SindSaúde DF

26/06/2019 - 17:22 Notícias SindSaúde DF

TPD de abril será pago na noite desta quarta-feira

Informação adicional
  • Imagens: Bruno Leão

Valor total chega a R$ 5,4 milhões e estará na conta de 4.283 servidores

A SES vai depositar na conta de 4.283 servidores o valor referente ao Trabalho em Período Definido (TPD) executado em abril de 2019. A informação foi confirmada pela Subsecretaria de Gestão de Pessoas e Fundo de Saúde do DF (SUGEP) e pelo Fundo de Saúde do DF (FSDF). O valor total a ser pago, é de R$ 5.436.530,05 para os trabalhadores que fizeram horas extras em abril.

O SindSaúde está em constante diálogo com a SES, via Sugep, para que todos os benefícios previstos em lei sejam pagos dentro do prazo e busca também que dívidas antigas sejam quitadas o quanto antes.

“É desta forma que o servidor deve ser tratado, com responsabilidade e dignidade. Os esforços da SUGEP e do FSDF em pagar os direitos dos trabalhadores colabora para que os serviços prestados pelos profissionais nas unidades de saúde do DF seja cada vez melhor”, aponta a presidente do SindSaúde, Marli Rodrigues.

 

 

26/06/2019 - 13:50 Notícias SindSaúde DF

Reunião ampliada entre sindicatos da Saúde é adiada

Informação adicional
  • Imagens: Bruno Leão

Encontro, que ocorreria nesta quarta, terá nova data devido a possíveis mudanças nas licenças-prêmio

O SindSaúde-DF foi informado do adiamento para o dia 4 de julho, quinta-feira, da reunião de entidades sindicais de Brasília que defendem os servidores da Saúde. O Sindicato dos Enfermeiros do Distrito Federal (SindEnfermeiro) encaminhou ofício, nesta quarta-feira (26), data em que ocorreria a reunião, defendendo que a prorrogação é necessária por conta da votação das mudanças das licenças-prêmios, que está prevista para ocorrer hoje, na Câmara Legislativa.

Além das eventuais alterações concessão das licenças-prêmios, propostas pelo Poder Executivo, a reunião discutirá a tentativa dos governos em retirar direitos trabalhistas.

A reunião ocorrerá então em 4 de julho, a partir das 16h, logo após assembleia Geral do SindSaúde-DF, que já estava agendada par o período da manhã.

25/06/2019 - 11:06 Notícias SindSaúde DF

Bancos de Leite materno do DF precisam de doações com urgência

Informação adicional
  • Imagens: Bruno Leão

Segundo a SES, estoques de leite estão abaixo do mínimo necessário

A Secretaria de Saúde do Distrito Federal informa que o estoque do Banco de Leite Humano está em nível alarmante e que precisa, urgentemente, de novas doações. De acordo com a pasta, todos os meses aproximadamente 1.250 bebês precisam do alimento.

O órgão afirma que no mês de maio foram coletados 1.318,7 litros de leite, o que representa uma queda de 26% se comparado com o mês do ano passado, quando foram doados 1.781,9 litros. O recuo ocorreu justamente no mês de conscientização sobre a importância da doação do alimento.

A coordenadora das Políticas de Aleitamento Materno e do Banco de Leite Humano da Secretaria de Saúde, Miriam Santos, alerta que são necessários, no mínimo, 1,5 mil litros mensais para suprir a demanda da rede pública do DF. Segundo ela, essa quantidade beneficia 1.250 bebês.

Como doar

Toda mulher que estiver amamentando, e que quiser doar o leite materno, basta ligar ao telefone 160 ou se inscrever pelo site ou aplicativo Amamenta Brasília. A coleta é feita pelo Corpo de Bombeiros Militar DF nas casas das doadoras. Isso vale também para as mulheres que residem no Entorno, mas que tiveram bebês no DF.

O recolhimento do alimento ocorre uma vez por semana. Além disso, a Secretaria de Saúde dispõe 12 pontos de recepção em todo o DF. É recomendado que a extração seja feita em um recipiente de vidro com tampa de plástico, bem higienizado.

Mais informações no Portal de Doação de Leite de Brasília

24/06/2019 - 17:27 Notícias SindSaúde DF

SindSaúde cobra destinação de recursos em defesa de todos os servidores da Saúde

Informação adicional
  • Imagens: Bruno Leão

Emendas para GATA e 3ª parcela estão entre as demandas levadas pela presidente Marli Rodrigues ao presidente da CLDF, Rafael Prudente

A presidente do SindSaúde-DF, Marli Rodrigues, se reuniu na tarde desta segunda-feira (24) com o presidente da Câmara Legislativa do Distrito Federal, deputado Rafael Prudente, para cobrar que os parlamentares destinem recursos em defesa de todos os servidores da Saúde.

Um ofício do SindSaúde com sugestão de emendas orçamentárias foi protocolado no gabinete da presidência e entregue a todos os gabinetes de deputados distritais.

A INCORPORAÇÃO da gratificação ao vencimento dos servidores, a complementação da jornada de trabalho para aqueles optantes pelo regime ampliado e os REAJUSTES salariais, mediante as restruturações de carreira propostas, estão entre os tópicos requeridos junto ao presidente da CLDF.

Na justificativa do requerimento, a presidente Marli Rodrigues lembrou que os servidores da Saúde Pública aguardam desde 2015 o cumprimento das parcelas relativas aos reajustes concedidos pelo Governo do Distrito Federal, porém, não pagos. 

Dentre eles, estão os especialistas, médicos, odontólogos e enfermeiros que esperam a 3ª parcela do reajuste e as demais categorias de técnicos e auxiliares em Saúde, que aguardam a incorporação da 3ª parcela da GATA, que se arrasta desde 2009.

“Acrescente-se a isto, o fato de existirem profundas distorções salariais na carreira em relação a categorias de mesmo grau de escolaridade e desenvolvendo competências similares, dentro da estrutura funcional do GDF. É impossível se imaginar que tamanha diferença de tratamento ainda se faz presente nos dias atuais, como por exemplo, servidores da saúde pública receberem 1/3 (um terço) do valor pago aos servidores do legislativo local, a título de auxílio alimentação”, diz o documento.

 

Clique aqui e acesse o documento completo

 

24/06/2019 - 15:23 Notícias SindSaúde DF

HRAN realiza cirurgia inédita de Diabetes Tipo II

Informação adicional
  • Imagens: FOTO DE DIVULGAÇÃO

Procedimento será nesta terça-feira e terá transmissão para profissionais e convidados

O Hospital Regional da Asa Norte (HRAN) realiza nesta terça-feira (25) cirurgia inédita do diabetes tipo 2 no Brasil. O procedimento será comandado pelo médico e cirurgião Renato Teixeira (foto), coordenador do Serviço de Cirurgia do Diabetes do Distrito Federal. A cirurgia será transmitida ao vivo, a partir das 10h, para os convidados no auditório do HRAN.

Esse tipo de procedimento é pioneiro no DF que realizará a cirurgia fora do experimental, no SUS.

“O objetivo da criação desse serviço de cirurgia do diabetes é oferecer uma opção segura e efetiva para o paciente com diabetes tipo 2, não obeso grave, antes que ele venha a morrer ou ter sequelas na inefetividade do tratamento clínico”, afirma o médico Renato Teixeira.

O diabetes é uma doença caracterizada pelo aumento dos níveis de glicose no sangue, sendo a primeira ou segunda causa de morte não traumática no mundo.

Existem o tipo 1 e o tipo 2 dessa doença. No tipo 1 a pessoa já nasce com a doença devido a alterações no pâncreas. No tipo 2 a pessoa adquire a doença devido, geralmente, a predisposição e associação a obesidade.

A prevalência de obesidade no Brasil é de 10%, afetando cerca de 450 mil pessoas no Distrito Federal e Entorno e atingindo cada vez mais as crianças.

A OMS (Organização Mundial da Saúde) decretou estado de epidemia dessa doença, devido ao grande aumento do número de casos diagnosticados por ano, sendo projetado um aumento de cerca de 70% em 15 anos se nada for feito.

O diabetes tipo 2, ao contrário do que muitos pensam, tem uma mortalidade e sequelas maior do que o tipo 1.

Números no Brasil:

  • A cada 1000 pessoas com diabetes tipo ii, 27 morrem por ano devido a infarto do miocárdio;
  • Metade das pessoas com diabetes tipo 2 vão desenvolver doença renal grave;
  • 80% das pessoas em hemodiálise tem diabetes;
  • Um paciente a cada dez terá comprometimento grave da visão;
  • É a principal causa de cegueira;
  • A amputação é vinte vezes mais comum em pacientes com diabetes; O SUS gasta cerca de 1 bilhão de reais somente com três medicamentos, sendo eles a Metformina, Glibenclamida e Insulinas

Com informações do BLOG DO CALLADO

19/06/2019 - 17:28 Notícias SindSaúde DF

PECÚNIAS – SindSaúde se reunirá com presidente da CLDF

Informação adicional
  • Imagens: Bruno Leão

Projeto para transformar licença-prêmio em licença-capacitação atinge direitos conquistados pelos servidores

 

A Direção do SindSaúde-DF se reunirá com o presidente da Câmara Legislativa do Distrito Federal,deputado Rafael Prudente (MDB), nos próximos dias, para tratar sobre o Projeto de Lei Complementar (PLC) do Governo do DF que pretende transformar a licença-prêmio em licença-capacitação e, consequentemente, extinguir o pagamento de pecúnias.

A Direção do SindSaúde não concorda com a alteração da licença-prêmio e extinção do pagamento de pecúnias futuras e luta para que o PLC não vá para votação. A atual legislação garante que o servidor que já tenha 5 anos de prestação de serviços pode retirar sua licença-prêmio ou receber em pecúnias após a aposentadoria.

No Distrito Federal, as pecúnias são garantidas graças à Lei Complementar nº. 840/2011. A lei é um verdadeiro marco na história funcional dos servidores do GDF, criou o regime jurídico próprio dos servidores.

No projeto protocolado na CLDF, o governo quer transformar a licença-prêmio em licença capacitação. Esse tipo de licença existe no âmbito do Governo Federal e quando o servidor não é liberado para a capacitação, essa licença não se converte em pecúnia.

E causa muita preocupação aos profissionais de saúde essa alteração, pois é fato público que, no âmbito da Secretaria de Saúde, poucas vezes o servidor consegue autorização para se afastar e gozar seu direito à licença por causa do deficit de pessoal. Logo, todos temem que essa alteração na lei signifique o fim de um direito, pois, se aprovado o PLC, o servidor nem poderá sair para se capacitar e nem receberá em pecunias.

Para a Direção do SindSaúde, no momento de caça às bruxas, o governo não pode retirar direitos dos servidores. É preciso avaliar essa situação com maior serenidade, já que esse momento, em todo o Brasil, é um momento de perdas irreparáveis para o funcionalismo público. É preciso discutir esse projeto de lei complementar.

19/06/2019 - 15:02 Notícias SindSaúde DF

COMUNICADO

Informação adicional
  • Imagens: Bruno Leão

Informamos a todos os associados e visitantes que nos dias 20 e 21 de junho de 2019, devido ao feriado de Corpus Christi, não haverá expediente no SindSaúde-DF.

As atividades e o atendimento serão retomados normalmente na próxima segunda-feira (24 de junho).

19/06/2019 - 13:30 Notícias SindSaúde DF

JURÍDICO: ações da GATA e de exercício findo estão entre as vitórias da semana

Informação adicional
  • Imagens: Bruno Leão

Com as sentenças do TJDFT, governo local terá que desembolsar cerca de R$ 20 mil

Os advogados do Departamento do Jurídico do SindSaúde conquistaram, apenas nos três primeiros dias desta semana, sete ações a favor de sindicalizados. As sentenças desses processos referem-se a ações de pagamento da Gratificação de Atividade Técnico-Administrativa (GATA),  verbas que caíram em exercício findo e concessão de isonomia.

Ao todo, o governo do Distrito Federal terá que arcar com aproximadamente R$ 20,1 mil, quantia que pode ser ainda maior, pois em muitos processos não são divulgados os valores a serem pagos. Além disso, em boa parte das sentenças, o Tribunal de Justiça do DF (TJDFT) determinou a correção monetária pelos juros da inflação ou da caderneta de poupança.

Atendimento do Departamento Jurídico para sindicalizados:

De segunda à sexta-feira

Horário: 9h às 17h

SDS Ed. Venâncio lll sala 109/113 - Brasília, DF, 70393-902

Telefones: (61) 4063-9077 ou (61) 3225-6579

WhatsApp Jurídico (informações de ações coletivas, agendamentos e dúvidas procedimentais): (61) 99314-3952

JURÍDICO SINDSAÚDE

18/06/2019 - 14:25 Notícias SindSaúde DF

Confira cronograma de pagamento das pecúnias atrasadas no DF

Informação adicional
  • Imagens: Bruno Leão

Matéria do Portal Metrópoles destaca que decreto do governo ainda será publicado

O decreto do governo do Distrito Federal que estabelece um cronograma para o pagamento de pecúnias atrasadas já está pronto, informa o Portal Metrópoles. O site teve acesso ao documento do GDF que ainda será publicado.

Segundo o site, o governo local prevê a quitação do benefício para quem se aposentou até o final de 2016. Para os demais, ocorrerá o parcelamento em até 48 vezes. O Poder Executivo R$ 660 milhões em débitos em pecúnias.

Veja, a seguir, como o governo pagará as pecúnias, de acordo com o Portal Metrópoles:

  • Servidores aposentados até 2016: pagamento integral até o final do exercício de 2019;

  • Servidores aposentados em 2017, 2018 e 2019: pagamento em 48 parcelas mensais e sucessivas, de igual valor, com pagamento da primeira em janeiro de 2019;

  • Servidores aposentados a partir de 2020: pagamento em 48 parcelas mensais e sucessivas, de igual valor, com pagamento da primeira no mês subsequente ao da publicação do ato de aposentadoria.

  • O último salário dos servidores servirá como referência para o cálculo das pecúnias. Ficam excluídas do cálculo parcelas de caráter transitória, como meses de férias. O decreto a ser publicado pelo governo vai considerar o valor da licença devido aos beneficiários de pensão ou, na inexistência desses, aos sucessores devidamente habilitados do servidor falecido.

Benefício
O governador Ibaneis Rocha (MDB) encaminhou nesta segunda-feira (17), à Câmara Legislativa, um projeto de lei complementar (PLC) que extingue a concessão de licenças-prêmios e pecúnias. Crítico do benefício, Ibaneis quer substituí-lo pela licença-capacitação, que permite servidores participarem de programas de desenvolvimento profissional custeados pelo governo.

No dia 26 de junho, o SindSaúde confirmou presença em uma reunião que contará com a presença de oito sindicatos que atuam em favor dos servidores da saúde. Entre os assuntos na pauta do encontro, está o enfrentamento ao fim das licenças-prêmio e pecúnias. 

17/06/2019 - 15:13 Notícias SindSaúde DF

Servidores lotam sede do SindSaúde nesta segunda-feira

Informação adicional
  • Imagens: Bruno Leão

Trabalhadores levaram demandas jurídicas e administrativas em busca de auxílio das equipes do sindicato

Prezando pela qualidade no atendimento de seus filiados, o SindSaúde sempre responde de maneira eficaz às demandas dos servidores que o procuram. 

Por isso, servidores sempre lotam o atendimento, na sede do sindicato. Na manhã desta segunda-feira (17), não foi diferente. Só até 12h, 55 sindicalizados foram atendidos sobre demandas administrativas ou jurídicas.

WhatsApp Image 2019 06 17 at 13.49.12 1

Os atendimentos variam entre serviço jurídico especializado, revisão de contracheque e declaração de imposto de renda. Além disso, questões relevantes ao servidor da Saúde do DF e até ações na área cível e de família são tratadas no atendimento ao sindicalizado.

Seja presencialmente, por telefone ou pelas redes sociais, os colaboradores do sindicato estão sempre prontos para atender os servidores.

O objetivo é auxiliar com respostas aos questionamentos e com direcionamento e apoio aos servidores.

O atendimento presencial acontece de segunda a sexta-feira, das 9h às 17h, na sede do SindSaúde, no Conic.

WhatsApp Image 2019 06 17 at 13.49.12

Online

São atendidas diariamente, em média, 100 servidores pelas redes sociais e telefone. Estes contatos conseguem sanar dúvidas primárias e repassar  informações importantes sem que o servidor precise se deslocar. Até mesmo demandas jurídicas tem um canal próprio para facilitar o auxílio aos servidores.

Atendimento ao público:
De segunda à sexta-feira
Horário: 9h às 17h
SDS Ed. Venâncio lll sala 109/113 - Brasília, DF, 70393-902

Telefones: (61) 4063-9077 / (61) 3225-6579 / (61) 9653-6237
[email protected]

Atendimento do Departamento Jurídico para sindicalizados:
WhatsApp Jurídico (informações de ações coletivas, agendamentos e dúvidas procedimentais): (61) 99314-3952
JURÍDICO SINDSAÚDE

17/06/2019 - 13:13 Notícias SindSaúde DF

DIREITO DO SERVIDOR: SindSaúde confirma presença em reunião com entidades sindicais

Informação adicional
  • Imagens: Bruno Leão

Na defesa dos trabalhadores, SindSaúde já negocia com o governo, desde janeiro, o pagamento de atrasados e calotes sofridos na gestão anterior

A Direção do SindSaúde-DF confirmou presença em reunião, no próximo dia 26 de junho, com representantes de oito entidades sindicais de Brasília que defendem servidores do DF. Na pauta principal, a tentativa dos governos de cortar direitos dos trabalhadores.

“O funcionalismo público em todo o Brasil passa por um momento delicado e é apenas com a união que iremos superar os entraves que afetam as categorias”, diz a presidente do SindSaúde, Marli Rodrigues.

Entre as entidades que participarão da reunião estão o SindEnfermeiro, SindMédico, Sindate, entre outras. (Veja abaixo a carta-convite com a relação dos participantes).

Ao longo de quatro décadas de existência, o SindSaúde sempre colocou o funcionalismo público em primeiro lugar. Em janeiro deste ano, a Direção do sindicato obteve, após negociação com o governo do DF, a garantia do pagamento das pecúnias devidas entre 2016 e 2018. Mensalmente tem sido liberada verba para esse pagamento. Agora, o sindicato também luta contra um eventual corte do benefício.

Reunião Ampliada das Entidades Sindicais será no dia 26 de junho de 2019, quarta-feira

Carta convite

13/06/2019 - 18:02 Notícias SindSaúde DF

SindSaúde apoia o movimento contra a Reforma da Previdência

Informação adicional
  • Imagens: Éder Oliveira

Diretores estarão nas regionais de Saúde a partir das 10h

A Direção do SindSaúde apoia o movimento contra a Reforma da Previdência e informa que, nesta sexta-feira (14), a partir das 10h, os diretores estarão à disposição dos servidores nas respectivas Regionais de Saúde para esclarecimentos e debates com a categoria sobre o tema .

A reforma da Previdência é um ataque aos direitos e conquistas dos trabalhadores e o SindSaúde é contra as mudanças propostas pelo governo.

12/06/2019 - 13:39 Notícias SindSaúde DF

Progressão de referências: confira lista de servidores admitidos no período do processo

Informação adicional
  • Imagens: Bruno Leão

Defesa do SindSaúde é para que processo seja finalizado e retroativos das incorporações sejam efetivados

O SindSaúde teve acesso à relação dos servidores da Saúde admitidos no período de 1993 a 1996 e que podem ser beneficiados no processo aberto na Secretaria de Saúde para cobrar o retroativo da incorporação da progressão de referências. 

A lista abaixo tem os nomes do primeiros admitidos, em 1993 e 1994. Em breve será disponibilizada a lista dos admitidos em 1995 e 1996.

Foi após articulação da presidente Marli Rodrigues que o processo foi tirado da gaveta e teve andamento.

Marli lembra que os trabalhadores estão prejudicados pelo sobrestamento desse processo das referências que não foram concedidas de igual forma para todos os servidores entre 1993 e 1996.

O andamento do processo foi travado em 2015, ainda no governo de Rollemberg. “Engavetaram o processo no início do governo do calote. Agora, pedimos ao secretário de Saúde que o andamento seja retomado e obtivemos essa garantia”.

O SindSaúde solicitou também à SES os valores totais a serem pagos e em breve deve divulgar.

Pelo número do processo físico é (0060-009074/2004). E os servidores podem verificar o andamento do processo no SEI, no processo virtual, pelo número 060.109631/2019-98. Todos aqueles que não tiveram a incorporação retroativa da progressão de referências entre 1993 e 1996 podem procurar o Departamento Jurídico do SindSaúde-DF no telefone (61) 99314-3952.

O sindicato busca informações também sobre outros servidores que acreditam estar entre os beneficiados, mas não tiveram o nome incluído no processo.

Abaixo você pode acessar a primeira lista de servidores, admitidos nos anos de 1993 e 1994. Para ter acesso à lista é necessário preencher o formulário da página.

Clique aqui para acessar!

12/06/2019 - 12:31 Notícias SindSaúde DF

Jurídico vence ações da GATA e de cobrança de exercício findo

Informação adicional
  • Imagens: Bruno Leão

Ao todo, GDF terá que desembolsar mais de R$ 50 mil

Em mais uma semana de vitórias judiciais, o Departamento Jurídico do SindSaúde obteve êxito em ações que, somadas, chegam a cerca de R$ 53,8 mil. Em nove processos, o GDF foi condenado pelo Tribunal de Justiça do DF em ações relacionadas ao pagamento da da Gratificação de Atividade Técnico-Administrativa (GATA) e de valores que caíram em exercício findo.

Em outra sentença, o governo local terá que desembolsar aproximadamente R$ 33,9 mil referentes a diferenças salariais que devia a uma sindicalizada.

Atendimento do Departamento Jurídico para sindicalizados:
De segunda à sexta-feira
Horário: 9h às 17h
SDS Ed. Venâncio lll sala 109/113 - Brasília, DF, 70393-902
Telefones: (61) 4063-9077 ou (61) 3225-6579
WhatsApp Jurídico (informações de ações coletivas, agendamentos e dúvidas procedimentais): (61) 99314-3952
JURÍDICO SINDSAÚDE

11/06/2019 - 15:53 Notícias SindSaúde DF

SindSaúde convoca para Assembleia Geral para 4 de julho

Informação adicional
  • Imagens: Peter Neylon

GATA, ISONOMIA e reajuste não são regalias e legislação deve ser cumprida

A presidente do SindSaúde-DF, Marli Rodrigues, convoca os servidores da Saúde para Assembleia Geral, no dia 4 de julho de 2019, no Clube da Saúde, às 10h. Após o prazo apresentado pelo Governo do Distrito Federal para a incorporação da Gratificação de Atividade Técnico-Administrativa (GATA) e do pagamento da 3ª parcela do reajuste se esgotar, é hora de discutir o cumprimento da lei e os caminhos que o sindicato trilhará em relação a estas e outras questões.

A assembleia lançará a “Campanha pela Libertação da GATA” (CLG). O diálogo foi necessário com o Poder Executivo após longos e árduos anos de exclusão e falta de respeito com os servidores na última gestão.

“Não estamos lutando por regalias ou privilégios. Entendemos a crise econômica que se instala no País, porém, não podemos ser, mais uma vez, os maiores afetados pelas medidas de retenção de gastos. O que estamos cobrando é nosso direito, é lei, e como tal deve ser cumprida”, destaca a presidente Marli.

10/06/2019 - 18:30 Notícias SindSaúde DF

Filiados ao SindSaúde já podem se cadastrar para acolhimento no Espaço NovaMente

Informação adicional
  • Imagens: Bruno Leão

Prazo para cadastro começa nesta terça-feira (11) e se encerra na quinta-feira (13)

Está aberto o período de cadastro para acolhimento e atendimento no Centro de Atendimento e Estudos da Saúde do Servidor Público do Distrito Federal (Caessp-DF) - Espaço NovaMente. Inicialmente, serão abertas 30 vagas para servidores filiados ao SindSaúde-DF. O início do atendimento será em julho.

Para se cadastrar, basta clicar nesse link aqui.

Essas primeiras vagas são para servidores públicos da Saúde, filiados ao SindSaúde, afastados do trabalho por motivos de saúde mental e sem tratamento.

Para se cadastrar, basta preencher o formulário e aguardar o contato da equipe NovaMente. Os cadastros que ultrapassarem o número de vagas oferecido inicialmente irão para a lista de espera e os servidores serão convocados de acordo com a disponibilidade de atendimento.

A prioridade do Espaço NovaMente é atender servidores afastados do trabalho que não possuem tratamento. A ordem de cadastro também será considerada no chamamento dos sindicalizados.

"O SindSaúde pensou esse projeto para acolher os nossos colegas, cuidar de quem cuida. Os servidores estão doentes e sem atendimento adequado, abandonados há anos pelo Estado", afirma a presidente do SindSaúde-DF, Marli Rodrigues.

NovaMente

No Espaço NovaMente, os servidores passarão por um acolhimento e receberão atendimento interdisciplinar - são profissionais da psicologia, terapia ocupacional, fisioterapia, enfermagem, educação física e serviço social. O local também fará uma ponte com os serviços já ofertados pela rede de assistência e acompanharão o tratamento dos servidores.

O Espaço NovaMente funciona no Guará, num espaço de 4 mil metros quadrados de área verde. Além dos consultórios para atendimento há espaço para acompanhantes, redário, sala de pesquisa, ambientes ao ar livre e espaço para atividades em grupo.

Pesquisa

Ao mesmo tempo que cuida dos servidores, o Centro iniciou um projeto inovador no Brasil de pesquisa das causas do adoecimento dos servidores públicos.

“O nosso grande foco é a pesquisa e a produção científica. Só conhecendo a fundo as causas de tantos afastamentos poderemos auxiliar na criação e qualificação de políticas públicas efetivas para esses trabalhadores”, completa o diretor técnico da NovaMente, psicólogo Lucio Costa.

Clique aqui e acesso o formulário de cadastro.

10/06/2019 - 13:45 Notícias SindSaúde DF

Reforma da Previdência prejudica os mais necessitados e mantém o Brasil parado

Informação adicional
  • Imagens: Bruno Leão

O presidente Jair Bolsonaro, juntamente com o ministro da Economia, Paulo Guedes, travam uma guerra com a classe trabalhadora e dividem o País ao tentarem, a todo custo, aprovar mudanças na aposentadoria. Enquanto isso, a especulação do governo, do setor financeiro e de alguns empresários deixa o Brasil parado.

O principal argumento dos defensores da reforma da Previdência é o combate aos privilégios dos mais ricos. Segundo esses entusiastas, todos devem pagar o preço, desde os mais pobres até a classe mais abastada do País. No entanto, isso não faz sentido. Como pessoas com renda totalmente diferentes serão penalizadas da mesma forma?

Em debate realizado na comissão especial na Câmara dos Deputados, que analisa a proposta de reforma da Previdência, o economista Eduardo Moreira criticou as falácias ditas pelo Governo Federal. “Você não pode comparar os R$ 100 que você corta do rico com os R$ 100 que você corta do pobre”, disse Moreira.

Sem sombra de dúvidas, o aspecto mais cruel da reforma da Previdência é a alteração no Benefício de Prestação Continuada (BPC), concedido a idosos com mais de 65 anos e renda familiar de até R$ 238 e às pessoas com deficiência. Com as regras atuais, esses beneficiários têm direito a um salário mínimo mensal. A equipe comandada por Guedes propõe duas faixas de benefícios para os idosos. A partir dos 60 anos, no valor de R$ 400, e a partir dos 70 anos, no valor de um salário mínimo, R$ 998 atualmente.

Para o SindSaúde, outra característica cruel da reforma da Previdência é a mudança para o sistema de capitalização, em que o trabalhador deposita valores todos os meses e, após determinado tempo, saca o dinheiro. Porém, a poupança rende mais e, além disso, o usuário pode retirar o dinheiro quando ele quiser.

Capitalização

Esse modelo de aposentadoria é a menina dos olhos de Paulo Guedes. Ele defende com veemência o sistema, pois presenciou, enquanto morou no Chile, a sua implementação. Mas o que o economista da Escola de Chicago não menciona é que, atualmente, o Chile está revendo esse modelo de aposentadoria.

O SindSaúde não cessará na resistência à reforma da Previdência, pois coloca o bem estar do trabalhador em primeiro lugar. Esse sindicato não concorda com a proposta que fere os direitos adquiridos com tanta luta pelo movimento sindical, que fere as pessoas mais carentes desse País e enriquece o bolso de instituições financeiras.

Para ler a revista na íntegra, clique aqui! 

07/06/2019 - 16:02 Notícias SindSaúde DF

Jurídico vence processos que somam mais de R$ 43 mil para servidores

Informação adicional
  • Imagens: Bruno Leão

Semana termina com saldo positivo para servidores que procuraram os advogados do sindicato

O Departamento Jurídico do SindSaúde termina a semana com vitórias em 6 processos de exercício findo que somam mais de R$ 43 mil. Além disso, uma servidora não terá que devolver valores depositados erroneamente pelo Governo do Distrito Federal de adicional de tempo de serviço.
Servidores que procuraram o Jurídico do sindicato para conquistarem o direito do recebimento de dívidas do DF que haviam caído em exercício findo saíram vencedores. Foram seis processos ao todo. Três deles foram julgados pelo 3º Juizado Especial da Fazenda Pública do DF, e as servidoras receberão R$ 6.032,22; R$ 7.798,41 e R$ 5.347,72; respectivamente.

Em outro processo, o 1º Juizado Especial da Fazenda Pública do DF condenou o governo a pagar a quantia de R$1.576,74 a servidora.

O 2º Juizado Especial da Fazenda Pública do DF sentenciou o DF a pagar verba reconhecida administrativamente a servidora no valor de R$ 1.368,87. Por fim, os juízes do Gabinete do Juiz de Direito Almir Andrade de Freitas acordaram em 2ª instância que servidora receba a quantia de R$ 21.364,08.

Em todos os casos o valor deverá ser corrigido pelo monetariamente pelo Índice de Preços ao Consumidor Amplo Especial - IPCA-E.

Após processo acompanhado pelos advogados do SindSaúde, servidora não precisará restituir o erário por ter recebido valores a mais de adicional de tempo de serviço, por erro do próprio DF. A decisão foi do 3º Juizado Especial da Fazenda Pública do DF.

Atendimento do Departamento Jurídico para sindicalizados:
De segunda à sexta-feira
Horário: 9h às 17h
SDS Ed. Venâncio lll sala 109/113 - Brasília, DF, 70393-902
Telefones: (61) 4063-9077 ou (61) 3225-6579
WhatsApp Jurídico (informações de ações coletivas, agendamentos e dúvidas procedimentais): (61) 99314-3952
JURÍDICO SINDSAÚDE

06/06/2019 - 14:31 Notícias SindSaúde DF

Servidores do DF recebem a revista INPressão – VEJA FOTOS

Informação adicional
  • Imagens: Bruno Leão

Representantes do SindSaúde distribuíram os exemplares da 5ª edição da Revista “INPressão” no Instituto Hospital de Base e Hospital Regional do Gama nesta quinta-feira (6).

Os servidores receberam a publicação do SindSaúde que entre vários assuntos tem um histórico dos 40 anos do sindicato, suas lutas e vitórias, além de discussões importantes sobre o atual momento político e social para a categoria da Saúde do DF.

O periódico será entregue por representantes do SindSaúde em todas as regionais de saúde.

 

CLIQUE AQUI E ACESSE A REVISTA ONLINE

06/06/2019 - 13:49 Notícias SindSaúde DF

Ressignificar para fortalecer o movimento sindical

Informação adicional
  • Imagens: Bruno Leão

O cenário político e social no País pede novas batalhas e posicionamentos assertivos na defesa dos direitos dos trabalhadores

O SindSaúde-DF se aproxima dos seus 40 anos. Nesse período, muita coisa mudou. Hoje, novas configurações políticas estão colocando em perigo os direitos que já estavam garantidos. Mais uma vez, a classe trabalhadora do Brasil está ameaçada. Por isso, as nossas forças devem se concentrar na luta para que nenhuma vitória seja retirada.

 No Distrito Federal, a árdua batalha pela garantia das leis continua. Os servidores da Saúde não estão cobrando do GDF nada além do comprimento da legislação. A incorporação da terceira parcela da GATA, o pagamento de pecúnias, a concessão do  (TPD), e garantia da Trabalho em Período Definido isonomia os benefícios ao trabalhador da SES previstos em lei. 

Ninguém está cobrando algo novo, inédito ou regalias, pois entendemos que todo o Brasil passa por um momento delicado em sua economia, só queremos o que já é nosso. É importante lembrar que, durante a campanha eleitoral, todos os candidatos já sabiam de tudo isso, inclusive foram avisados pelo SindSaúde no seminário que promovemos.

  A Reforma Trabalhista, sancionada em 2017, já havia dificultado a vida da classe que produz e serve. Porém, o que já era catastrófico, está se tornando trágico, e as mudanças propostas pela reforma da Previdência castigam os mais pobres. Não podemos nos calar!

 É momento de se unir, de esquecer correntes partidárias e perceber que estamos todos juntos neste barco que tende a afundar, quem não ajudar a remar, vai morrer afogado também.

Pelos aposentados, por cada um de nós e pelo futuro dos nossos filhos e netos. O momento é de reestruturar as estratégias, de arregaçar as mangas e organizar as trincheiras, de onde o movimento sindical nunca saiu.

  São quatro décadas do SindSaúde-DF. Ao longo desse tempo, acompanhamos o cotidiano de diversos companheiros e companheiras. Não vamos esquecer que a vitória sempre foi a nossa maior bandeira. O convite é para estreitarmos os laços e não deixar que os engravatados acabem com os nossos sonhos de condições de trabalho favoráveis, e recebimento de direitos conquistados. Que a lei, a Constituição e a ética reinem em nosso amado Brasil.

Marli Rodrigues - Presidente do SindSaúde-DF

Para ler a revista na íntegra, clique aqui!