Assédio Moral na Saúde nunca mais!

Qui, 11 Abr 2019

Regional do Gama indica diretor e cria comissão anti-assédio para tratar de nomeações e exonerações

Os servidores do Hospital Regional do Gama definiram, nesta quinta-feira (11), em assembleia do SindSaúde, encaminhar para a Superintendência o nome de Dr. José Atevaldo do Nascimento Júnior como diretor do hospital. Os trabalhadores também elegeram uma comissão anti-assédio para avaliar e acompanhar as nomeações e exonerações.

“Assédio na Saúde nunca mais! Esses assediadores que perseguiram e continuam perseguindo os servidores serão varridos para fora um por um”, afirmou a presidente do SindSaúde, Marli Rodrigues.

A assembleia também definiu o retorno de Moacir José da Conceição ao Centro Cirúrgico e de Milton Araújo ao ambulatório. Os dois sofreram perseguição e foram removidos contra a vontade. Os servidores do Gama definiram, ainda, indicar o nome de Lisana Araújo para a gerência de enfermagem.

Escolhas

Dr. Atevaldo é médico otorrinolaringologista há 25 anos no local.

Prazo para recadastramento de aposentados e pensionistas é novamente prorrogado

Qui, 11 Abr 2019

Cerca de mil beneficiários, aniversariantes de janeiro, não fizeram atualização e terão até 10 de maio para recadastrar

O Instituto de Previdência dos Servidores do DF (Iprev/DF) prorrogou o prazo para o recadastramento, prova de vida, dos aposentados e pensionistas da administração direta, autárquica e fundacional do Governo do DF que fizeram aniversário em janeiro e ainda não atualizaram seus dados. É a segunda vez que o prazo de recadastramento é prorrogado.

Segundo publicação do Portal Metrópoles, um levantamento feito pelo Iprev mostra que cerca de mil beneficiários que deveriam ter feito o seu recadastramento no mês de janeiro ainda não o fizeram. Eles terão agora até 10 de maio para atualizar os dados.

O recadastramento deve ser feito presencialmente no Banco de Brasília (BRB), de segunda a sexta-feira, no horário de expediente bancário. A relação das agências com endereço completo está no portal do Iprev: www.iprev.df.gov.br/recadastramento.

SindSaúde se reúne com BRB e busca maior carência e menores juros para endividados

Qua, 10 Abr 2019

BRB apresentou um cadastro online para atendimento e análise de cada caso

O SindSaúde se reuniu na terça-feira (9), com o subsecretário de Relações Institucionais do DF (Seris), Valteni Souza, e com a Diretora de Crédito e Clientes do BRB, Cristiane Bukowitz. O encontro ocorreu no anexo do Palácio do Buriti e teve por pauta a situação dos servidores públicos superendividados.

A presidente do SindSaúde, Marli Rodrigues, abriu a reunião apresentando a atual situação de boa parte dos servidores da Saúde. Segundo ela, a maior parte da categoria está adoecida e com dívidas com os bancos, situação que reflete na família, no trabalho e na saúde mental dos trabalhadores. Então, reivindicou ao BRB uma proposta de renegociação das dívidas que facilite o pagamento, com carência de 4 meses e menores juros nas parcelas.

A representante do banco afirmou que a atual gestão do BRB está trabalhando para contemplar os endividados e proporcionar melhores condições aos servidores.

Sindicalizados podem adquirir plano especial com 6GB de internet

Qua, 10 Abr 2019

Planos estão disponíveis a partir de R$ 69,90 e com WhatsApp à vontade

O SindSaúde-DF recebeu novos aparelhos LG K9 TV para os sindicalizados que tenham interesse em adquirir planos especiais em parceria com a Claro. A promoção vale enquanto durarem os estoques.

O equipamento tem tecnologia de TV Digital e o servidor também poderá fazer fotos em alta qualidade, jogar e assistir vídeos. Tudo isso numa tela de 5 polegadas.

O benefício para os associados inclui ainda 6GB de internet, ligações ilimitadas para fixo ou móvel de qualquer operadora, local e interurbano, e WhatsApp à vontade.

Os planos têm mensalidades a partir de R$ 99,90 (com o aparelho) ou R$ 69,90 (somente a linha, sem aparelho) e só valem para sindicalizados do SindSaúde-DF que estiverem em dia com as obrigações estatutárias legais.

O pagamento do plano será por débito automático em conta corrente do Banco de Brasília (BRB).

O

Grupo de trabalho vai elaborar diretrizes para contratos de alimentação na SES

Qua, 10 Abr 2019

SindSaúde noticiou diversos calotes, ao longo de 2018, de convênios com prestadores do serviço

A Subsecretaria de Atenção Integral à Saúde, órgão vinculado à SES, publicou no Diário Oficial do Distrito Federal desta quarta-feira (10) uma ordem de serviço que cria um grupo de trabalho para elaborar um manual para os contratos de fornecimento de alimentação. O colegiado será supervisionado pela Gerência de Serviços à Nutrição e contará com cinco servidores.

Ao longo de 2018, durante o governo de Rodrigo Rollemberg (PSB), a reportagem do SindSaúde noticiou diversos impasses envolvendo o poder público e empresas que fornecem alimentação aos hospitais. Em dezembro do ano passado, a empresa Sanoli ameaçou interromper o serviço no Instituto Hospital de Base e no Hospital Materno Infantil caso o governo não pagasse dívidas que somavam R$ 37,4 milhões.

O grupo de trabalho terá quatro meses para concluir as novas diretrizes e deverá se reunir a cada 15 dias. Além disso, segundo a publicação, “o grupo poderá convidar outros servidores da SES e/ou especialistas com expertise no assunto em discussão para atuarem como técnicos de apoio, quando isso for pertinente e necessário”.

Servidor se torna alvo para o novo terrorismo no Brasil

Qua, 10 Abr 2019

Por Marli Rodrigues

A desvalorização do servidor público cresce um pouco a cada ano. Foi-se o tempo em que ocupar cargos públicos com a nomeação deles era palavra de ordem e caía muito bem aos governantes, que valorizavam a natural ordem de dar mérito a quem mereceu o mérito.

Hoje, o que se vê, e o que sentimos na pele, é a desvalorização dessa classe trabalhadora. Especialmente na Saúde Pública do Brasil. Se não há um plano nacional de gestão na Saúde, essa conta é cobrada lá na ponta, no profissional que está atendendo. É cobrado do servidor que faz seu máximo, se dedica, e busca resolver cada demanda do paciente mesmo em estado de caos.

Se não há uma gestão preocupada em como um medicamento chegará até as remotas comunidades ribeirinhas em um estado como Amazonas, por exemplo, há nesse local um servidor da Saúde que se desdobra na tentativa de atender um paciente que clama pela vida.

SES publica portaria com regras para os servidores que optem pela remoção de unidades do IGESDF

Ter, 09 Abr 2019

Instituto é responsável pela gestão do Hospital de Base, Hospital de Santa Maria e das UPAs do Distrito Federal

A Secretaria de Saúde publicou, na manhã desta terça-feira (9), no Diário Oficial do DF, uma portaria com as regras para os servidores que queiram trabalhar em unidades de saúde fora da atuação do Instituto de Gestão Estratégica do Distrito Federal (IGESDF). O IGESDF é uma um serviço social autônomo responsável pela gestão do Hospital de Base, Hospital Regional de Santa Maria (HRS) e das Unidades de Pronto Atendimento (UPAs). O Instituto foi aprovado pela Câmara Legislativa no final de janeiro.

O servidor terá que indicar três unidades diferentes, podendo escolher pelas superintendências regionais de Saúde, Unidades de Referência Distrital (URDs), subsecretarias de Saúde ou outras unidades da administração central, com exceção do SAMU.

Segundo a publicação, o trabalhador que opte por ser removido de alguma dessas unidades deve comunicar a intenção em até 30 dias, com exceção daqueles que estiverem de licença, afastados ou de férias.

SindSaúde promove assembleia no Gama para discutir perseguição a servidores

Seg, 08 Abr 2019

Sindicato realiza encontro após receber denúncias de diversos casos de perseguição e assédio

Em meio a diversas denúncias de servidores da Secretaria de Saúde do Distrito Federal, que relatam que seus chefes os perseguem e os assediam, o SindSaúde DF realiza, na próxima quinta-feira (11), às 9h, a primeira assembleia sobre o tema. O encontro será com os servidores do Gama, no Hospital Regional da cidade. Os casos de perseguição, segundo funcionários da SES, são feitos por gestores nomeados no desgoverno de Rodrigo Rollemberg (PSB) e que ainda continuam nos cargos.

Na última semana, a presidente da entidade, Marli Rodrigues, denunciou a gerente de Serviços de Atenção Primária do Centro de Saúde nº 3 do Gama, Karoline Edielic Santos Araújo, após ouvir relatos de trabalhadores que sentiam perseguidos. Um dia após a denúncia, a gestora pediu exoneração do cargo.

Desde então, o sindicato recebe inúmeras queixas com casos semelhantes por meio das redes sociais.

Jurídico vence ações referentes a GATA e exercício findo para seis servidores

Sex, 05 Abr 2019

O Departamento Jurídico do SindSaúde continua com um trabalho de sucesso em defesa dos servidores da Saúde do DF. Esta semana, diversas sentenças foram favoráveis para servidores que recorreram ao auxílio jurídico. Entre os processos estão decisões positivas ao pagamento da GATA (Gratificação de Atividades Técnico-Administrativa) e 5 pagamentos de valores referentes a exercício findo. Os processos somam cerca de R$ 69 mil. Teve ainda um resultado vitorioso para o pagamento de diferença de proventos.

Na 1ª Vara da Fazenda Pública do DF, o juiz condenou o Governo do Distrito Federal ao pagamento das diferenças remuneratórias da GATA ao sindicalizado. Os valores serão calculados e corrigidos monetariamente pelo Índice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo Especial– IPCA-E.

O DF também foi condenado a pagar verbas em exercício findo no valor de R$ 1.9 mil a uma servidora. O processo foi julgado pelo 2º Juizado Especial da Fazenda Pública do DF.

Auxílio-alimentação: servidores devem ser tratados com isonomia

Sex, 05 Abr 2019

Benefício na CLDF é o triplo do pago aos servidores do GDF, que recebem R$ 394,50

O reajuste do auxílio-alimentação pago aos servidores da Secretaria de Saúde do Distrito Federal é uma pauta antiga do SindSaúde-DF. Os servidores do GDF são os que têm o menor auxílio, são R$ 394,50 por mês para alimentação. Enquanto isso, por conta da falta de isonomia entre os poderes, a Câmara Legislativa aumentou o vale-refeição dos trabalhadores da Casa na última terça-feira (2), de R$ 1.269,84 para R$ 1.313,39 – reajuste de 3,43%.

E os benefícios pagos a servidores da Saúde seguem congelados há anos. Com o auxílio mensal de R$ 394,50, em um mês com 30 dias, os trabalhadores terão apenas R$ 13,50 por dia para fazer as suas refeições.

Segundo pesquisa da Associação Brasileira das Empresas de Benefícios ao Trabalhador (ABBT), realizada em 2018, o preço médio de um prato de comida no DF é de R$ 34,78.

Discrepância

Sindicalizados podem aderir ao SaúdeCard por apenas R$ 39,90 por mês

Qui, 04 Abr 2019

Subsídio oferecido pelo SindSaúde garante desconto de 56% em plano especial

Faça sua adesão ao SaúdeCard por apenas R$ 39,90 por mês, com direito a consultas médicas gratuitas em várias especialidades. A adesão ao SaúdeCard custa R$ 89,90, mas o SindSaúde vai subsidiar R$ 50,00 para seus sindicalizados.

Os sindicalizados também podem cadastrar seus dependentes para ter a assistência pelo mesmo valor mensal. Não há carências para consultas após aprovação dos cadastros e o sindicalizado ainda terá de 10% a 70% de desconto em exames de imagens e análises laboratoriais. Para garantir o subsídio, a contratação precisa ser feita até 4 de julho.

Outra vantagem oferecida pela SindSaúde é o plano odontológico PRODENT. Na opção MASTER, o sindicalizado que aderir a esse plano investirá apenas R$ 35,00 mensais.

A assistência oferece ainda o plano DIAMOND. Por uma parcela de R$ 139,90 o sindicalizado terá estendida a cobertura para colocação de aparelho ortodôntico, manutenção e prótese.

A

Desgoverno de Rollemberg utilizou apenas 22,5% dos recursos para o combate à dengue

Qui, 04 Abr 2019

Apenas em 2019 já foram registradas sete mortes por conta da doença

Responsável pela tarefa de detectar e propor ações de combate a doenças, entre elas a dengue, a Vigilância Epidemiológica do Distrito Federal teve os recursos reduzidos em oito anos. No período em que Rodrigo Rollemberg (PSB) esteve à frente do Palácio do Buriti, entre 2015 e 2018, foram utilizados apenas 22,5% da dotação autorizada para investimentos no órgão. Em seu governo, Rollemberg possuía cerca de R$ 76 milhões previstos para investimentos na Vigilância Epidemiológica, mas empenhou somente R$ 17,2 milhões.

Em comparação, no ano de 2014, o investimento em vigilância epidemiológica foi de R$ 29 milhões e em 2018 caiu para R$ 2,3 milhões no ano.

Essas informações, passadas pelo Sistema Integral de Gestão Governamental (Siggo), aparecem num momento de crise, em que o DF registrou 7 mortes por dengue apenas neste ano.

Segundo o boletim epidemiológico, divulgado pela Secretaria de Saúde no início desta semana, o DF possui 5.759 notificações da enfermidade em 2019, sendo 4.971 considerados casos prováveis.

SindSaúde cobra exoneração de mais uma chefia da era Rollemberg

Qua, 03 Abr 2019

No Gama, servidores do Centro de Saúde 3 estão insatisfeitos com a gestão da unidade

A presidente do SindSaúde, Marli Rodrigues, esteve no Centro de Saúde nº 3 do Gama para pedir a saída da gerente de Serviços de Atenção Primária da unidade, Karoline Edielic Santos Araújo, que foi a gerente de enfermagem do Hospital Regional do Gama na era Rollemberg.

O SindSaúde acredita que para uma real mudança na gestão da saúde pública do DF, é necessário que os gestores que fizeram parte do período de opressão e perseguição do antigo governo deixem seus cargos. Não haverá melhorias enquanto não houver uma real atitude de remoção das chefias viciadas no descaso e na incompetência. Para a presidente, aS sequelas precisam ser eliminadas.

"O SindSaúde enfrentou o governador e vencemos. Não dá agora para aceitar que as mesmas pessoas que massacraram a nossa categoria sejam acomodadas e continuem no comando, prontas para sabotar e perseguir, como ja fizeram num passado recente", destaca Marli Rodrigues e completa: “A leitura é a seguinte: as ratazanas estão apenas mudando de lugar.

IR 2019: SindSaúde faz declaração dos sindicalizados até 30 de abril

Qua, 03 Abr 2019

O SindSaúde oferece aos filiados atendimento exclusivo para declaração de Imposto de Renda de Pessoa Física (IRPF). Para a declaração do ano-base 2018, os sindicalizados podem procurar o Departamento Jurídico do sindicato até 30 de abril. No entanto, a recomendação é não deixar para o último dia.

Os comprovantes de rendimentos referentes ao ano passado já estão liberados pela Secretaria de Saúde.

Além do comprovante de rendimento (fornecido pela SES), o sindicalizado deve levar, se possível, a declaração do ano anterior. Caso o servidor tenha despesas médicas, com instrução própria ou de dependentes, ele deve levar os comprovantes.

O atendimento dos sindicalizados é feito por ordem de chegada na sede do SindSaúde-DF, das 9h às 17h.

Atendimento do Departamento Jurídico para sindicalizados:
De segunda à sexta-feira
Horário: 9h às 17h
SDS Ed. Venâncio lll sala 109/113 - Brasília, DF, 70393-902
Telefones: (61) 4063-9077 ou (61) 3225-6579
WhatsApp

Deputada Erika Kokay apresenta projeto para aumentar recursos para o DF

Ter, 02 Abr 2019

Caso seja aprovado, recursos do imposto de renda e proventos de qualquer natureza permanecem no Distrito Federal

A deputada federal Erika Kokay protocolou na Câmara Federal, na sexta-feira (29/3), projeto de lei com o objetivo de alterar a lei que institui o Fundo Constitucional do Distrito Federal (FCDF), para estabelecer que o produto do imposto de renda e proventos de qualquer natureza, incidente na fonte, sobre rendimentos pagos, a qualquer título, com recursos do FCDF, pertence ao Distrito Federal.

Isso significa que, se o projeto for aprovado, pode ampliar os recursos na receita do GDF.

No dia 27 de março último, o Tribunal de Contas da União (TCU) decidiu que o DF terá que devolver R$ 10 bilhões à união e não poderá ficar com o imposto de renda, o que ocorre desde 2010, que incide sobre os soldos e benefícios pagos a categorias profissionais cujos salários são bancados pelo Fundo Constitucional do Distrito Federal (FCDF), como as polícias Civil e Militar e o Corpo de Bombeiros.

DF registra mais uma morte por dengue e casos da doença aumentam 528% em um ano

Ter, 02 Abr 2019

São Sebastião é a região administrativa com o maior número de registros

A Secretaria de Saúde do Distrito Federal registrou nesta semana mais uma morte em decorrência da dengue e o número já chegou a sete, desde o começo deste ano. O caso está no boletim epidemiológico da pasta, divulgado ontem, e que reuniu ocorrências da enfermidade até 23 de março.

Nesse período, São Sebastião foi a região administrativa que registrou o maior número de confirmações de pessoas doentes (721), seguido por Planaltina (665) e Ceilândia (389).

Ao todo já são 5.759 notificações de dengue no DF em 2019, sendo 4.971 considerados casos prováveis. Segundo o Ministério da Saúde, até o dia 16 de março deste ano, a unidade federativa registrou aumento de 528% nos casos da doença, ante o mesmo período de 2018.

Incidência

O Distrito Federal é a 8ª unidade do Brasil com a maior incidência de dengue no Brasil - 116,5 casos a cada 100 mil habitantes.

Em

SES paga nesta sexta-feira o TPD de dezembro e R$ 4,9 milhões em pecúnias de julho de 2016

Sex, 29 Mar 2019

Segundo a SES, valores a serem depositados nesta noite chegam a cerca de R$ 9,4 milhões

Na noite desta sexta-feira (29), como antecipou o SindSaúde-DF no último dia 26 de março, a Secretaria de Saúde fará o pagamento do Trabalho em Período Definido (TPD) na conta dos servidores. A subsecretária de Gestão de Pessoas (Sugep) anunciou ainda o pagamento de pecúnias.

Vão receber hoje as licenças-prêmio não usufruídas os aposentados entre 8 e 13 de julho de 2016. No total, com a concessão dos dois benefícios, serão pagos cerca de R$ 9,4 milhões - aproximadamente R$ 4,5 milhões referentes ao TPD e R$ 4,9 milhões em licenças-prêmio. Ao todo, 4.384 servidores terão os recursos nas contas.

De acordo com a subsecretária de Gestão de Pessoas, Silene Almeida, alguns setores que apresentaram inconsistência estão em folha suplementar e, assim que o recurso for liberado, também serão pagos.

A

Jurídico SindSaúde vence mais 12 ações de exercício findo e outras demandas

Sex, 29 Mar 2019

Em 17 sentenças, os servidores vão receber, juntos, cerca de R$ 131 mil em indenizações e direitos

O Jurídico SindSaúde fecha a semana com mais resultados vitoriosos para os servidores sindicalizados que entraram com ações contra o Governo do Distrito Federal. Só de exercício findo são 12 sentenças positivas. E no total, os 17 servidores que tiveram auxílios dos advogados do SindSaúde nessas sentenças vão receber do Governo do DF cerca de R$131 mil. Somente as 12 ações vencidas de exercício findo somam R$ 118 mil para os sindicalizados.

Em outros dois processos, o GDF foi condenado a pagar a atualização monetária a título de licença prêmio recebida de forma administrativa a dois servidores. Um deles receberá o valor de R$ 2.814,58 e o outro deve receber o valor de R$ 3.017,34.

Um dos servidores receberá do DF, corrigidos, R$ 7,1 mil a título de acertos administrativos.

Governo do DF exonera mais um diretor da era Rollemberg

Qui, 28 Mar 2019

Publicação no Diário Oficial retira do cargo o diretor-geral do Hospital de Santa Maria

Foi publicado no Diário Oficial do DF desta quinta-feira (28), a exoneração de Igor Silveira Dourado, que ocupava o cargo de diretor do Hospital Regional de Santa Maria desde a gestão Rollemberg e do ex-secretário de saúde Humberto Fonseca.

igor dourado

Segundo servidores, o agora ex-diretor era defensor do ex-governador na campanha para a reeleição de Rollemberg.

O atual governo do Distrito Federal já exonerou, nestes primeiros três meses de gestão, Valterdes Silva Nogueira, diretor do Hospital Regional de Brazlândia; o diretor do Hospital Regional da Asa Norte (HRAN), Gustavo Bernardes; e o superintendente da Regional de Saúde Central, Adriano Ibiapina, esse nomeado já no governo Ibaneis.

O SindSaúde alerta desde o início do ano que o atual governo precisa retirar os gestores que faziam parte da má gestão da era Rollemberg. Assim, os vícios de abandono e incapacidade poderão ser rompidos.

Procurada,

SindSaúde marca Assembleia Geral e lembra: cumprimento da lei não é reajuste

Qua, 27 Mar 2019

Governador firmou o pagamento da gratificação para junho e reunião da categoria vai tratar sobre GATA e ISONOMIA

A presidente do SindSaúde-DF, Marli Rodrigues, anunciou Assembleia Geral dos servidores da Saúde para o dia 4 de julho próximo, no Clube da Saúde, às 10h, logo após o prazo firmado pelo governo para pagamento da GATA ou parte dela. O encontro da categoria vai discutir sobre a incorporação da última parcela da Gratificação de Atividade Técnico-Administrativa (GATA), que deveria ter ocorrido em 2015, e o pagamento da diferença da Isonomia das carreiras. Também estará na pauta o cumprimento da terceira parcela da Lei do Especialistas (5.249), que já deveria ter sido incorporada também em 2015.

Segundo a sindicalista, está iniciada a “Campanha pela Libertação da GATA” (CLG). A expectativa é que até 4 de julho a categoria tenha recebido seus direitos ou parte deles com uma proposta real para pagamento de todo o valor.

Perguntada sobre a declaração do governador do DF, Ibaneis Rocha, afirmando que não vai dar reajuste de salários a ninguém este ano, a presidente foi clara: “O governador fala em novos REAJUSTES.