SindSaúde DF

17/07/2018 - 17:58 Notícias SindSaúde DF

SindSaúde consegue retorno de servidores removidos do Hospital de Base

O SindSaúde conseguiu, após intensa negociação, o retorno de servidores que haviam sido removidos do Instituto Hospital de Base mesmo após afirmaram, quando da criação do Instituto, que pretendiam ficar na unidade.

Após uma semana de diálogo entre a presidente do SindSaúde, Marli Rodrigues, parlamentares, delegados sindicais, o diretor presidente do Instituto Hospital de Base, Ismael Alexandrino, e a Secretaria de Saúde, foi assinado ofício do IHBDF solicitando a cessão especial de 29 servidores.

O presidente Ismael Alexandrino afirma no documento que o retorno se dá por conta da necessidade de pessoal e garantiu ao SindSaúde, durante reunião, que faria o possível para o retorno dos servidores.

“É o início de uma mudança de postura. O IHBDF está revendo posições e já acertamos com a direção que todos que tiverem demanda para retorno ao Base podem procurar o SindSaúde que cada caso será avaliado individualmente”, afirma a presidente Marli Rodrigues. Os delegados sindicais estão à disposição para ouvir demandas dos servidores. 

Para Marli, quando há diálogo e sinalização de tentativa de solução, não há necessidade de buscar os direitos na Justiça "A Direção do Hospital de Base demonstrou a todo tempo o interesse em dialogar e o retorno desses 29 servidores tem grande signidficado. Esse movimento mostra o poder de negociaçaõ do SindSaúde, que conseguiu justificar que essas remoções que não foram pedirdas precisavam ser retratadas.


Os deputados que participaram de todas as negociações junto ao IHBDF são Wellington Luiz, Wasny de Roure, Celina Leão  e Raimundo Ribeiro.

“Foi muito importante a participação dos deputados e esse caminho para a negociação política”, finaliza Marli.
 


VEJA O DOCUMENTO ABAIXO:

 

 

WhatsApp Image 2018-07-17 at 18.10.39.jpeg

 

WhatsApp Image 2018-07-17 at 18.10.39 (1).jpeg

 

 

16/07/2018 - 15:53 Notícias SindSaúde DF

GMOV não pode mais ser tirada dos servidores da Administração Central

Informação adicional
  • Imagens: Peter Neylon

Após um intenso e inédito movimento dos servidores da Administração Central (ADMC), encampada pelo SindSaúde, em 2016, em reação à decisão do gestor à época em retirar a GMOV (Gratificação de Movimentação) dos servidores lotados nesses setores, o sindicato entrou com representação no TCDF (Tribunal de Contas do DF) questionando entendimento da Procuradoria do DF, que fazia uma leitura equivocada da legislação, prejudicando os servidores.

O clima de insegurança e terrorismo era continuado e deixava todos à mercê do gestor que assumia a pasta, porque não havia uma manifestação do tribunal competente para analisar os atos administrativos do governo. Mas, agora, isso acabou! Os servidores da ADMC fazem jus à GMOV!

Veja decisão aqui a decisão do TCDF

"Essa tem sido uma gestão atípica. Estamos o tempo todo lutando para manter o que já conquistamos! Esse governo covarde traça essa estratégia maldosa para não dialogar com nenhuma categoria do funcionalismo público local", reclama Marli Rodrigues, presidente do SindSaúde.

A presidente arremata: "Não deixa de ser uma grande vitória dos servidores com a participação efetiva do SindSaúde, quando houve a ameaça de retirada dessa gratificação. Com essa decisão, esse assunto está pacificado”, finaliza.

13/07/2018 - 18:10 Notícias SindSaúde DF

SindSaúde informa: horas extras de março e pecúnias

Informação adicional
  • Imagens: Peter Neylon

Na tarde desta quinta-feira (12), Silene Almeida, colaboradora do SindSaúde, e uma comissão de servidores se reuniram com o secretário de Fazenda, Wilson de Paula, para tratar da atualização do pagamento das pecúnias de quem se aposentou em 2016.

Na oportunidade, atendendo à solicitação de vários colegas que estão esperando o pagamento das horas extras atrasadas, Silene levou ao conhecimento do secretário a dificuldade enfrentada por centenas de colegas que, ao receberem as horas extras, são surpreendidos pelo confisco dos consignados do BRB. Tal fato ocorre porque as folhas de pagamento estão sendo empenhadas no penúltimo ou último dia do mês, quando o Banco faz o desconto automático.

O secretário Wilson de Paula se mostrou sensível à questão e se comprometeu a liberar os recursos para pagar as horas extras de MARÇO no dia 26 ainda deste mês.

Logo, caberá à  SES providenciar o fechamento e envio das folhas para empenho até essa data. Caso mandem antes, elas ficam autorizadas e podem ser pagas no dia que o recurso sair.

Os servidores presentes na reunião reclamaram que nem sempre a data da liberação do recurso é a mesma do pagamento. Na maioria das vezes, tem que esperar até três dias para receber.

WhatsApp Image 2018-07-13 at 17.53.07.jpeg

 

Buscando alinhar esse impasse, o SindSaúde vai buscar uma reunião com o setor de pagamento da SES para propor alternativas que deem aos servidores segurança para receberem o devido pelas horas trabalhadas.

Portanto, atendendo ao pedido do sindicato,  os recursos das horas extras de MARÇO serão liberados no dia 26 à noite.

Verifiquem se os processos das regionais onde fizeram as horas extras estão com o processo finalizado e sem pendências, de acordo com a normatização da SES.

Pecúnias aposentados 2016

Serão quitadas as pecúnias de quem se aposentou de 24 a 31/05/2016. O recurso será liberado pela Sefaz no dia 26 de julho à noite. Se a SES não atrasar no empenho da folha, o pagamento será feito nessa mesma data.

Continuamos lutando pela REGULARIZAÇÃO dos débitos. Porém, nesse governo não há boas perspectivas...

Mas, não desistiremos! Enquanto houver um servidor com direito violado, estaremos na luta! 

13/07/2018 - 16:01 Notícias SindSaúde DF

Amizades de Rollemberg e influências na SES são destacadas na mídia do DF

Com o título “O que leva Rollemberg a defender com tanta dedicação a Novacap”, o portal político “Poder no Quadrado” destacou em publicação recente a importância que ganhou, nos últimos anos, o presidente da Novacap, Julio Menegotto, amigo do governador do DF.

A matéria destaca ainda o acelerado ganho de poder da servidora Liliane Menegotto, irmã do presidente da Novacap. Ela é servidora de carreira da Secretaria de Saúde e seu status também cresceu muito nos últimos anos. Liliane é subsecretária de Infraestrutura em Saúde, responsável exatamente pelas obras e reformas nos hospitais.

“Recentemente, ela ficou responsável pelo gerenciamento da troca das empresas de vigilância na área de saúde. Coincidentemente, um outro irmão dos dois foi escolhido como fiscal do contrato da empresa Ipanema – ganhadora de um dos lotes da região Norte, onde ambos moram”, diz um trecho da matéria.

Ao que parece, a família Menegotto está “muito bem, obrigado” no governo do Distrito Federal, especialmente na área de saúde e de obras. Vamos ver quais serão os próximos passos dessa amizade de longa data. Será que Rollemberg não gostaria de ser amigo dos servidores e da população do DF? Fica aí essa dúvida...

 

Leia abaixo a matéria completa:

Fonte: https://www.podernoquadrado.com/

 

O que leva Rollemberg a defender com tanta dedicação a Novacap

O presidente da companhia está se tornando um dos homens mais importantes do governo

 

Quando o governador Rodrigo Rollemberg escolheu defender a Novacap em detrimento do Departamento de Estradas de Rodagem (DER), após a queda do viaduto na Galeria dos Estados, alguns foram pegos de surpresa. Mas, para quem acompanha e observa as atitudes do chefe do Executivo há algum tempo, a decisão já era esperada.

O presidente da companhia, Julio Menegotto, é amigo de Rollemberg há muitos anos. Se conhecem do PSB “de antigamente”. E desde que assumiu o posto, em abril de 2016, ele vem ganhando cada vez mais poder. Tanto é que foi defendido pelo GDF e ainda emplacou a indicação do DER.

Menegotto é servidor de carreira da Novacap, mas sempre gostou de política. Por duas vezes tentou um mandato eletivo, mas teve 1.545 votos em 2010 e 2.933 votos em 2014 e não conseguiu se eleger deputado distrital.

Ascenção

Morador de Planaltina, ele foi ganhando espaço na companhia e acabou assumindo a presidência quando Hermes de Paula deixou o cargo por “motivos pessoais”. Também emplacou o sucessor na Diretoria de Edificações, o atual presidente do DER, Marcio Buzar.

Conhecedor da máquina e de boa relação com os deputados distritais, o presidente da companhia foi ganhando espaço cada vez mais, garantindo as obras importantes para o governo e também para os deputados.

Obras dão voto e o governador sabe disso. Além dos cargos que ele e seus aliados ocupam na Novacap, Julio Menegotto chegou a ser administrador de Vicente Pires, hoje tem o DER e ainda parte dos cargos na secretaria de Saúde.

Família

A irmã do presidente da Novacap, Liliane Menegotto, é servidora de carreira da Secretaria de Saúde e seu poder também cresceu muito nos últimos anos. Atualmente é subsecretária de Infraestrutura em Saúde, responsável exatamente pelas obras e reformas nos hospitais.

Recentemente, ela ficou responsável pelo gerenciamento da troca das empresas de vigilância na área de saúde. Coincidentemente, um outro irmão dos dois, foi escolhido como fiscal do contrato da empresa Ipanema – ganhadora de um dos lotes da região Norte, onde ambos moram.

A companheira de Julio Menegotto também já foi nomeada num cargo na Administração de Planaltina. Eles não são casados no papel, mas têm dois filhos e moram juntos.

Candidatura

Com tantos cargos, prestígio e poder no governo, Menegotto desistiu de se candidatar a deputado distrital nesta eleição. Ele permanecerá com a máquina, e do lado de Rollemberg, até o fim. E em um novo governo do PSB, a lealdade e dedicação do presidente da companhia serão lembrados.

 

12/07/2018 - 19:41 Notícias SindSaúde DF

Servidores desviados de função vão à luta com o apoio do SindSaúde e do deputado Júlio Cesar

Na tarde desta quinta-feira (12), uma comissão de servidores que trabalham há décadas desviados de função foi recebida pelo secretário de Saúde, Humberto Fonseca, a pedido do deputado distrital Júlio César. A pauta abordada foi a regularização funcional dos servidores que estão exercendo atividades de outra natureza, em função da extinção do cargo e da própria atividade na SES, como as telefonistas e etc.

Recentemente, o governo editou o Decreto 38.386, que extinguiu vários cargos. No entanto, em alguns casos, essa foi só a formalização de uma situação concreta. No caso das telefonistas, não existem mais centrais telefônicas em atividade. Aliás, quase nem existem telefones instalados.

O deputado Júlio César destacou a importância de dar segurança jurídica aos servidores que desempenham atividades diversas do cargo original e, ainda, fomentar na administração a legalidade dos atos praticados, evitando o desvio de função.

"Valorizar os profissionais de Saúde é um passo importante para melhorar a saúde pública. São eles que fazem a diferença no atendimento, apesar das dificuldades rotineiras da área. É questão de justiça corrigir esse desvio de função e reclassificar os servidores que tiveram os cargos extintos", defendeu o parlamentar.

Presente na reunião, o Subsecretário de Gestão de Pessoas, Jean Paul, se posicionou plenamente favorável ao pleito e se comprometeu a apresentar um estudo da viabilidade para resolução dessa situação com brevidade. Alegou necessitar do posicionamento da assessoria jurídica para dar prosseguimento.

O secretário de Saúde garantiu fazer essa regularização desde que não haja impacto financeiro.

A colaboradora do SindSaúde, Silene Almeida, insistiu na inexistência de oneração da folha de pagamento, visto que o pretendido é tão somente alocar em funções compatíveis dentro do mesmo nível de técnico em saúde, do qual as telefonistas fazem parte.

Na oportunidade, a representante do Sindicato também sugeriu que a SES apresente um plano de reaproveitamento funcional, reclassificando as outras funções extintas.

"Atualmente as grandes corporações e empresas destacam como maior patrimônio, o capital humano. A SES está atrasada neste quesito, onde servidores capacitados e qualificados em vez de serem valorizados são considerados "desnecessários".Urge a necessidade de ressignificar as relações de trabalho, valorizando o servidor na busca pela excelência na prestação dos serviços", alerta a Presidente do Sindsaude, Marli Rodrigues.

12/07/2018 - 13:14 Notícias SindSaúde DF

Apagão no sistema deixa toda rede de atendimento às cegas

Informação adicional
  • Imagens: Peter Neylon

TrakCare, Alpha Link e Forponto estão fora do ar e deixam situação caótica nos hospitais.

A rede hospitalar amanheceu sem qualquer sistema eletrônico nessa quinta-feira (12). Trak Care, Alpha Link e Forponto que reúnem dados dos pacientes como consultas, exames e histórico médico, estão parados e sem previsão de retorno.

O funcionamento TrakCare teria sido afetado por um princípio de incêndio no Instituto Hospital de Base (IHBDF), onde fica a estrutura do sistema. Com isso, toda a rede foi prejudicada. No entanto, os outros dois sistemas também estão parados.

Nos centros de saúde, servidores improvisam os prontuários à mão, mas nos hospitais o atendimento está prejudicado. A suspeita é que os sistemas foram cortados por falta de pagamento. A Secretaria de Saúde foi procurada para prestar esclarecimentos, mas não retornou ao SindSaúde.

11/07/2018 - 18:43 Notícias SindSaúde DF

Negociações avançam e reunião com secretário e IHBDF deve tratar de remoções arbitrárias no Base

Durante encontro no SindSaúde, parlamentares entenderam que melhor caminho é o político

Em um trabalho conjunto da direção do SindSaúde com deputados distritais, a solução para os servidores removidos de forma arbitrária do Instituto Hospital de Base do DF parece estar próxima. E para os parlamentares, o melhor caminho é o político.

No fim da tarde desta terça-feira (10), a presidente Marli Rodrigues se reuniu com os deputados distritais Raimundo Ribeiro, Wellington Luiz e Wasny de Roure, ao lado de diretores do sindicato e de delegados e servidores do Hospital Base. Durante o encontro, o deputado Wellington, vice-presidente da Câmara Legislativa do DF, fez um contato via telefone com o secretário de Saúde, Humberto Fonseca, e ele se comprometeu a receber, ao lado do diretor Ismael Alexandrino, os deputados e o sindicato em reunião que vai acontecer nesta quinta-feira (12). 

WhatsApp Image 2018-07-11 at 18.27.03.jpeg

Deputado Wellington Luiz durante ligação para o secretário de Saúde do DF

Na primeira reunião, na segunda (9), a deputada Celina Leão também participou da conversa da presidente Marli e o chefe de gabinete do deputado Wellington Luiz, André Rizo, com o diretor Alexandrino e confirmou sua luta em defesa dos servidores.

“Nos reunimos para encontrar uma forma de resolver o impasse da remoção dos servidores do Hospital de Base. Da forma como está, não é possível ficar. Servidores desrespeitados e desmotivados”, afirma Marli Rodrigues.

Deputados se comprometeram a ajudar o SindSaúde a trazer de volta para o Base os servidores que querem retornar e garantir que continuem seu trabalho sem sofrer qualquer assédio moral ou coação.

“Vamos também cuidar da realocação dos servidores que queriam ser removidos, mas foram enviados para as regionais que não estavam em suas opções por algum motivo específico. As negociações estão avançadas”, afirma a presidente.

Segundo a presidente, muitos servidores removidos de forma arbitrária se disseram desrespeitados e por isso estão desmotivados. Esses devem apenas ser realocados de onde estão para outra unidade. Não para o Base.

 

O SindSaúde agradece a grande colaboração dos parlamentares e espera resolver as demandas dos servidores sem precisar acionar a Justiça.

Um dos servidores já teve sua situação resolvida na primeira reunião, na segunda (9). Foi o caso do servidor Edmilson Carlos Pereira, que está há cerca de 41 anos no HBDF e tinha feito a opção por permanecer. Mesmo assim, tinha sido notificado de remoção para Samambaia.


Assista ao vídeo em que Edmilson relata como foi resolvida sua situação:

Após intervenções do SindSaúde, outros cinco servidores conseguiram alterar suas lotações. Quando aceitaram remoção, eles haviam optado por uma unidade de saúde específica. No entanto, o pedido tinha sido desrespeitado pela SES. Após as negociações dos sindicato, eles tiveram seus pedidos atendidos.

Clique aqui e acesse a Carta de Retratação emitida pela SES-DF

 

 Denúncias

Durante o tempo que o Sindsaude esteve no hospital de base recadastrando os servidores, recebemos denúncias gravíssimas e que estamos apurando juntamente  com os parlamentares, são denuncias em relação ao trabalho que está sendo feito no Instituto Hospital de Base, caso se comprove as denuncias, as estruturas já frágeis do ihbdf, ruíram de vez.

O SindSaúde e os deputados vão investigar os relatos e cobrar do GDF uma solução, além de encaminhar ao conhecimento do Ministério Público.

11/07/2018 - 13:39 Notícias SindSaúde DF

O que falar da situação da saúde e dos servidores, pré-candidatos?

Informação adicional
  • Imagens: Peter Neylon

Durante o debate promovido pelo Metrópoles na última segunda-feira (9/7), os sete pré-candidatos ao Governo do Distrito Federal (GDF) pouco falaram sobre um dos temas que mais afligem a população do DF: a saúde pública. Causou também estranheza a indiferença aos assuntos relacionados aos servidores públicos, considerando que a economia do Distrito Federal é movida em grande parte por esse grupo.

Todos os outros temas da administração pública são relevantes, mas, por uma questão lógica, a saúde é um dos mais importantes. Antes de tudo, precisamos estar vivos e bem! Infelizmente, o caos instalado no DF se arrasta há muitos anos e a gestão atual conseguiu piorar o que já era péssimo. Mesmo assim, o assunto foi desprezado na maior parte do tempo e por quase todos os aspirantes ao Palácio do Buriti presentes.

Representantes do SindSaúde assistiram atentos aos embates entre os postulantes ao GDF – aqueles que, em campanha, prometem mundos e fundos a todos os eleitores, entre eles os funcionários públicos. No entanto, a saúde não foi tratada como um dos principais problemas desta gestão. Apesar das promessas feitas, Rollemberg (PSB) foi “mais do mesmo”.
Se não houver mudança na postura e no discurso dos pré-candidatos, podemos “pôr as barbas de molho”, pois aquilo a que assistimos ontem foi um festival de malabarismo, com todos equilibrando-se num discurso pífio e sem qualquer esperança para o setor e tampouco para os servidores.

O único a citar a saúde e confrontar o atual governador, Rodrigo Rollemberg – o qual, de forma até debochada, atreve-se a buscar a reeleição –, foi o ex-secretário de Saúde Jofran Frejat (PR). Ao adversário político, Rollemberg teve a audácia de dizer que o Instituto Hospital de Base está ótimo, um exemplo de sucesso, e os servidores estão satisfeitos. Frejat respondeu que recebe diariamente ligações de trabalhadores da pasta com pedidos de socorro.

No SindSaúde não é diferente. Diariamente, recebemos pedidos de ajuda de servidores inconformados com a situação e tendo seus direitos negados. Todos querem com urgência o fim deste governo.

O que a gestão atual fez com os servidores do Hospital de Base, removidos de forma arbitrária, é uma falta de respeito com o ser humano e seus direitos. É também uma grande falha gerencial, pois, sendo o Base o maior hospital da rede e tendo 29 leitos de UTI fechados, beira a irresponsabilidade dispensar servidores e deixar os pacientes sem assistência. No entanto, nada disso foi destacado durante o debate.

Salários
Outro problema é a situação salarial dos servidores, em todas as funções. São quase sete anos sem qualquer reposição das perdas inflacionárias. As remunerações minguam com o custo de vida altíssimo e a falta de perspectivas de melhorias. Nem com as leis que asseguram incorporações de gratificações, as quais se arrastam há uma década, elas foram pagas. A última parcela de um reajuste dividido em três vezes, tampouco.

Não à toa, o número de servidores que se desligam do setor público é crescente. Trata-se de profissionais extremamente qualificados preferindo tentar a sorte em outras áreas. E, por aqui, o governo vai “economizando”, trocando os melhores por medianos.

Servidores concursados passam por “peneiras” rigorosas. São anos dedicando-se aos estudos para conseguir êxito. Qualificam-se em várias especializações para serem bem-sucedidos nos exames de títulos. No entanto, estão cada dia mais desmotivados a continuar no setor público. E os discursos dos postulantes ao Palácio do Buriti, praticamente sem menções à valorização desses servidores, foram um verdadeiro balde de água fria.

De todos os sete pré-candidatos, apenas dois falaram, ainda que superficialmente, sobre a incorporação da terceira parcela da Gratificação de Atividade Técnico-Administrativa (GATA). Ao ser questionada por Fátima Sousa (PSol) a respeito, Eliana Pedrosa (PROS) não respondeu objetivamente.

Apenas na tréplica, Eliana Pedrosa comprometeu-se com o pagamento da terceira parcela da GATA. Somente após ser incitada pela plateia a responder a pergunta. Fátima prometeu pagar.

Tema urgente
É preciso que os pré-candidatos, depois de oficializarem suas candidaturas, apresentem os seus planos de governo e informem os projetos para a saúde e de valorização do servidor. É imperativo que eles se comprometam em resgatar a saúde, investindo na estrutura e no capital humano.

Não há dúvidas de que os servidores públicos do Distrito Federal serão o fiel da balança para definir o pleito eleitoral. O candidato que se aproximar e se comprometer com as necessidades do serviço e do servidor será ungido como nosso representante. Precisamos mudar!

Rollemberg foi eleito com votação expressiva desse grupo e deu as costas a quem acreditou que ele pudesse fazer diferente. Já teve a sua chance. Desperdiçou… Rollemberg nunca mais!

Fonte: Metrópoles

11/07/2018 - 11:45 Notícias SindSaúde DF

SINDSAÚDE E DEPUTADOS DISTRITAIS EM DEFESA DOS SERVIDORES, CONTRA REMOÇÕES ARBITRÁRIAS NO IHBDF

Na tarde de ontem (10), a diretoria do SindSaúde, sob a coordenação de sua presidente Marli Rodrigues, se reuniu na sede do sindicato com os delegados do Hospital de Base para darem prosseguimento ao planejamento das estratégias de defesa dos servidores que foram devolvidos à revelia ou sem respeitar o direito de indicação das lotações futuras.

 Na ocasião, os deputados distritais Raimundo Ribeiro, Wellington Luiz, Wasny de Roure, além da deputada Celina Leão, que esteve na reunião do dia 9 no IHBDF, reafirmaram o apoio aos servidores e à luta encampada pelo Sindicato para reverter esse ato absurdo da diretoria do Base.

 Veja abaixo vídeo gravado pelo deputado Raimundo Ribeiro e a presidente do SindSaúde falando sobre a situação:

.be

11/07/2018 - 11:03 Notícias SindSaúde DF

Ministério Público investiga redução de cirurgias e falta de insumos no IHBDF

Número de procedimentos no primeiro trimestre foi 17% menor que no mesmo período do ano anterior.

Os órgãos fiscalizadores seguem constatando os indícios do que o SindSaúde já aponta há muito tempo: ao contrário do que pregava o governo, as condições no Hospital de Base após sua conversão em instituto (IHBDF) pioraram drasticamente. O Ministério Público de Contas do Distrito Federal (MPC-DF) questionou a gestão da unidade sobre a queda na quantidade de cirurgias. A queda foi de 17% com relação ao primeiro trimestre de 2017.

O MPC-DF questiona também a falta de equipamentos e insumos básicos no centro cirúrgico, como ar condicionado e sabão.

CLIQUE AQUI PARA ACESSAR O DOCUMENTO.

A cobrança da Corte escancara a morosidade com que a SES-DF trata seus assuntos. O ofício n°267/2018 foi encaminhado ao diretor-presidente do IHBDF, Ismael Alexandrino, em 27 de abril, e respondido pela Gerência do Centro Cirúrgico quase três meses depois, em 5 de julho.

Na resposta, a Pasta informa que das dezesseis salas, quatro estão desativadas por falta de mobiliário como cama cirúrgica e mesas de instrumentação. Alega ainda não ter problemas com aparelhos anestésicos, mas declara que as cirurgias são ainda canceladas por “motivos diversos, entre eles, comorbidades descompensadas, falta de insumos/OPME, etc”.

No primeiro trimestre de 2018, foram realizadas 1.845 cirurgias, 367 a menos que no mesmo período no ano passado.

CLIQUE AQUI PARA VER RESPOSTA DA SECRETARIA DE SAÚDE.

“Como podem suspender serviços e removerem os servidores que estão lá para executá-los? Isso só corrobora o que o SindSaúde sempre disse sobre esse instituto ser um verdadeiro desmonte do Hospital de Base. A propaganda do governo era a de que em dois meses todos os problemas estariam sanados, em um semestre o IHBDF só complicou a vida dos pacientes e servidores”, critica a presidente do SindSaúde, Marli Rodrigues. "Vamos ver qual o resultado prático dessas diligências do Ministério Público. Os pacientes estão morrendo abandonados e a tramitação de perguntas e respostas não vão lhes salvar as vidas! É preciso ação efetiva para acabar com esse genocídio!", finaliza.

10/07/2018 - 13:00 Notícias SindSaúde DF

Cadastro de servidores insatisfeitos com remoção segue a todo vapor no Base

Informação adicional
  • Imagens: Peter Neylon

O cadastramento dos servidores que foram removidos em desrespeito ao assegurado pela gestão, já efetuou mais de cem solicitações. Dos já cadastrados, 30% afirma ter intenção de retornar ao Instituto.

Uma equipe formada por delegados sindicais está na sobreloja do Hospital de Base (IHBDF) para avaliar os casos de servidores que foram removidos à revelia e de quem busca outra realocação.

A medida foi iniciada após reunião da Diretoria do SindSaúde-DF, liderada pela presidente Marli Rodrigues, com o presidente do Instituto do Hospital de Base (IHBDF), Ismael Alexandrino, na tarde de ontem (9). Participaram também a deputada distrital Celina Leão e o chefe de gabinete do deputado Wellington Luiz, André Riso.

Caso algum servidor não possa comparecer, basta enviar mensagem para o número (61) 98553-1234 informando matrícula, nome completo, cargo e telefone. O servidor ainda precisa dizer se ele solicitou sair ou ficar no Base, para onde foi removido e onde gostaria de ser lotado. Muitas mensagens já chegaram ao SindSaúde e estão sendo prontamente atendidas.

A recomendação é de que os servidores que foram removidos para outras regionais cumpram jornada normalmente nos novos setores até que o impasse seja solucionado, para evitar corte de ponto e até processo administrativo disciplinar.

É muito importante que os servidores nessa situação participem desse levantamento para que o SindSaúde cobre uma solução junto à SES-DF. O cadastro é para todos os servidores, sindicalizados ou não, independente da função que exercem.

09/07/2018 - 18:05 Notícias SindSaúde DF

ATENÇÃO, SERVIDOR!! SindSaúde faz cadastro de quem foi removido do Base e está insatisfeito

Informação adicional
  • Imagens: Peter Neylon

Servidores podem pedir retorno à unidade ou transferência para uma terceira localidade. Sindicato e IHBDF vão negociar com SES-DF

Após reunião da Diretoria do SindSaúde-DF, liderada pela presidente Marli Rodrigues, com o presidente do Instituto do Hospital de Base (IHBDF), Ismael Alexandrino, ficou definido que o Sindicato, ao lado da direção do IHBDF, vai fazer um cadastramento dos servidores removidos e que estão insatisfeitos. O cadastro é para todos os servidores, sindicalizados ou não, independente da função que exercem.

Serão avaliados os casos de servidores que foram removidos e querem voltar e de servidores removidos que buscam outra realocação. Esses servidores devem procurar um dos delegados do SindSaúde que estarão na sobreloja do Hospital de Base nesta terça-feira (10), das 9h às 18h, e também na quarta-feira (11), no mesmo horário.

Caso algum servidor não possa comparecer, mas quer questionar sua remoção, pode enviar mensagem para 61-98553-1234. A mensagem precisa conter número de matrícula, nome completo, cargo e telefone. O servidor ainda precisa dizer se ele solicitou a sair ou ficar do Base, para onde foi removido e onde gostaria de ser lotado.

É muito importante que os servidores nessa situação participem desse levantamento para que o SindSaúde cobre uma solução junto à SES-DF.

Também participaram da reunião no Base a deputada distrital Celina Leão e André Riso, representante do deputado Wellington Luiz. Os parlamentares ajudarão no diálogo com a SES.

A gestão do IHBDF comprometeu-se em intermediar junto à Secretaria de Saúde para que cada caso seja atendido de forma individual, respeitando as necessidades de cada um.

09/07/2018 - 11:11 Notícias SindSaúde DF

SindSaúde se reúne com direção do IHBDF para discutir remoção arbitrária

Informação adicional
  • Imagens: Peter Neylon

Diretor do IHBDF recebeu SindSaúde e ouviu servidores; casos deverão ser avaliados individualmente

A presidente do SindSaúde, Marli Rodrigues, delegados sindicais e servidores, reuniram-se nesta segunda-feira (9) com o diretor do Instituto Hospital de Base (IHBDF), Ismael Alexandrino, para discutir a remoção irregular após as mudanças na unidade. Também participaram a deputada distrital Celina Leão e representante do deputado Wellington Luiz.

A remoção atingiu aqueles que optaram por ficar após a conversão do HBDF em instituto, um direito que havia sido garantido pelo secretário de Saúde, Humberto Fonseca. Além disso, muitos dos que escolheram mudar de unidade não foram respeitados quanto à opção de local, algo também prometido pelo gestor.

Uma comissão de servidores se reunirá agora à tarde com a direção do hospital para fazer uma triagem de todos os envolvidos no problema. A gestão comprometeu-se em intermediar junto à Secretaria de Saúde para que cada caso seja atendido de forma individual, respeitando as necessidades de cada um. Os parlamentares também asseguraram que cobrarão uma solução do Executivo.

Remoções arbitrárias
Alguns servidores relataram absurdos, como um trabalhador que mora em Planaltina e foi removido para Ceilândia. “Não fomos comunicados, não foi zelado o servidor de carreira (sic). Sei que passamos por transição institucional, mas gestão profissional se faz pensando na pessoa”, criticou outro servidor.

“Quantos cabos eleitorais cabem nesse instituto? Isso é uma questão muito mais política do que administrativa”, classifica Marli Rodrigues. “A eleição vai passar, mas nós vamos continuar e não vamos aceitar essa conta ser paga com a vida e a história dos servidores”, garante.

Veja aqui a listagem.

06/07/2018 - 11:49 Notícias SindSaúde DF

REDE DE MENTIRAS: SECRETÁRIO NÃO CUMPRE PALAVRA E EXPULSA SERVIDORES DO HBDF

Informação adicional
  • Imagens: Peter Neylon

Nos últimos dias que antecedem o pleito eleitoral, o secretário de Saúde, Humberto Fonseca, tem feito uma verdadeira inquisição no Hospital de Base (para nós, jamais será Instituto!) e, contrariando o que prometeu de viva voz aos servidores, está removendo compulsoriamente os profissionais que escolheram ficar no hospital.

A situação tem levado os servidores ao desespero! Muitos estão depressivos e temerosos do futuro incerto.
Mesmo aqueles que se resignaram e aceitaram sair, estão vendo as suas escolhas (disseram que eles poderiam optar para onde ir) serem desprezadas, sem nenhum critério ou satisfação por parte da gestão.

Ismael Alexandrino e Humberto Fonseca se travestem de capatazes para açoitar e penalizar os servidores. Muitos com mais de 20 anos de casa...
Mentem tais quais o seu senhor, o governador, que se elegeu à base da enganação e está transformando o DF em terra arrasada.

"A vontade que tenho é de me jogar da ponte... Somos tratados como lixo, como algo imprestável, sem nenhum valor... 28 anos me dedicando a esse hospital. Agora, virei desnecessária (decreto do governo classificou algumas funções dessa forma) e também descartável. Não sei se vou aguentar...", desabafa uma servidora do Hospital.

A lei que criou essa aberraçao chamada de Instituto ampara a permanência dos servidores da SES. Porém, num golpe covarde e sem precedentes, o governo tem assediado os trabalhadores com listas diárias, como se fosse uma "caça às bruxas".

Os dias começam e terminam nesse clima de terror, esperando a tal lista.

A própria sociedade precisa reagir a esse desmonte. Eles tiram servidores concursados e altamente capacitados, que não se intimidam em denunciar irregularidades e situações que deixam os pacientes em risco, para promover contratações maciças de cabos eleitorais às vésperas das eleições! Tudo isso, de forma escancarada, com a omissão e conivencia das autoridades.

Na área de laboratório e radiologia, por exemplo, estão retirando profissionais com qualificação, mestrado e até doutorado para colocar funcionários terceirizados sem o mesmo know how dos que trabalham lá, a pretexto de fazer "economia", quando na verdade, usarão as vagas para contratar cabos eleitorais e privilegiar os grandes grupos da área de imagem e laboratórios que ganharão alguns milhões à custa de assistência com baixa qualidade aos pacientes. Algumas dessas grandes empresas tem ou tiveram fortes vínculos com o pessoal que hoje administra o "instituto" Hospital de Base. Quem ganha com isso?

"Vamos procurar todas as instâncias políticas, de controle e jurídicas para DENUNCIAR essa perseguição covarde! Não é possível que só exista lei para punir os trabalhadores! Não vamos nos dobrar! Ate outubro, teremos muitos embates", promete Marli Rodrigues.

O Departamento Jurídico do SINDSAÚDE Informa a todos os servidores que foram removidos compulsoriamente e tem a cópia do termo de opção preenchidos para procurarem os nossos advogados, a partir de segunda-feira (09/07), para avaliação e adoção das providências cabíveis.

 

Veja abaixo o vídeo do secretário Humberto Fonseca prometendo aos servidores a permanência:



Governador também falou sobre o IHBDF.


Clique aqui e relembre também o governador Rollemberg falando que nenhum servidor seria prejudicado


#FORAROLLEMBERG

06/07/2018 - 11:34 Notícias SindSaúde DF

TCDF decide que GMOV para ADMC é legal!

Informação adicional
  • Imagens: Peter Neylon

Corroborando a luta empreendida pelo SindSaúde pela manutenção da Gratificação de Movimentação (GMOV) para os servidores da Administração Central (ADMC), O Tribunal de Contas do Distrito Federal (TCDF) que a gratificação é legal e devida. Portanto, a Secretaria de Saúde (SES-DF) não pode mais cortar os pagamentos como fez em 2015 (reveja AQUI).

Na ocasião, o SindSaúde fez uma paralisação relâmpago na ADMC com adesão maciça dos trabalhadores e motivou a representação em defesa desse direito, que foi agora assegurado pela Decisão Nº 3121/2018 do TCDF.

Mais uma vitória dos servidores, que se organizaram e aderiram à convocação do SindSaúde.

GIAB e GCET
Além da GMOV, o processo, que partiu de representação do Ministério Público, trata também de possíveis irregularidades nas Gratificações de Incentivo às Ações Básicas de Saúde (GIABS) e de Titulação.

Por unanimidade, o Tribunal decidiu dar provimento aos pedidos de reexame interpostos pelo SindSaúde e esclarecer que é legal o pagamento das gratificações aos servidores lotados na ADMC (CLIQUE AQUI para conferir).

"As maldades de Rollemberg e Fonseca não prosperarão! O TCDF, tribunal competente para analisar os atos administrativos, tem sido pontual em corrigir os atos arbitrários inseridos nas ‘portarias do mal’ contra os servidores. Essa decisão que ganhamos agora sobre a GMOV encerra um ciclo de terrorismo praticado pelos gestores. Vamos continuar o combate até o último dia desse desgoverno!", garante a presidente do SindSaúde, Marli Rodrigues.