Com dívida de R$ 15 milhões, SES pode deixar unidades sem seguranças

Qui, 25 Out 2018

Empresa faz mais uma cobrança e diz que necessidade de pagamento é urgente

Mais um calote do Governo do Distrito Federal coloca em risco a vida de pacientes da rede pública de Saúde. Não bastasse a falta de tratamentos e precariedade, agora os usuários podem enfrentar a falta de segurança dentro das unidades de saúde.

A Confederal Vigilância e Transporte de Valores, prestadora de serviços de vigilância em hospitais do DF, enviou a Secretaria de Saúde uma carta, nesta terça-feira (23), solicitando o pagamento de débitos anteriores. A empresa afirma que a SES deve, desde 2017, um valor que já chega em R$ 15,8 milhões. Segundo o texto, não é a primeira vez que a instituição alerta o GDF sobre os atrasos e falta de pagamento.

Junto ao documento foi encaminhada uma planilha que discrimina todas as dívidas do DF com a empresa. A empresa cobra que o governo pague, o quanto antes, as pendências, já que a instituição cumpriu sua parte emitindo as notas fiscais e não interrompendo o trabalho.

Pacientes desassistidos na Cardiologia e GDF questionado por presente de mais de R$ 400 milhões

Qui, 25 Out 2018

TCDF investiga situação denunciada pelo Ministério Público e o prejuízo classificado como "FARRA FISCAL"

Na semana em que o secretário de Fazenda do Distrito Federal, Wilson de Paula, anunciou que o GDF fechará o ano com déficit aproximado de R$ 600 milhões (números subestimados), os pacientes que necessitam de atendimento cardiológico, como exames e cirurgias, além de transplantes de órgãos, ficam sem assistência em função do calote do governo de R$ 26 milhões no contrato com o Instituto de Cardiologia, conveniado à SES, conforme denúncia publicada no Portal SindSaúde.

Nesse cenário de destruição e abandono chamou a atenção a Decisão do Tribunal de Contas do Distrito Federal (TCDF) nº 4932/2018, publicada em 11 de outubro de 2018 que traz à tona um assunto pouco explorado e quase sem repercussão junto à sociedade, apesar de sua gravidade. O documento trata de uma farra fiscal promovida pelos gestores da Secretaria de Fazenda do DF, que culminou em um presente milionário à empresa de cosméticos Natura.

tcdf

O

Incompetência de Rollemberg pode matar ainda mais pacientes

Qua, 24 Out 2018

CALOTE: Instituto de Cardiologia suspende todos os agendamentos para a rede pública por conta de dívida de R$ 26 milhões em dois contratos com o GDF

Os usuários da rede pública do Distrito Federal estão sem atendimento cardiológico por conta de mais um calote do Governo do DF em seus contratos. Um ofício do Instituto de Cardiologia do Distrito Federal, desta terça-feira (23), comunica ao secretário de Saúde do Distrito Federal a suspensão dos atendimentos eletivos aos usuários da rede pública. A dívida do GDF já soma mais de R$ 26 milhões.

"Torna-se absolutamente imperativa a ação de interromper todos os atendimentos eletivos do ICDF, a fim de garantir a realização das cirurgias cardiovasculares de urgência e emergência pelos próximos 10 (dez) dias", diz o documento.

“É mais uma tragédia anunciada. Já sabendo que vai deixar o governo, Rollemberg abandona um pouco mais a Saúde Pública.

Servidores podem ter desconto em salário por incompetência do secretário

Qua, 24 Out 2018

Tribunal de Contas do DF chegou a multar Humberto Fonseca por não ter respondido questionamentos

Os servidores da regional Sudoeste podem pagar pela incompetência da atual gestão da Saúde com a ameaça de descontos em folha de pagamento por faltas injustificadas. E o pior: podem ter as reduções nos salários sem mesmo ter faltado ao trabalho. A ausência de resposta da Secretaria de Saúde em questionamento do Tribunal de Contas do Distrito Federal pode prejudicar centenas de servidores da regional.

O questionamento do TCDF, após auditoria, é relativo ao mês de junho de 2014. Na época, a SES trocava o sistema manual de registro de presença para um digital, mas o processo não foi automático e seguiu um cronograma. A cada três ou quatro meses, uma nova regional deixava as folhas manuais para adotar o sistema eletrônico.

Dessa forma, o TCDF não encontrou a presença registrada de servidores da regional Sudoeste no sistema eletrônico na região e considerou que eles faltaram e deveriam ter vencimentos descontados.

Resposta

Ao

FILA ZERADA? Valdeci espera há mais de um ano por uma mamografia

Qua, 24 Out 2018

Além de tudo, idosa também aguarda cirurgia vascular nas pernas há mais de 10 anos

Valdeci Alves, 61 anos, é mais uma paciente que sofre com o descaso do governo do DF com a Saúde Pública. A usuária do Centro de Saúde nº 7, de Taguatinga, denuncia diversas falhas e falta de atendimento.

Em pleno Outubro Rosa, por mais que o governo insista em dizer que a fila para fazer mamografia está zerada, Valdeci afirma que está esperando pelo exame há mais de um ano. Por conta da idade o procedimento é indispensável, e ela já tem o encaminhamento do médico do posto de saúde, mas mesmo assim nunca foi chamada.

De acordo com a paciente, também já tem 10 anos que ela espera por uma cirurgia vascular nas pernas em decorrência de uma trombose. Outra reclamação dela é que o remédio para o coração que necessita não está sendo distribuído de forma correta há 6 meses.

Enfrentamento, resistência, construção e vitória

Ter, 23 Out 2018

SindSaúde vira a página após 4 anos de luta para a construção de uma saúde pública melhor

Às vezes, na vida, precisamos ter muita coragem e determinação. Isso ocorre quando o momento pede para irmos além das nossas forças e conquistar mais que a expectativa. E o momento pediu. Tomou posse em 2015 um governo inescrupuloso, que, mesmo após a queda de um viaduto, a derrubada de casas e o assassinato de pacientes, ainda teve o cinismo de se apresentar para uma reeleição. Poderia até ser fácil, se não houvesse trabalhadores determinados para se colocar no caminho e impedir tal vilania.

Tem sido assim desde o início do desgoverno de Rodrigo Rollemberg, que conseguiu desagradar a todos e unir os mais divergentes para enfrentá-lo.
Rollemberg escolheu o servidor público como seu alvo, se prostrou no Palácio do Buriti como paladino da moral e da ética.

Sindicalizados vencem ações da GATA, GTIT e exercício findo

Ter, 23 Out 2018

Jurídico do SindSaúde saiu vitorioso em vários processos de servidores do DF

O Departamento Jurídico do SindSaúde conseguiu êxito em diversas ações na Justiça no início desta semana. Foram três servidores que ganharam o processo referente a exercício findo, que somam mais de R$ 31 mil. O GDF foi condenado ainda ao pagamento de horas extras a um sindicalizado. Houve também duas vitórias de processos da GATA a outros servidores. Por fim, uma servidora fez requerimento administrativo para o recebimento da Gratificação de Titulação (GTIT) e os advogados do SindSaúde conquistaram vitória para a profissional.

A 2ª Vara da Fazenda Pública do DF condenou o DF a pagar R$ 21.106,57 a servidora por valores oriundos em exercício findo. Assim como o 1º Juizado Especial da Fazenda Pública do DF julgou procedentes os proventos de dois servidores sindicalizados, um no valor de R$ R$ 4.376,63

CENSURA! Rollemberg ordena o recolhimento da revista do SindSaúde

Ter, 23 Out 2018

Agindo como um coronel do Cerrado, Rodrigo Rollemberg determinou ao seu feitor, secretário de Saúde, Humberto Fonseca, e aos seus capatazes o imediato recolhimento da REVISTA “INPressão” do SindSaúde, distribuída nesta terça-feira em todo o DF, inclusive nas regionais de saúde.

No Hospital do Guará, o diretor administrativo José Maria foi flagrado fazendo o recolhimento das revistas. Além de antidemocrática, é constrangedora tal atitude, pois demonstra a incapacidade de lidar com a realidade que os servidores viveram nos últimos 4 anos.

WhatsApp Image 2018-10-23 at 14.48.16.jpeg

No Hospital Regional de Ceilândia (HRC), os profissionais também relataram ações de coação e recolhimento do material por parte dos gestores. Assim como também foi relatado no Hospital de Santa Maria. Segundo uma servidora da unidade, as revistas foram distribuídas pela manhã e a gestora determinou o recolhimento à tarde.

“Essa censura visa a alienação da consciência dos cidadãos, servidores e pacientes que precisam dos serviços de saúde pública do DF.

SindSaúde publica nova edição da revista “INPressão". Clique aqui e acesse!

Ter, 23 Out 2018

Publicação traz um relato sobre os 4 anos trágicos da Saúde na atual gestão. A revista é distribuída em todas as regionais e também está online

Começou a ser distribuída nesta terça-feira (23), em todo o Distrito Federal, a 4° edição da “Revista INPressão”, publicação do SindSaúde. A revista traz como destaque os quatro anos de abandono, incompetência e mortes que ocorreram na gestão de Rodrigo Rollemberg (PSB).

Na publicação também são discutidos os desafios para o próximo governador do DF. Matéria sobre a saúde mental traz relatos de servidores da Saude que sofreram assédio moral no ambiente de trabalho.

Para ler a revista na íntegra, clique neste link!

Aposentados e pensionistas terão que fazer recadastramento e prova de vida a partir de janeiro

Seg, 22 Out 2018

Medida vale para servidores da Administração Direta, Autárquica e Fundacional do DF

Todos os servidores aposentados e pensionistas do Governo do Distrito Federal terão que comprovar que estão vivos e fazer recadastramento para continuar recebendo o benefício, a partir do dia 1º de janeiro de 2019. O registro será feito no Banco de Brasília (BRB), a partir de janeiro, no respectivo mês de aniversário dos beneficiários.

Um mês antes do aniversário desses trabalhadores, o Instituto de Previdência dos Servidores do DF (Iprev) publicará um edital com a convocação. Os servidores que possuem dependentes menores de 21 anos, no momento da recadastro, deverão ter mãos os seus documentos e a dos seus menores exigidos pelo órgão.
Clique aqui para mais informações sobre a lista de documentos.

Em relação aos beneficiários impossibilitados de comparecer ao BRB por conta de problemas de saúde ou que tenham mais 90 anos, estes precisarão enviar um e-mail ao Iprev ([email protected]),

O governador que não sabe fazer contas

Seg, 22 Out 2018

Em quatro anos, o governador Rodrigo Rollemberg (PSB) não conseguiu fazer o mínimo que deveria ser feito no Distrito Federal: manter as contas públicas em dia e investir naquilo que é básico para a população. O chefe do Executivo repete, com veemência, o velho mantra da sua gestão, “conseguimos honrar os pagamentos de todos os servidores e pegamos o DF falido”. Ele só esqueceu que pagar as contas é obrigação do gestor.

O que presenciamos nessa gestão é uma estagnação nos investimos públicos. Oficialmente, o GDF fala que terminará o ano com um déficit de R$ 600 milhões. O seu oponente, que lidera as pesquisas para na Eleição 2018, afirma que receberá o governo com uma dívida muito maior. Segundo o candidato Ibaneis Rocha (MDB), o rombo chegará a R$ 2,4 bilhões. A verdade, só saberemos quando abrirem os cofres públicos.

Com certeza o déficit está abaixo da realidade.

Farmácia de Alto Custo: o abandono do governo não tem limites

Seg, 22 Out 2018

Matéria do Portal Metrópoles mostra a triste saga de quem precisa de medicamentos no DF

Além de enfrentar uma doença, os pacientes da rede pública do DF ainda sofrem com a angústia de não saber se receberão os remédios que precisam e deveriam ser oferecidos pelo governo. Na maioria dos casos, são tratamentos que não podem ser interrompidos. Nesta segunda-feira (22), o Portal Metrópoles mostrou as dificuldades encontradas pelos usuários das 3 farmácias de Alto Custo do GDF. Depois de ficar um longo tempo na fila de espera, algumas pessoas não recebem seus remédios por falta no estoque. Descaso e irresponsabilidade da atual gestão no Governo do DF.

LEIA A REPORTAGEM COMPLETA:

Há 20 anos, o serralheiro Fernando Aparecido Alves de Lima, 43, descobriu uma neuropatia diabética que fez sua vida virar de cabeça para baixo. Para manter-se sem crises, teve de parar de trabalhar e viver à base de remédios ofertados pela Farmácia de Excepcionais do governo do Distrito Federal.

No

Descaso do GDF causa desabastecimento em toda a rede

Seg, 22 Out 2018

Hospitais, Centros de Saúde e Farmácia Central reclamam falta de medicamentos

Toda semana o SindSaúde-DF noticia a falta de algum medicamento na rede pública de Saúde. O descaso do governo com o abastecimento de remédios fez, inclusive, o Ministério Público do Distrito Federal e Territórios (MPDFT) questionar e requerer, diversas vezes, informações da Secretaria de Saúde sobre a programação de insumos.

Só este mês, Ceilândia, Taguatinga, Planaltina, Paranoá e Asa Norte reclamaram falta de remédios nas respectivas regionais. Até mesmo álcool gel e soro fisiológico falta na rede pública do DF.

Na Farmácia Central, este mês, há registros de servidores reclamando a falta de protetor ocular neonatal para fototerapia, curativo de alginato de cálcio, sistema fechado de aspiração traqueal infantil e cateter intravenoso periférico.

Também está zerado o estoque de Cloridrato de Metilfenidato, remédio para transtorno de déficit de atenção e hiperatividade que levou a promotora Fernanda da Cunha de Moraes, da Promotoria de Justiça de Defesa da Saúde (ProSUS), requisitar informações e providências urgentes da Secretaria de Saúde.

Risco

Em

Hospital de Base: mulher é picada por escorpião dentro do instituto de Rollemberg

Sáb, 20 Out 2018

O Instituto Hospital de Base, que segundo o governador Rollemberg é um modelo de atendimento na Saúde do DF, virou também abrigo para escorpião e um perigo para pacientes, acompanhantes e servidores.

Segundo publicação do Portal Metrópoles, uma mulher de 56 anos foi picada por um escorpião, dentro do IHB, na noite desta sexta-feira (19/10). A vítima acompanhava a mãe no pronto-socorro da cardiologia e o animal estava no chão da unidade.

Após o ocorrido, a mulher foi levada em ambulância para o Hospital Regional da Asa Norte (HRAN), onde recebeu medicações e foi liberada. A paciente recebeu os medicamentos via soro, injetados via seringa.

Como sempre, a Secretaria de Saúde não respondeu aos questionamentos da reportagem do Metrópoles sobre medidas tomadas para o controle de pragas e também não explicou sobre a presença do escorpião no interior da unidade.

Sedentarismo está ligado ao aumento das mortes por câncer de mama, afirma pesquisa

Sex, 19 Out 2018

Estudo foi publicado na revista britânica Nature e contou com a participação do Ministério da Saúde

Um estudo da Revista Nature, publicação científica do Reino Unido, afirma que uma em cada 10 mulheres brasileiras que morreram em decorrência do câncer de mama poderia ter a vida poupada caso praticassem alguma atividade física. A elaboração da pesquisa teve participação do Ministério da Saúde. De acordo com o estudo, 2.075 mortes, ocorridas em 2015, podiam ter sido evitadas caso as pacientes fizessem, ao menos, uma caminhada de 30 minutos por dia, cinco vezes por semana.

Outros fatores de risco também foram estudados. De acordo com a pesquisa, 6,5% dos óbitos por câncer de mama decorreram ao uso do álcool, índice alto de massa corporal e excesso de açúcar na dieta.

A diretora do Departamento de Vigilância de Doenças e Agravos não Transmissíveis do Ministério da Saúde, Fátima Marinho, diz que a prática de exercícios físicos ajuda no aumento do metabolismo:

“A

SKY e SindSaúde levam cinema para sua casa

Sex, 19 Out 2018

Sindicalizado pode contratar TV por Assinatura e ter o melhor da SKY para toda a família

O SindSaúde e a SKY trazem para os sindicalizados uma grande novidade. Agora, você pode adquirir a melhor TV por Assinatura por um preço acessível. Esta é uma grande oportunidade de garantir mais qualidade de vida e entretenimento para toda a família.

A promoção disponibilizará 100 aparelhos grátis para sindicalizados do SindSaúde-DF - no mercado, esse aparelho custa, em média, R$ 144,00, mas para quem é sindicalizado será gratuito.

O SindSaúde e a SKY oferecem as seguintes vantagens aos sindicalizados:

1- Aparelho SKY SD com controle remoto e pilha – Gratuito.

2- Dois meses grátis de mensalidade do pacote Smart SD. Incluindo mais de 100 canais: infantis, filmes, esportes, documentários e muito mais. Esse pacote será gratuito por 2 meses.

3- Depois dos 02 (dois) meses grátis, caso queira continuar usando, você escolhe um pacote de recarga da sua preferência - recargas disponíveis a partir de R$ 16,90.

Centro de Saúde tem lista de 78 remédios com estoque zerado

Sex, 19 Out 2018

Entre os medicamentos em falta, estão Omeprazol e Amoxicilina

Ao menos 78 medicamentos estão com o estoque zerado no Centro de Saúde nº 8 de Taguatinga. A lista dos remédios em falta está fixada no mural da unidade. O repasse da maior parte desses medicamentos é de responsabilidade da Secretaria de Saúde do Distrito Federal, sendo que a pasta deixou de entregar ao Centro de Saúde 65 remédios. A entrega dos outros 15 medicamentos deveria ter sido feita pelo Ministério da Saúde.

Entre os produtos com o estoque zerado estão Ondansetrona 4mg (remédio usado por pacientes com câncer), Omeprazol 20mg (utilizado para problemas estomacais) e o antibiótico Amoxicilina, todos de responsabilidade da SES.

Em relação à entrega dos remédios sob responsabilidade do Ministério da Saúde, estão em falta, por exemplo, a nicotina em forma de adesivo e goma de mascar, usados para o tratamento de fumantes.

Alerta

TCDF multa SES por falta de equipamentos e transparência nas contas

Sex, 19 Out 2018

Corte penalizou o órgão por conta de falhas no atendimento à população

O menosprezo do governo do Distrito Federal à Saúde Publica ganhou hoje novos contornos. No Diário Oficial do DF desta sexta-feira (19), o Tribunal de Contas do DF (TCDF) publicou duas multas à Secretaria de Saúde, ambas referentes à falta de equipamentos e exames.

A primeira multa, fixada no valor de R$ 5 mil, está relacionada a “ociosidade de equipamentos para dosagem de exames e gasometria”. No texto, o TCDF diz que a SES deixou “de realizar estudos técnicos preliminares para aquisição dos equipamentos AQT 90 e ABL 80”. Esses aparelhos são utilizados para análises sanguíneas.

No mesmo contexto, mas em outra decisão, a Corte multou a Saúde em R$ 2,5 mil por “autorizar a compra dos equipamentos ABL 80 sem que a área demandante apresentasse estudos técnicos preliminares”.

A pasta deve pagar a dívida em até 30 dias.

Para

GDF é condenado a pagar mais de R$ 100 mil a sindicalizados

Qui, 18 Out 2018

Ações são, em sua maioria, relativas a exercício findo, outra sindicalizada garantiu o desconto de empréstimo de no máximo 30% de sua renda pelo BRB

O Departamento Jurídico do SindSaúde obteve êxito em várias ações contra o Governo do Distrito Federal. Das decisões vitoriosas, quatro foram relativas a exercício findo, o que soma mais de R$ 100 mil. Uma das sentenças foi referente ao limite de cobrança de empréstimos pelo Banco de Brasília (BRB) e outra sobre o não desconto de insalubridade pelo governo.

A 4ª Vara da Fazenda Pública do DF condenou o DF a pagar aproximadamente R$ 60 mil a um servidor por dívidas de proventos. A decisão foi em segunda instância. Outra servidora também teve sucesso e receberá mais de R$ 23 mil do GDF, o órgão julgador foi o 1º Juizado Especial da Fazenda Pública do DF.

O terceiro caso sentenciou o governo a pagar mais de R$ 7 mil a uma servidora, relativos a valores de exercício findo, a decisão foi do 3º Juizado Especial da Fazenda Pública do DF.

Servidores que fizeram TPD recebem um terço a menos que ganhavam no regime de horas extras

Qui, 18 Out 2018

Após cobrança do SindSaúde, SES faz primeiro pagamento, mas valores revoltam

Após acabar com as horas extras na Secretaria de Saúde do Distrito Federal e instituir o Trabalho em Período Definido (TPD), uma espécie de trabalho extraordinário precarizado, o governador Rodrigo Rollemberg (PSB) tem despertado a revolta dos servidores em função dos baixos valores que eles receberam referentes ao benefício.

Após articulação do SindSaúde, a TPD de junho, enfim, caiu na conta dos funcionários da SES na noite desta quarta-feira (17), porém com 46 dias de atraso. Junto com o dinheiro veio a frustração e a indignação.

Os valores recebidos estão muito aquém, do que recebiam. Uma defasagem de quase 70% do montante anterior.

Em denúncia feita ao SindSaúde, uma auxiliar de enfermagem que trabalhou 36 horas em TPD, em agosto deste ano, receberá apenas R$ 567,69 líquido. Já descontado o imposto de renda, a funcionária ganhou R$ 15,76 por hora nesse regime de trabalho.

TPD1

Por