9% seguem bloqueados* e sem acesso para a população. O motivo para 43 leitos estarem bloqueados é o mesmo: insuficiência de recursos humanos para dar suporte e garantir a abertura do leito.

Os números são da Secretaria de Saúde do DF e preocupam quem precisa de um leito de UTI. Das 4.368 pessoas que entraram na Justiça entre 2015 e julho de 2017 para garantir acesso a UTI, um direito que já deveria ser fornecido pelo governo, 1.261 pacientes morreram à espera de um leito.

Os óbitos por falta de leitos de UTI foram recorrentes ao longo da gestão de Rollemberg. Em 2015, 29,1% (495) dos pacientes que buscaram a Justiça morreram antes de conseguir lugar na terapia intensiva. No ano seguinte, manteve-se percentual similar 28,2% (470 pacientes).

Rede

Em alguns locais da rede pública do DF, o número de leitos bloqueados passa de um terço do total, como é o caso do Hospital Universitário de Brasilia (HUB). Lá, dos 14 leitos existentes de UTI, 5 estão impossibilitados. No Hospital Regional de Sobradinho (HRS) são 4 leitos bloqueados (22,2%); no HMIB, 9 dos 55 leitos (16,3%); e no Hospital de Base 11 dos 78 leitos (14,1%).

“Nos preocupa muito essa herança deixada e precisamos que o governo se mexa logo para resolver essa situação”, aponta a presidente do SindSaúde-DF, Marli Rodrigues.

Leitos

Brasília é a capital com segunda menor oferta de leitos de UTI na rede pública proporcionais à população, segundo uma pesquisa divulgada nesta quarta-feira (12) pelo Conselho Federal de Medicina (CFM). A capital federal tem apenas 0,91 leitos para cada 10 mil habitantes, número menor que o recomendado pelo Ministério da Saúde e que coloca o DF atrás apenas de Macapá (AP).

De acordo com a Associação de Medicina Intensiva Brasileira (AMIB), a proporção ideal é de 1 a 3 leitos de UTI para cada 10 mil habitantes – a média brasileira é de 1,4.

Na contramão da rede pública, o DF está na liderança de leitos privados de UTI – 8,78 para cada 10 mil habitantes, quase três vezes o recomendado.

Gestão

A Secretaria de Saúde informou que reconhece o déficit de leitos de UTI e esclarece que a atual gestão já está trabalhando para a abertura, o mais rápido possível, dos leitos bloqueados. O SOS DF Saúde possibilitará a contratação de profissionais, a compra de forma mais ágil dos insumos e equipamentos e a contratação de mais leitos.

 

* Dados atualizados em 16/1/2019

- Advertisement -

Últimas Notícias

Plantão Covid 19 – acompanhe as principais notícias do Brasil e do mundo sobre o coronavírus

O SindSaúde-DF reúne abaixo as principais notícias sobre Coronavírus no Brasil e no mundo. Tudo que está...

Câmara Legislativa aprova suspensão dos prazos de concursos públicos

Proposta do GDF tem o objetivo de interromper o tempo de contagem dos certames durante a pandemia do coronavírus

Agosto Lilás: Prevenção e enfrentamento à violência contra a mulher

No mês que a Lei Maria da Penha (Lei nº 11.340), que estipula punição adequada e coibi...
- Advertisement -
- Publicidade -
Precisa de ajuda??