11.5 C
Brasília
quinta-feira, 11 agosto, 2022

Servidores da Lavanderia do HRC denunciam assédio moral

Relatos chegaram ao SindSaúde na tarde de quinta-feira (15)

Saiba Mais

SindSaúde DF
SindSaúde DF
Sindicato dos Empregados em Estabelecimentos de Serviços de Saúde do Distrito Federal

O SindSaúde recebeu uma formalização, por escrito, com denúncias de assédio moral sofrido por servidores da lavanderia do Hospital Regional da Ceilândia. Os relatos estão diretamente ligados à Chefe do Núcleo de Hotelaria em Saúde. São sete relatos descrevendo situações absurdas e inaceitáveis em qualquer local de trabalho.

Segundo as acusações, apresentadas à diretoria do sindicato, os maltratos eram variados. A chefe da unidade gritava, humilhava e agredia verbalmente os funcionários. As denúncias estão documentadas com fotos e fortes depoimentos.  

“Estamos também sendo vigiados excessivamente pela chefe (suprimido) que aparece também aos sábados, domingos e feriados no setor de trabalho sempre com atitudes relatadas anteriormente, causando assim muita desarmonia e atrapalhando o bom andamento do meu trabalho e das minhas colegas”, desabafou um servidor no documento entregue ao SindSaúde.

A referida chefe teve sua exoneração publicada no Diário Oficial desta sexta-feira (16), mas não se sabe, até então, se existe relação entre o ato de exoneração e as denúncias de assédio contra os trabalhadores.

Existe uma suspeita de que, como último ato de maldade e vilania, a chefe do departamento tenha devolvido os apenados da Funap que trabalham na lavanderia para administração da “Superintendência Oeste”, a fim de comprometer o trabalho do Setor, uma vez que a falta destes profissionais irá aumentar as demandas diárias de cada servidor.

“As atitudes da ex-chefe da lavanderia do HRC podem acarretar no não cumprimento dos prazos de entrega das roupas de cama, banho, kits hospitalares e cirúrgicos, por exemplo, além de sobrecarregar os servidores. Parece uma armadilha para prejudicar os trabalhos na lavanderia, causando a suspensão de serviços essenciais à população do Distrito Federal”, alertou Marli Rodrigues, presidente do SindSaúde.

A presidente disse que os relatos são gravíssimos e serão apurados pela entidade. “Não vamos aceitar que trabalhadores passem por situações vexatórias, como as que foram descritas a nós e não deixaremos que atitudes como essas aconteçam na SES e fiquem impunes”. O SindSaúde comunicará os fatos à Superintendência da Região Oeste e ao Secretário de Saúde, Osnei Okumoto.

A ex-chefe da lavanderia do HRC entrou em contato com a assessoria do SindSaúde e exigiu direito de resposta. O mesmo direito lhe foi dado e aguardamos a declaração para publicação.

- Advertisement -spot_img

Últimas Notícias

Campanha de vacinação contra a Poliomielite começa nesta segunda-feira (08)

A campanha nacional de vacinação contra a poliomielite para crianças entre 1 e 5 anos incompletos começa nesta segunda-feira...

Designado grupo de trabalho que será responsável por revisar portaria que dispõe sobre os horários de funcionamento das Unidades Orgânicas da SES

Foi publicado no Diário Oficial do DF desta quinta-feira (04), o grupo de trabalho que será responsável por revisar...

NOTA DE PESAR: Falecimento da servidora Danyanne da Cunha Januário da Silva

É com imenso pesar que o Sindicato dos Empregados em Estabelecimentos de Serviços de Saúde do Distrito Federal (SindSaúde)...
- Advertisement -spot_img
- Publicidade -spot_img